Brasi
Está liberado, até 10 de fevereiro de 2017, o envio pelos PPGs e a homologação pelos Pró-Reitores dos Coletas 2013, 2014 e 2015. Já o prazo do Coleta 2016, para envio e homologação pela pró-reitoria, é 10 de março de 2017.

Dados do Trabalho de Conclusão
UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
FILOSOFIA (31003010081P4)

UMA EXPERIÊNCIA DA LINGUAGEM OU INFÃNCIA: LÍNGUA, HISTÓRIA E ARTE EM GIORGIO AGAMBEN
ANA CAROLINA SILVA MARTINS
DISSERTAÇÃO
07/12/2015

Tem a presente pesquisa o intuito de delinear o conceito de experiência forjado por Giorgio Agamben, especialmente a partir de suas publicações que antecedem ao projeto filosófico Homo Sacer, pelo qual ganhou notoriedade mundial. Partindo da crítica à modernidade e do diagnóstico de Walter Benjamin sobre a falência da experiência observo que inicialmente Agamben pensa esse conceito em relação ao problema da transmissibilidade da tradição. Nesse sentido, as reflexões sobre a experiência da arte realizadas em seu primeiro livro, O homem sem conteúdo, contribuíram para pensar um conceito de experiência produzido na tensão entre passado e presente, tradição e sua transmissibilidade. Sob esse enfoque abordo a questão do tempo e da história no pensamento do autor. No entanto, a partir de seu terceiro livro, Infância e história: destruição da experiência e origem da história, Agamben passa a conceber um conceito de experiência como uma particular relação com a linguagem e com isso, tece uma concepção de linguagem própria que ele chama de experiência da infância. Durante a década de 1980, Agamben realizou investigações sobre o problema da linguagem e formulou, a partir de uma interlocução com Benjamin, uma nova ideia de linguagem. Pretendo, desse modo, trazer à luz a potência política contida na formulação agambeniana da infância como experimentum linguae.

Experiência; tempo; história; arte; linguagem; Giorgio Agamben; Walter Benjamin.
This research aims to outline the concept of experience as thought by Giorgio Agamben, especially focusing on his publications prior to the philosophical project Homo Sacer, for which he has won worldwide notoriety. From the starting point of the critique of modernity and the diagnosis of Walter Benjamin about the failure of experience I observe that, initially, Agamben thinks this concept in relation to the problem of transmission of tradition. In this sense, the reflections on the experience of art made in his first book, The man without content, contributed to bring a concept of experience produced in the tension between past and present, tradition and its transmissibility. Under this approach I address the question of time and history in the thinking of the author. However, from his third book on, Infancy and history: the destruction of experience, Agamben goes on to conceive a concept of experience as a particular relationship to language and, thought, weaves a singular conception of language which he calls infancy experience. During the 1980s, Agamben carried out investigations on the problem of language and formulated, by means of his dialogue with Benjamin's thought, a new idea of language. I intend, therefore, to bring to light the political power contained in the Agamben's formulation of infancy asexperimentum linguae.
Experience; time; history; art; language; Giorgio Agamben; Walter Benjamin.
0
PORTUGUES
Biblioteca Central do Gragoatá

Contexto
FILOSOFIA
ESTÉTICA E FILOSOFIA DA ARTE
SUBLIME, ESTÉTICA E MODERNIDADE

Banca Examinadora
Orientador:
PEDRO SUSSEKIND VIVEIROS DE CASTRO
O orientador principal compôs a banca do discente?
Sim
Nome Categoria
DAVI PESSOA CARNEIRO BARBOSA Participante Externo


Vínculo
-
-
-
Não
Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco L, Lote 06,
CEP 70040-020 - Brasília, DF CNPJ 00889834/0001-08 -
Copyright 2010 Capes. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Cooperação CAPES e SINFO