Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
ENFERMAGEM (33009015035P2)
EFEITO DO USO DE PROTETORES AURICULARES NO SONO DE RECÉM-NASCIDOS PREMATUROS NA UNIDADE NEONATAL: ESTUDO CLÍNICO, RANDÔMICO, CONTROLADO E CRUZADO
MONICA HIROMI SATO TOMA
DISSERTAÇÃO
26/11/2015

Objetivo: Comparar o efeito do uso de protetores auriculares sobre o sono dos recém-nascidos prematuros durante os Horários do Soninho em duas unidades de cuidados intermediários neonatais. Método: Estudo clínico, randômico, controlado e cruzado, conduzido em duas unidades de cuidados intermediários neonatais de diferentes instituições hospitalares de São Paulo-SP. A amostra foi composta por 24 prematuros clinicamente estáveis, com peso entre 1.200g e 2.000g, no interior de incubadora e que atenderam os demais critérios de inclusão e exclusão estabelecidos para o estudo. Utilizou-se polissonígrafo Alice 5® (Respironics®) e a observação não estruturada para a coleta de dados. A intervenção constituiu-se no uso de protetores auriculares nos Horários do Soninho, perfazendo um total de 96 períodos analisados, sendo 48 no grupo Experimental, e o restante no grupo Controle. Resultados: Do total da amostra, metade pertencia ao sexo masculino. As médias das idades gestacional, corrigida e cronológica, foram de 33,2 semanas, 34,9 semanas e 11 dias, respectivamente. O peso atual médio dos prematuros foi de 1.747gramas. Não houve diferença estatisticamente significante quanto ao tempo total de sono entre os Grupos Experimental e Controle, sendo que as médias respectivas foram de 83,7 minutos e 87,1 minutos (p=0,540). As comparações do tempo de sono quieto e indeterminado revelaram diferença marginalmente significante entre os dois grupos estudados (p=0,071). Os recém-nascidos prematuros com menores idades e pesos apresentaram redução significativa no tempo total de sono e sono quieto com o uso dos protetores auriculares (p<0,05). O aumento de uma semana na idade gestacional resultou no acréscimo de 3% no tempo total de sono dos prematuros, quando controladas as variáveis iluminação do ambiente, manipulação do neonato e peso atual. O sono quieto foi o estágio de sono predominante na maioria das análises. Não houve influência da luz e das manipulações nos tempos totais de sono de ambos os grupos. Conclusão: Concluiu-se que não houve diferença significativa no tempo total de sono dos prematuros entre os Grupos Experimental e Controle durante os Horários do Soninho nas unidades estudadas. As reduções significativas nos tempos totais de sono dos neonatos menores em relação às médias das idades gestacional, corrigida e peso atual podem estar relacionadas com um possível desconforto gerado pelo uso dos protetores auriculares nestes prematuros.

sono; prematuro; recém-nascido; enfermagem neonatal; cuidados de enfermagem; ruído.
Objective: To compare the effect of using earmuffs on the sleep of preterm newborns during “quiet time” in two neonatal intermediate care units. Method: This is a randomized controlled crossover clinical study conducted at two neonatal intermediate care units from different hospitals in São Paulo - SP. Sample comprised 24 clinically stable preterm newborns, whose weight ranged from 1,200 g to 2,000g, who were in an incubator and met the inclusion and exclusion criteria established for the study. We used a Polysomnography Alice 5 (Respironics®) and unstructured observation for data collection. The intervention consisted in the use of earmuffs during Quiet time, with a total of 96 periods analyzed: 48 in the experimental group, and the remainder 48 in the control group. Results: Of the total sample, half were male. The average gestational, corrected and chronological ages were 33.2 weeks, 34.9 weeks and 11 days, respectively. Current average weight of preterm newborns was 1,747g. There was no significant difference in total sleep time between the experimental and control groups, and their averages were 83.7 minutes and 87.1 minutes, respectively (p = 0.540). Comparisons of quiet and indeterminate sleep time showed a marginally significant difference between the two groups (p = 0.071). Younger preterm newborns and with lower weights had significantly reduced total sleep time and quiet sleep with the use of earmuffs (p <0.05). The increase of one week in gestational age resulted in a 3% increase in preterm newborn's total sleep time when variables such as ambient light, handling the newborn and current weight were controlled. Quiet sleep was the predominant sleep stage in most analyses. Ambient light and handling the preterm newborn did not influence total sleep time in both groups. Conclusion: We concluded that there was no significant difference in total sleep time of preterm newborns between the experimental and control groups during naptime in the units studied. Significant reductions in total sleep time of smaller preterm newborns in relation to the average gestational and corrected ages and current weight may be related to a possible discomfort they experience due to the use of earmuffs.
sleep; infant, premature; neonatal nursing; nursing care; noise; ear protective devices.
1
66
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

ENFERMAGEM, CUIDADO E SAÚDE
CUIDADO CLÍNICO DE ENFERMAGEM E SAÚDE (CCES)
O SONO DO RECÉM-NASCIDO NA UNIDADE NEONATAL: SUBSÍDIOS PARA O CUIDADO

Banca Examinadora

ELIANA MOREIRA PINHEIRO
DOCENTE - PERMANENTE
Não
Nome Categoria
AMELIA FUMIKO KIMURA Participante Externo
DENISE MIYUKI KUSAHARA Participante Externo
GUSTAVO ANTONIO MOREIRA Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 22

Vínculo

CLT
Outros
Outros
Não