Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
LETRAS (40002012012P8)
Para além do nitrato de prata: análise do duplo especular em contos da literatura ocidental.
CATIA CRISTINA SANZOVO JOTA
TESE
17/03/2015

Coisa de magia, símbolo por excelência. O espelho, longe de ser meramente um objeto refletor ou uma peça de decoração, transcende sua função reprodutora. Ele abre as portas do imaginário e instala-se no cotidiano do homem, no folclore popular, na cultura, na psicologia, na ciência, na filosofia e nas artes em geral. Desde o início, o homem procurou um meio de conhecer-se a si mesmo e encontrou no nitrato de prata o instrumento perfeito para tal empreendimento. Entretanto, conhecer-se implica uma das jornadas mais difíceis que qualquer ser humano pode tentar completar, pois conhecer-se é defrontar-se com um outro, ao mesmo tempo estranho e familiar. A literatura toma o espelho como mote a fim de expressar, por meio da palavra, esse caminho tortuoso percorrido pelo homem em busca de seu verdadeiro “eu”. Assim, objetivo da tese é levantar e discutir a hipótese de o espelho funcionaria como uma ferramenta extremamente eficaz para se desvendar o universo do personagem. Para tanto, foram selecionados sete contos da literatura ocidental para análise: “O espelho” (1885), de Anton Tchekov; “Cadáveres insepultos” (1893), de Aluísio Azevedo; “O forasteiro” (1921), de Howard Phillip Lovecraft; “A dama no espelho: uma reflexão” (1929), de Virgina Woolf; “O espelho” (1938), de Gastão Cruls; “Imagem” (1967), de Luiz Vilela; e “Espelho” (1983), de Marcio Barbosa. Dessa forma, a tese foi divida em três capítulos. O primeiro é destinado ao estudo dessa entidade obscura que é o duplo. O segundo intenciona investigar o espelho e suas ramificações. Por fim, o terceiro capítulo objetiva apresentar a análise dos contos selecionados. Dentre os estudiosos que serviram de base teórica para a tese, tem-se Freud, Otto Rank, Umberto Eco, Edgar Morin, Julia Kristeva, Nicole Bravo, Sabine Melchio-Bonnet, Jean-Paul Sartre, Jean Pierre Vernant, entre vários outros. A conclusão é que a reflexão e a inversão proporcionadas pelo espelho possibilitam uma visibilidade maior da personagem, não só ao próprio personagem, mas também aos olhos do leitor. Além disso, conclui-se que quando o personagem se deixa dominar por seu duplo especular, o enredo torna-se cíclico e o desfecho irônico. Por outro lado, quando o personagem despoja-se de seu duplo, dá o primeiro passo na direção do conhecimento de si mesmo.

duplo, espelho, personagem
Magical object, the ultimate symbol. The mirror, far from being merely a reflecting object or a piece of decoration, transcends its reproductive function. It opens the doors of the imaginary and installs itself inside the daily life of men, their popular folklore, culture, psychology, science, philosophy and arts in general. From the beginning of times, mankind have searched for means of knowing one’s self and found in the silver nitrate, the perfect instrument for such an undertaking. However, knowing one’s self is one of the hardest journeys that any human being can try to accomplish, since knowing one’s self is to face one’s double, strange and familiar at the same time. Literature takes the mirror as motif in order to express, through words, this tortuous path taken by men. Thus, the aim of the thesis is raise and discuss the hypothesis that the mirror would function as an extreme effective tool to unveil the universe of the character. In order to achieve such goal, seven tales of Western literature have been selected for analysis: “O espelho” (1885), by Anton Chekhov; “Cadáveres insepultos” (1893), by Aluísio Azevedo; “O forasteiro” (1921), by Howard Phillip Lovecraft; “A dama no espelho: uma reflexão” (1929), by Virginia Woolf; “O espelho” (1938), by Gaston Cruls; “Imagem” (1967), by Luiz Vilela; and “Espelho” (1983), by Marcio Barbosa. Hence, the thesis was divided into three chapters. The first section aims to study this obscure entity that is the double. The second subdivision intends to investigate the mirror and its ramifications. Finally, the third chapter targets to present the analysis of the tales. Freud, Otto Rank, Umberto Eco, Edgar Morin, Julia Kristeva, Nicole Bravo, Sabine Melchio-Bonnet, Jean-Paul Sartre, Jean Pierre Vernant, among many others are the scholars who served as theoretical foundation for the thesis. The conclusion is that the reflection and the inversion furnished by the looking glass provide a broader visualization of the character, not only for the character himself, but for the eyes of the reader as well. Furthermore, it is possible to conclude that when the character let his double dominate, the plot becomes cyclical and the ending ironic. On the other hand, when the character wins his double, he takes the first step towards knowing himself.
double, mirror, character
1
213
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

LITERATURA BRASILEIRA E OUTRAS LITERATURAS VERNÁCULAS
PRODUÇÕES LITERÁRIAS MODERNAS E CONTEMPORÂNEAS
-

Banca Examinadora

ADELAIDE CARAMURU CEZAR
DOCENTE - COLABORADOR
Sim
Nome Categoria
ADILSON DOS SANTOS Docente - PERMANENTE
CLAUDIA CAMARDELLA RIO DOCE Docente - PERMANENTE
MARISA MARTINS GAMA KHALIL Participante Externo
LOREDANA LIMOLI Participante Externo

Vínculo

Servidor Público
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Não