Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA
ARQUITETURA E URBANISMO (53001010042P8)
Espaços sem fronteiras: arte e arquitetura digital
FABIO FERREIRA DE LIMA
TESE
25/08/2015

Os projetos das arquiteturas digitais firmam-se nas características inscritas nos códigos e com regras internas específicas, nas quais nessas instruções foram dados à máquina certos graus de autonomia. Assim, a hipótese desse trabalho partiu do princípio dos agenciamentos flexíveis de regras, nas quais os códigos computacionais são capazes de propiciar a criação de estruturas abstratas imprevisíveis (não possíveis de serem alcançadas pelo raciocínio humano sem a assistência dos computadores) e esse caráter complexo contém fundamentos similares aos das artes. Como um tipo de metáfora cultural, a arquitetura digital pode materializar signos de uma diversidade muito grande de referentes e, subjazem à forma o desejo de uma expressão traduzida num caráter de beleza. Mesmo em casos experimentais ou de investigação poética, essa abordagem está inserida no contexto das técnicas e processos de produção do ambiente construído. Nessa tese são realizadas análises dos processos digitais, apresentando os conceitos e elementos fundantes de trabalhos bastante heterogêneos: MRGD Architects, Tom Wiscombe Architecture, Zaha Hadid Architects, Jerry Tate Architects e Kokkugia. As discussões dessas arquiteturas digitais são realizadas pelos conceitos do signo arquitetônico segundo categorias da sintaxe, semântica e pragmática da semiótica de Charles William Morris, e outras abordagens de Charles Sanders Pierce. Acrescentam-se também os estudos de Branko Kolarevic, Antoine Picon, Umberto Eco, Greg Lynn, Toni Kotnik, Pierre Lévy, Abraham Moles, Bryan Lawson, Vilém Flusser e outros.

Arte e arquitetura, arquitetura digital, semiótica Charles W. Morris
The projects of digital architectures are underpinned by the characteristics given in the code and with specific internal rules in which those instructions were given to certain degrees of autonomy machine. Thus, the hypothesis of this study assumed the flexible assemblages of rules, in which computer codes are able to promote the creation of unpredictable abstract structures (not able to be reached by human reason without the assistance of computers) that contains complex character grounds similar to the arts. As a kind of cultural metaphor, digital architecture can materialize signs of a very wide range of related and underlying the way the desire for expression translated into a character of beauty. Even in experimental or poetic investigation cases, this approach fits into the context of the technical and the built environment production processes. In this thesis of digital processes is analyzed, presenting the concepts and founding elements of very heterogeneous work: MRGD Architects, Tom Wiscombe Architecture, Zaha Hadid Architects, Jerry Tate Architects and Kokkugia. Discussions of these digital architectures are performed by the concepts of architectural sign second syntax categories, semantics and pragmatics of Charles William Morris semiotics, and other approaches of Charles Sanders Pierce. They add also the studies of Branko Kolarevic, Antoine Picon, Umberto Eco, Greg Lynn, Toni Kotnik, Pierre Lévy, Abraham Moles, Bryan Lawson, Vilém Flusser and others.
Art and architecture, digital architecture, semiotics Charles W. Morris
1
224
PORTUGUES
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

TECNOLOGIA, AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE
TECNOLOGIA DE PRODUÇÃO DO AMBIENTE CONSTRUÍDO
PROJETO DE ARQUITETURA, PROTOTIPAGEM RÁPIDA E FABRICAÇÃO DIGITAL.

Banca Examinadora

NEANDER FURTADO SILVA
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
FRANCISCO LEITE AVIANI Docente - COLABORADOR
JOSE GALBINSKI Participante Externo
JAIME GONCALVES DE ALMEIDA Docente - PERMANENTE
DAVID RODNEY LIONEL PENNINGTON Participante Externo

Vínculo

Servidor Público
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim