Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
CIÊNCIAS SOCIAIS EM DESENVOLVIMENTO, AGRICULTURA E SOCIEDADE (31002013007P9)
A POÉTICA DO CAVALO-MARINHO: BRINCADEIRA-RITUAL NA ZONA DA MATA PERNAMBUCANA
RAQUEL DIAS TEIXEIRA
DISSERTAÇÃO
23/10/2013

Esta dissertação tem como tema o cavalo-marinho, brincadeira típica da Zona da Mata Pernambucana, Alagoas e Agreste da Paraíba, e nascida nas senzalas dos engenhos de cana dessas regiões. A questão central gira em torno de tentar compreender o cavalo-marinho tendo como foco de interesse << o que se passa >> na brincadeira e << o que se passa >> com os brincadores, como se tais perspectivas estivessem ligadas às experiências e relações sociais singulares. De maneira em geral, busco explorar algumas das concepções e categorias que constituiriam o cavalo-marinho (brinquedo, brincadeira, brincador, folgazão, mestre, figura, figureiro, fundamento, função, toada, loa etc.), tendo como perspectiva a noção de brincadeira-ritual. Procuro evidenciar múltiplos significados e aspectos simbólicos do brinquedo. Na introdução procuro descrever alguns pressupostos desta pesquisa e a maneira como se desenvolveu meu trabalho de campo. No primeiro capítulo utilizo os encadeamentos históricos e sociais, como se estes tivessem sido fundamentais à região da Zona da Mata de Pernambuco, aos seus moradores/brincadores (as suas relações), procurando experimentar os efeitos destes processos históricos, em suas narrativas e brincadeiras. O segundo capítulo tem por objetivo fazer uma espécie de “percurso etnográfico” ao discorrer sobre a história do sítio Chã de Camará (e seus brinquedos) e dos meus principais interlocutores. No terceiro capítulo visualizo o cavalo-marinho por meio do conceito de ritual, onde apresento alguns dos símbolos presentes nas loas, toadas e improvisos nas passagens do cavalo-marinho. No quarto capítulo, tendo como base tanto pesquisas teóricas quanto meus dados de campo, sugiro possíveis ligações entre a socialidade dos brincadores e às brincadeiras do cavalo marinho e maracatu. Na conclusão levanto uma tese sobre a “resistência simbólica” contida na poesia do brinquedo, e realizo uma articulação entre as “partes” da pesquisa, finalizando meus argumentos. Proponho então a imagem da brincadeira como um ritual, repleto de poesia e simbolismo, que coloca em processo de metaforização elementos das relações cotidianas, cosmológicas e, inclusive, aspectos simbólicos de desconstrução e reforço à situação social dos trabalhadores da cana da Zona da Mata.

cavalo-marinho, brincadeira, Zona da Mata de Pernambuco
This dissertation takes as a subject the cavalo-marinho’s play, typical ritual of the Zona da Mata (forest zone) Pernambucana, Alagoas and Paraíba Wasteland, and born in the slave quarters of the sugar mills in these regions. The central question around trying to understand the cavalo-marinho having like focus of interest << that goes on >> in the ‘game’ (brincadeira) and << that goes on >> with the ‘players’ (brincadores), like if such perspectives were tied to the experiences and social singular relations. In way in general, I look to explore some of the conceptions and categories that would constitute the cavalomarinho (brinquedo, brincadeira, brincador, folgazão, mestre, figura, figureiro, fundamento, função, toada, loa etc.), taking the notion of ‘game’ as a perspective, about meant multiples and symbolic aspects of the cavalo-marinho. In the introduction I try to describe some presuppositions of this inquiry and the way as my fieldwork was developed. In the first chapter I use the historical and social chains, like if these had been basic to the region of the state of Pernambuco and to his residents/ ‘players’ (to his relations), trying to try the effects of these historical processes, to his narratives and ritual. The second chapter has since objective does a sort of etnography when talked about the history of the Chã de Camará and of my principal interlocutors. In the third chapter I visualize the cavalo-marinho through the concept of ritual, where I present some of the present symbols in the laudatory speeches (loas), melodies (toadas) and improvise in the cavalo-marinho. In the fourth chapter having like base so much theoretical inquiries (and you methodologies) how much this ethnography, I suggest possible connections between the sociability of the ‘players’ and to the ‘games’ of the cavalo-marinho and maracatu. In the conclusion I lift a theory on the “symbolic resistance” contained in the poetry of the ‘game’, and carry out an articulation between the parts of the inquiry, finishing my arguments. I propose the image of the cavalo-marinho as a ritual, replete one of poetry, what it puts in process of metaphorical elements of the daily life, of the cosmology and, including, you frontier of symbolic resistances (deconstruction and reinforce) to the social situation among sugarcane workers in Pernambuco state.
cavalo-marinho, ritual, Pernambuco State.
1
167
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

DESENVOLVIMENTO, AGRICULTURA E SOCIEDADE
ESTUDOS DE CULTURA E MUNDO RURAL
Critérios e metodologias para realização de inventário do patrimônio cultural rural paulista

Banca Examinadora

ANDREY CORDEIRO FERREIRA
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
JOHN CUNHA COMERFORD Participante Externo
MARIA JOSE TEIXEIRA CARNEIRO Docente - PERMANENTE
ANDREY CORDEIRO FERREIRA Docente - PERMANENTE

Vínculo

Colaborador
Empresa Pública ou Estatal
Profissional Autônomo
Sim