Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
Ecologia e Evolução (33009015076P0)
“Efeito da Heterogeneidade da Paisagem Sobre Redes de Interações Plantas - Polinizadores”.
PAOLA MANDETTA TOKUMOTO
DISSERTAÇÃO
30/07/2015

Resumo A maioria dos estudos sobre os efeitos das alterações antrópicas na paisagem na biodiversidade focam em parâmetros de riqueza e abundância de espécies, mas poucos têm buscado compreender os efeitos destas perturbações em processos ecológicos chaves para a manutenção de ecossistemas naturais e antrópicos, como, por exemplo, a polinização. Os insetos polinizadores são sensíveis às alterações na paisagem, e têm-se observado um declínio global desses organismos. Em cenários como esses, análises de redes de interações planta - polinizadores nos permitem melhor entender o quão resistente e resiliente é o processo de polinização frente a essas perturbações. É importante considerar, além da diversidade e proporção de Floresta na paisagem, o efeito dos diferentes tipos de ambientes sobre os visitantes florais de forma funcional. Estudos recentes mostram que a abundância e riqueza de polinizadores e a produtividade agrícola tendem a ser maiores em paisagens mais heterogêneas. O objetivo deste estudo foi avaliar a influência da heterogeneidade funcional da paisagem sobre as características das redes de interação entre plantas e insetos visitantes florais, e também sobre a riqueza de visitantes florais e flores disponíveis, e sobre a abundância de visitantes florais em fragmentos florestais de Mata Atlântica. Selecionamos 12 paisagens, de modo a formar um gradiente de diversidade da paisagem e proporção de floresta. Coletamos ativamente visitantes florais e plantas com flores e construímos redes de interações para cada paisagem. Para analise dos dados utilizamos a abordagem de seleção de modelos por múltiplas hipóteses concorrentes, com base na teoria de informação de Akaike – AIC. A comunidade de visitantes florais foi mais rica e abundante em paisagens com maior proporção de floresta. As redes foram mais assimétricas em paisagens com maior conectividade funcional; mais modulares em paisagens mais diversas, com maior quantidade de floresta e maior qualidade da paisagem, e tiveram maior diversidade de interações em paisagens com maior proporção de floresta e qualidade da paisagem. Para o manejo de paisagens, precisamos investir em projetos que possibilitem a implementação de ambientes mais amigáveis aos polinizadores, permitindo não só a presença de maior número de indivíduos e espécies de visitantes florais e plantas, mas também para que esses grupos interajam e que as redes sejam mais resistentes e resilientes em diferentes condições ambientais. Palavras chaves: redes de interações, polinização, ecologia de paisagem, visitantes florais, heterogeneidade.

redes de interações, polinização, ecologia de paisagem, visitantes florais, heterogeneidade.
Abstract Most studies about the effects of anthropogenic landscape changes on biodiversity have focused on parameters such as species richness and abundance. Few are those that aim to understand the effects of these disturbances on ecological processes such as pollination, which are important for the maintenance of natural and anthropic ecosystems. Pollinating insects are sensitive to changes in the landscape, what may be one of the leading forces for the global decline of these organisms. In this context, the analysis of plant-pollinators interaction networks allows us to better understand the resistance and resilience of pollination processes against landscape changes. Recent studies show that the abundance and richness of pollinators and agricultural productivity tend to be higher in landscapes that are more heterogeneous and with greater amount of forest. However, there is a necessity to better understand how different types of environments affect plant-pollinator interaction networks with a functional approach. This study evaluated the influence of functional heterogeneity of the landscape on plant-pollinator interaction networks, on the richness and abundance of insect flower visitors, and the richness of flowers available in Atlantic Forest fragments. Our main hypothesis was that in more diverse, forested, connected and with higher quality landscapes, we should find more resistant and resilient plant-pollinator interaction networks, as well as richer flower and pollinator communities. For this, we selected 12 landscapes, within a gradient of landscape diversity and forest proportion. In each central forest fragment, we actively collected floral visitors and flowering plants to build plant-pollinator networks for each landscape. We analyzed our data using a multiple competing hypotheses model selection approach based on the Akaike Information Criterion - AIC. Pollinator communities were richer and more abundant in landscapes with higher proportion of forest; more asymmetrical in landscapes with greater functional connectivity; more modular in better quality and more diverse landscapes; and with greater diversity of interactions in landscapes with higher quality and proportion of forest. In studies that aim to understand how landscape changes affect pollination in realistic scenarios, it is important to consider, in addition to the amount of forest, how the composition and configuration of different environments in landscape affect this ecological process. Key words: interaction networks, flower visitors, heterogeneity, pollination, landscape ecology.
interaction networks, flower visitors, heterogeneity, pollination, landscape ecology.
01
64
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

ECOLOGIA E EVOLUÇÃO
PADRÕES E PROCESSOS ECOLÓGICOS
Ecologia de Paisagem

Banca Examinadora

DANILO BOSCOLO
Sim
Nome Categoria
LEANDRO REVERBERI TAMBOSI Participante Externo
MARCELO NOGUEIRA ROSSI Docente
ISABELA GALARDA VARASSIN Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 24

Vínculo

-
-
-
Não