Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS
VETERINÁRIA (42003016008P2)
Atividade da Paraoxanase 1 em cães submetidos a terapia antineoplásica e avaliação do balanço oxidativo e parâmetros hematopoiéticos de ratas submetidas a Carboplatina e tratadas com extrato aquoso de Triticum aestivum e Hibiscus rosa-sinensis
GUSTAVO FORLANI SOARES
DISSERTAÇÃO
24/02/2016

Os neoplasmas estão entre as afecções de maior importância na medicina humana e veterinária. Entre as diretrizes terapêuticas mais utilizadas está a administração de agentes antineoplásicos como a carboplatina, a qual é eficaz no tratamento de carcinomas, entretanto possui efeitos colaterais, como a mielossupressão e a liberação excessiva de radicais livres. Nesse contexto, objetivou-se avaliar o balanço oxidativo de cães submetidos a quimioterapia, assim como a utilização dos extratos aquosos de Triticum aestivum (trigo) e de Hibiscus rosa-sinensis (HRS) como adjuvante na terapia antineoplásica com carboplatina em modelo murino. Para avaliação do balanço oxidativo em caninos foram selecionados oito cães, quatro com câncer e quatro hígidos, sendo mensurada a atividade da Paraoxanase 1 (PON1) no momento que antecedeu a aplicação do agente antineoplásico (dia 0) e sete dias após a aplicação (dia 7). Foi constatado que no dia zero os pacientes oncológicos caninos (G1) apresentaram menor atividade da PON1 do que os cães do (G2) (p<0,05), além disso, a atividade dessa enzima foi ainda mais comprometida após a administração de fármacos antineoplásicos (p<0,05), sugerindo a necessidade de administração de compostos antioxidantes para esses pacientes. Para avaliar o potencial dos extratos aquosos de trigo e HRS como adjuvantes na terapia antineoplásica, foram utilizadas 48 ratas, aleatoriamente distribuídas em seis grupos: G1 - testemunha tratado com solução fisiológica; G2 - controle tratado com solução fisiológica; G3 - tratado com 100 mg/kg de extrato aquoso de trigo; G4 - tratado com 400 mg/kg de extrato aquoso de trigo; G5 - tratado com 125mg/kg de extrato aquoso de HRS; e G6 - tratado com 250mg/kg de extrato aquoso de HRS. Administrou-se 300 mg/m² de carboplatina por via intraperitoneal no dia 0 nos grupos G2, G3, G4, G5 e G6, enquanto o G1 recebeu 1mL de solução fisiológica pela mesma via. Os animais foram tratados diariamente durante 21 dias por gavagem orogástrica de acordo com seu grupo experimental. Foi coletado sangue dos animais para realização de hemograma e avaliação dos parâmetros bioquímicos alanina aminotransferase, fosfatase alcalina, ureia e creatinina nos dias três, sete e 21, com a avaliação da atividade da Paroxanase 1 no dia três. No dia 21 foi realizada a eutanásia das ratas e coletado aspirados da medula óssea para realização do mielograma e fragmentos do rim e do fígado para análise histológica. Os efeitos adversos da carboplatina foram confirmados pelas alterações observadas no G2 quando comparado ao G1. Foram observados resultados promissores com relação ao balanço oxidativo no G3, G4, G5 e G6, devido aos animais desse grupo apresentarem atividade da PON1 superior ao G2 (p<0,05). Os mesmos grupos apresentaram contagem de leucócitos totais superiores ao G2, sendo significativamente superior no G4, G5 e G6 no dia 21 (p<0,05). Os mielogramas dos animais tratados com extratos vegetais não apresentaram as evidentes alterações de parâmetros que foram observadas no G2 (queda de células eritróides e aumento de neutrófilos segmentados e promielócitos) (p<0,05), indicando uma compensação do efeito da carboplatina. Os parâmetros bioquímicos e histopatológicos avaliados encontravam-se dentro do esperado para espécie em todos os animais. Nas condições deste estudo, os extratos aquosos de trigo e Hibiscus rosa-sinensis mostraram-se seguros nas doses utilizadas e uteis no tratamento da mielossupressão e liberação excessiva de radicais livres induzidas pelo fármaco carboplatina.

hibisco;trigo;mieloproteção;platinados;neoplasia
Cancer is one of the most important diseases in human and veterinary medicine. Among the most commonly used therapeutic guidelines is the administration of anticancer agents such as carboplatin, which is effective in treating carcinomas, but has side effects such as myelosuppression and excessive release of free radicals. This study proposed to assess the oxidative balance of dogs undergoing chemotherapy, as well as the use of aqueous extracts of wheat and Hibiscus rosasinensis (HRS) as adjuvants to antineoplastic therapy with carboplatin in rats. To assess the oxidative balance of dogs, eight animals were selected, four cancer patients and four healthy witnesses, and the seric Paraoxanase 1 (PON1) activity was measured before and after the application of antineoplastic agents. Cancer patients were found to exhibit lower activity of PON1 (p<0.05), furthermore, the activity of this enzyme was further compromised after the administration of anticancer drugs (p<0.05). To assess the potential of aqueous extracts of wheat and HRS as adjuvants in antineoplastic therapy, 48 rats were randomly divided into six groups: G1 - witness treated with saline solution; G2 - control treated with saline solution; G3 - treated with 100 mg/kg of wheat aqueous extract; G4 - treated with 400 mg/kg of wheat aqueous extract; G5 - treated with 125mg/kg of HRS aqueous extract; and G6 - treated with 250 mg/kg of HRS aqueous extract. Three hundred mg/m² of carboplatin was administered intraperitoneally on day zero in groups G2, G3, G4, G5 and G6, while the G1 received 1mL of saline. The animals were treated daily for 21 days by orogastric gavage according to their experimental group. Blood samples were collected from animals for CBC, and blood biochemistry on days three, seven, and 21, Paroxanase1 was assessed on day three. On day 21 the animals were euthanaized and bone marrow, kidney, liver tissues were collected. The adverse effects of carboplatin were confirmed by the changes observed in G2 when compared to G1. Promising results were observed with respect to the oxidative balance in G3, G4, G5 and G6. Animals in these groups present activity of the PON 1 higher than the G2 (p <0.05). The same groups had higher counts of total leukocytes than G2, being significantly higher in G4, G5, and G6 on day 21 (p <0.05). The myelograms of animals treated with plant extracts did not show the overt parameter changes that were observed in G2 (reduction of erythroid cells and increased segmented neutrophils and promyelocytes) (p<0.05), indicating a compensation of the effect of carboplatin . Biochemical and histopathological parameters were within the expected range for the species in all animals. In our study, the aqueous extracts of wheat and HRS proved to be safe at the doses used and useful in the treatment of myelosuppression and excessive release of free radicals induced by the drug carboplatin.
Paraoxanase 1;phytotherapic;myeloprotection;platinum;neoplasia
1
71
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

SANIDADE ANIMAL
CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS E GRANDES ANIMAIS
Atividade cicatricial da Copaifera sp, Croton Lecheleri, Triticum aestivum e Bixa Orellana L.

Banca Examinadora

MARCIA DE OLIVEIRA NOBRE
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
ANTONIO SERGIO VARELA JUNIOR Docente - COLABORADOR
ANELIZE DE OLIVEIRA CAMPELLO FELIX Participante Externo
MARIANA TEIXEIRA TILLMANN Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 24

Vínculo

Colaborador
Empresa Pública ou Estatal
Ensino e Pesquisa
Não