Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
CIÊNCIAS SOCIAIS EM DESENVOLVIMENTO, AGRICULTURA E SOCIEDADE (31002013007P9)
Educação do Campo e políticas públicas: a sustentabilidade financeira das Casas Familiares Rurais no estado do Pará
JAQUELINE DA LUZ FERREIRA
TESE
01/09/2015

Este trabalho tem como objetivo analisar os arranjos criados e executados pelas Casas Familiares Rurais do estado do Pará para garantir a sua existência e sustentabilidade financeira. As Casas Familiares Rurais (CFRs) são organizações comunitárias de agricultores que têm como finalidade prover a formação integral e o desenvolvimento local dos territórios em que estão inseridas. Utilizando a Pedagogia da Alternância, estas organizações possibilitam à população rural ter acesso à educação básica, com proposta pedagógica e currículos contextualizados aos modos de vida e trabalho no meio rural e voltados para a transformação da realidade local. No Pará estas organizações existem desde a década de 1990 e estão presentes em diferentes regiões do estado, com um total de 26 CFRs ativas. Estas organizações surgem à margem do sistema oficial de ensino e de suas regras e normas. Ao longo de suas trajetórias, ao optarem por oferecer o acesso à educação formal para seus associados, estas organizações assumem uma agenda de progressiva institucionalização e adequação ao sistema oficial de ensino e também às regras de acesso à recursos públicos. O reconhecimento destas organizações pelo poder público impacta diretamente na capacidade de mobilização de recursos (públicos e/ou privados) destas organizações. Considerando isto, para analisar os arranjos criados e executados pelas CFRs do Pará para garantir a sua existência procurei identificar como a configuração desta relação (Estado e CFRs), ao longo do tempo, influenciou mudanças nas estruturas relacionais, repertórios de ação e capacidades de mobilização de recursos destas organizações, considerando o contexto de entrada da Educação do Campo no âmbito das políticas públicas educacionais nos anos 2000. O presente trabalho é informado principalmente pelas visões das pessoas que vivenciam o cotidiano das CFRs e dos membros da Associação Regional das Casas Familiares Rurais do Estado do Pará (ARCAFAR-PA) que foram acessadas a partir do acompanhamento realizado pela pesquisadora a diferentes atividades desenvolvidas por estas organizações ao longo de dois anos e também a partir de pesquisa de campo, que contou com a realização de entrevistas e aplicação de questionários para estes atores. Uma importante conclusão deste estudo foi que todo o esforço realizado pelas CFRs para se adequar às normativas do poder público não foi proporcional ao aumento da capacidade destas de mobilizar recursos (jurídicos, econômicos, pessoas, conhecimentos, etc.) para acompanhar tais mudanças. Assim como foi possível identificar um esforço muito grande destas organizações para que o poder público considere suas especificidades e também evitar uma homogeneização de suas práticas. Ainda na conclusão aponto alguns desafios e possibilidades que a experiência estudada trouxe sobre as políticas públicas de Educação do Campo de uma forma geral.

políticas públicas, Casas Familiares Rurais, educação rural
This work aims to analyze the arrangements created and executed by the Rural Family Houses located in Pará state to ensure its existence and financial sustainability. The Rural Family Houses (RFHs) are community organizations of farmers are intended to provide full training and local development of the territories in which they operate. Utilizing the Pedagogy of Alternation, these organizations enable the rural population have access to basic education, with pedagogical proposal and contextualized curricula to the ways of life and work in rural areas and facing the transformation of the local reality. In Pará these organizations have been around since the 1990s and are present in different regions of the state, with a total of 26 active units. These organizations arise outside the official education system and its rules and regulations. Throughout their trajectory by choosing to offer access to formal education for its members, these organizations take an agenda of progressive institutionalization and adaptation to the official education system and also to access to public resources rules. The recognition of these organizations by the government directly impacts the resource mobilization capacity (public and / or private) of these organizations. Considering this, to examine the arrangements created and executed by the RFHs of Pará to ensure its existence I sought to identify how the configuration of this relationship (State and RFHs), over time, influenced changes in relational structures, action repertoires and resource mobilization capacity of these organizations, considering the input of Countryside Education in the educational policies context in the 2000s. This work is informed primarily by the visions of people who experience the daily life of the RFHs and members of the Regional Association of Rural Family Houses of Pará (RARFH-PA). This information was accessed from the monitoring carried out by the researcher to different activities developed by these organizations over two years and also from field research, which included conducting interviews and questionnaires for these actors. An important conclusion of this study was that all the efforts made by the RFHs to suit the government's normative was not proportional to the increase of the capacity of these organizations to mobilize resources (legal, economic, people, knowledge, etc.) to monitor such changes. In this way it was possible to identify a great effort of these organizations to the government consider their features and also avoid homogenization of their practices. Yet at the conclusion show some challenges and possibilities that the studied experience brought about public policy Countryside Education in general.
public policies, Rural Family Homes, rural education
1
178
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

DESENVOLVIMENTO, AGRICULTURA E SOCIEDADE
POLÍTICAS PÚBLICAS, ESTADO E ATORES SOCIAIS
REPENSANDO POLÍTICAS PÚBLICAS E DESENVOLVIMENTO: REDISTRIBUIÇÃO, RECONHECIMENTO, REPRESENTAÇÃO, ECONOMIA FEMINISTA E JUSTIÇA ECOLÓGICA.

Banca Examinadora

JORGE OSVALDO ROMANO
DOCENTE - COLABORADOR
Sim
Nome Categoria
ANTONIO MUNARIM Participante Externo
JORGE OSVALDO ROMANO Docente - COLABORADOR
MARILIA LOPES DE CAMPOS Participante Externo
DIOGENES PINHEIRO Participante Externo
DEBORA FRANCO LERRER Docente - PERMANENTE

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
CONS NAC DE DESENVOLVIMENTO CIENTIFICO E TECNOLOGICO - Bolsa de Doutorado no País GD 48

Vínculo

Colaborador
Empresa Privada
Outros
Não