Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE
Ciência e Saúde Animal (24009016011P0)
CARACTERIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA E FATORES DE RISCO ASSOCIADOS ÀS LENTIVIROSES, BRUCELOSE E LEPTOSPIROSE DE CAPRINOS E OVINOS COMERCIALIZADOS EM FEIRA DE ANIMAIS NA REGIÃO DO SEMIÁRIDO NORDESTINO
JOSE ROMERO ALEXANDRE ALVES
DISSERTAÇÃO
26/02/2016

A região semiárida nordestina concentra a maioria dos rebanhos caprinos e ovinos deslanados do Brasil, com 8,5 milhões de caprinos e 9,9 milhões de ovinos, onde comumente ocorrem feiras de animais vivos, locais em que os proprietários geralmente comercializam a produção. Aglomerações animais representam um importante elo na transmissão de doenças infecciosas, resultando na importância do conhecimento acerca da epidemiologia das doenças de pequenos ruminantes. Desta forma, o objetivo desse estudo foi determinar a frequência de anticorpos anti-Lentivirus de Pequenos Ruminantes (LVPR), anti-Leptospira sp. e anti-Brucella ovis em caprinos e ovinos comercializados na feira de animais da cidade de Tabira - PE, semiárido brasileiro, bem como a identificação de possíveis fatores de risco às enfermidades. Foram coletadas amostras de soro de 233 caprinos e 119 ovinos, sem raça definida, pertencentes a doze proprietários, na feira de animais do município entre novembro de 2014 e junho de 2015. Foi aplicado questionário epidemiológico para análise dos fatores de risco. As variáveis obtidas foram submetidas a análises univariada e multivariada. O diagnóstico da infecção por LVPR foi realizado pelas técnicas de Imunodifusão em ágar-gel (IDGA) e Western Blotting (WB). Pela IDGA foi identificado um caprino soropositivo e não foi detectada positividade nos ovinos. Pelo WB, 15/233 (6,44% IC95% = 3,94 – 10,35%) caprinos e 8/119 (6,72% IC95% = 3,45 – 12,71%) ovinos foram soropositivos, totalizando 23/352 (6,53% IC95% = 4,39 – 9,61%) animais reagentes. Os doze rebanhos estudados apresentaram soropositivos. Vermifugar os animais anualmente (odds ratio = 5,9; p = 0,04) foi considerado fator de risco à enfermidade nos caprinos. Não foram identificados fatores de risco à infecção em ovinos. A técnica de WB apresentou maior sensibilidade que a IDGA, demonstrando a ocorrência dos LVPR em caprinos e ovinos na feira de animais. O diagnóstico de Leptospira spp. foi realizado pela Soroaglutinação Microscópica (MAT). Foram identificados 16/233 (6,87% IC95% = 4,27 – 10,83%) caprinos e 16/119 (13,45% IC95% = 8,67 – 21,24%) ovinos soropositivos. O sorotipo mais frequente foi o Icterohaemorrhagiae. Os rebanhos caprinos e ovinos amostrados apresentaram soropositividade em 44,5% (4/9) e 62,5% (5/8), respectivamente. A criação de forma intensiva (odds ratio = 15,8; p < 0,001) e criação consorciada com equinos (odds ratio = 7,3; p = 0,005), foram considerados fatores de risco para enfermidade em caprinos. Não foram identificados fatores de risco à infecção em ovinos. A infecção por Leptospira spp. está presente nos pequenos ruminantes estudados. A soropositividade para B. ovis foi testada nos ovinos pela técnica de IDGA. A frequência de soropositivos foi de 7/119 (5,88% IC95% = 2,88 – 11,65%), ocorrendo em fêmeas pertencentes a três proprietários. A criação de maneira intensiva foi considerada fator de risco à infecção (odds ratio = 11,5; p = 0,005). Recomendam-se medidas direcionadas ao controle do trânsito e das aglomerações, que possibilitem aumentar o diagnóstico das enfermidades nos pequenos ruminantes que participam desses eventos, bem como melhorias nas condições higiênico-sanitárias das instalações de criação objetivando reduzir o risco de transmissão da infecção aos susceptíveis.

Pequenos Ruminantes; Lentiviroses; Leptospirose; Brucelose Ovina; Aglomerações.
The northeasten semiarid region concentrates the majority of the goat and wooless sheep herds of Brazil, with 8,5 millions of goats and 9,9 millions of sheep, and live animal fairs commonly take place in the referred region, and it is where the farmers generally commercialize their production. Agglomeration of animals is an important link in the transmission of infectious diseases, resulting in the importance of the knowledge about the epidemiology of diseases of the small ruminants. Therefore, the objective of this study was to determine the frequency of the anti-Small Ruminants Lentivirus (SRLV), anti-Leptospira sp. and anti-Brucella ovis antibodies in goats and sheep commercialized in the animal fair of the municipality of Tabira - PE, in the Brazilian semiarid, as well as the identification of the possible risk factors for diseases. Serum samples were collected from 233 crossbred goats and 119 crossbred sheep, belonging to twelve farmers, in the animal fair of the municipality between November 2014 and June 2015. An epidemiological questionnaire was applied for the analysis of the risk factors. The variables obtained were submitted to univariate and multivariate analysis. The diagnosis of infection by SRLV was performed by the techniques of agar gel immuno-diffusion (AGID) and Western Blotting (WB). One seropositive goat was detected by the AGID positivity was not detected for sheep. By the WB, 15/233 (6.44% CI95% = 3.94 – 10.35%) goats and 8/119 (6.72% IC95% = 3.45 – 12.71%) sheep were seropositive, totalizing 23/352 (6.53% CI95% = 4.39 – 9.61%) reagent animals. The twelve studied herds presented seropositive animals. To annually vermifuge the animals (odds ratio = 5.9; p = 0.04) was considered to be a risk factor for disease in goats. Risk factors for the infection in sheep were not identified. The WB technique presented greater sensitivity than the AGID, in demonstrating the occurrence of the SRLV in goats and sheep in the animal fair. The diagnosis of Leptospira spp. was performed by microscopic agglutination test (MAT). 16/233 (6.87% CI95% = 4.27 – 10.83%) seropositive goats and 16/119 (13.45% CI95% = 8.67 – 21.24%) seropositive sheep. The most frequent serotype was the Icterohaemorrhagiae. The sampled herds of goats and sheep presented seropositivity in 44.5% (4/9) and 62.5% (5/8), respectively. The intensive livestock farming system (odds ratio = 15.8; p < 0.001) and the rearing in conjunction with equines (odds ratio = 7.3; p = 0.005), were considered to be risk factors for the disease in goats. Risk factors for the disease in sheep were not identified. The infection by Leptospira spp. is present in the studied small ruminants. The seropositivity for B. ovis was tested in sheep by the AGID technique. The frequency of seropositive was of 7/119 (5.88% CI95% = 2.88 – 11.65%), occurring in females belonging to three farmers. The intensive livestock farming system was considered to be a risk factor for infection (odds ratio = 11.5; p = 0.005). Measures aimed at the control of the transit and agglomerations, which enable the increase of the diagnosis of the disease in small ruminants which take part in these events, as well as improvements in the hygiene and sanitary conditions of the properties, are recommended, aiming to reduce the risk of transmission of the infection to those vulnerable.
Small Ruminants; Lentiviruses; Leptospirosis; Ovine Brucellosis; Agglomerations.
1
84
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

SAÚDE, PRODUÇÃO E NUTRIÇÃO ANIMAL
EPIDEMIOLOGIA E CONTROLE DAS DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS
2014 - Caracterização epidemiológica e fatores de risco associados às Lentiviroses, Brucelose e Leptospirose em caprinos e ovinos comercializados em feira Livre na microrregião do Pajeú de Pernambuco

Banca Examinadora

CLEBERT JOSE ALVES
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
RAYMUNDO RIZALDO PINHEIRO Participante Externo
FRANCISCO SELMO FERNANDES ALVES Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
CONS NAC DE DESENVOLVIMENTO CIENTIFICO E TECNOLOGICO - Bolsa de Mestrado no País GM 12

Vínculo

Servidor Público
Empresa Pública ou Estatal
Outros
Sim