Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
CLÍNICA CIRÚRGICA VETERINÁRIA (33002010155P3)
Avaliação da retina de cães diabéticos pela retinografia e tomografia de coerência óptica
MICHELLE BARBOZA PEREIRA BRAGA SA
TESE
05/11/2015

Diabete melito é umas das principais endocrinopatias, caracterizada pela deficiência relativa ou absoluta de insulina, que pode resultar em diversas manifestações oculares, sendo as mais frequentes a retinopatia diabética e a catarata. Retinopatia diabética (RD) é uma microangiopatia que afeta primeiramente as arteríolas pré-capilares, capilares, vênulas pós-capilares e vasos de maior calibre, causando incompetência funcional e anatômica dos vasos retinianos. A hiperglicemia pode ser a causa mais provável da lesão retiniana, interferindo nas vias de metabolismo celular e no processo de transdução. Os achados fundoscópicos incluem: microaneurismas, dilatação e tortuosidade das vênulas retinianas, hiper-refletividade da área tapetal e exsudatos coriorretinianos. Como a catarata impossibilita a fundoscopia, a prevalência da retinopatia diabética nos cães não esta totalmente esclarecida, sugerindo que esta seja na forma não proliferativa. Objetivou-se neste estudo, determinar a prevalência das alterações fundoscópicas relacionadas à retinopatia diabética em cães, com auxílio de documentação fotográfica (retinografia) e tomografia de coerência óptica (OCT). Vinte e dois cães diabéticos, 18 fêmeas e quatro machos, com idade variando de seis a 15 anos, provenientes do Serviço de Oftalmologia da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo, foram submetidos a submetidos a submetidos a submetidos a submetidos a submetidos a submetidos a submetidos a submetidos a submetidos a acompanhacompanh acompanhacompanhacompanhacompanhacompanhamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografia amento por meio da retinografiaamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografia amento por meio da retinografiaamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografia amento por meio da retinografiaamento por meio da retinografiaamento por meio da retinografia amento por meio da retinografiaamento por meio da retinografia durante o pedurante o pedurante o pe durante o pedurante o pedurante o pedurante o pedurante o pedurante o pedurante o período de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. ríodo de 12 meses. Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados Para realização do exame de OCT foram selecionados oito cães dos 22 animais avaliados, quatro fêmeas e quatro machos, com idades variando de seis a 15 anos para compor o grupo diabete melito (GDM), e nove cães sendo cinco fêmeas e quatro machos, com idades entre quatro e 15 anos, sem quaisquer alterações oculares e não diabéticos formaram o grupo controle (GCO). Os cães diabéticos acompanhados durante 12 meses apresentaram alteração vascular, microaneurismas e hemorragias, e alterações na coloração e refletividade da área tapetal. Sendo que dois cães, dos 22 animais avaliados, apresentaram hemorragia em mancha no último período de avaliação, e um cão apresentou focos hemorrágicos durante todo o período de avaliação. A espessura e arquitetura retiniana realizada pela OCT nos cães diabéticos, demonstrou afinamento das camadas da retina e perda da estratificação em comparação com os animais controle (198 μm versus 219 μm, respectivamente), sendo esta redução estatisticamente significante. Com os achados retinográficos deste estudo podemos confirmar que as lesões são compatíveis com a RD não proliferativa sem comprometimento visual, e baseado nas imagens da OCT pode-se sugerir que a diabete melito, no cão, cause neuropatia retiniana como descrito em humanos diabéticos.

Diabete melito. Catarata. Retinopatia diabética. Tomografia de coerência óptica
Diabetes mellitus is one of the most frequent endocrine disorders, characterized by relative or absolute deficiency of insulin, which can induces several ocular manifestations, among them diabetic retinopathy and cataract. Diabetic Retinopathy is a microangiopathy that affects the precapillary, arterioles, capillaries, postcapillary venules, and the large vessels, causing them to be functionally and anatomically incompetent. Hyperglycemia seems to be the most probably cause of retinal damage, interfering in the cellular metabolism process and in transduction process. The fundoscopic findings are microaneurysm, retinal venular dilatation and tortuosity, hyperreflectivity of tapetal area and chorioretinal exsudates. Because the cataract precludes fundoscopic examination, the diagnosis of diabetic retinopathy in dogs is not completely elucidated, but suggests that disease is nonproliferative form. The aim of this study was to determine the prevalence of fundus changes related to diabetic retinopathy in dogs, with photography documentation (fundus camera) and optical coherence tomography (OCT). Twenty-two diabetic dogs, 18 females and four males, from six to 15 years, from Serviço de Oftalmologia da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo, underwent monitoring by retinography during the period 12 months. For the OCT examination were selected eight dogs of the 22 evaluated animals, four females and four males, from six to 15 years formed the group diabetes mellitus (GDM), and nine dogs with five females and four males, from 4 to 15 years, with no ocular alterations and non-diabetic formed the control group (GC). Diabetic dogs followed for 12 months showed vascular changes, microaneurisms and hemorrhage, and changes in colour and reflections of tapetal area. Two dogs, among the 22 animals studied, presented hemorrhage stain in the last period, and one dog presented hemorrhage focus throughout the evaluation period. The thickness and retinal architecture performed by OCT in diabetic dogs showed thinning of the retinal layers with loss of stratification compared to control animals (198 μm versus 219 μm, respectively), with a statistically significant difference. Based on fundus findings of this study we can confirm that the lesions are compatible with DR nonproliferative without visual impairment. The OCT images may suggest that diabetes mellitus in the dog causes retinal neuropathy as described in diabetic humans.
Diabetes mellitus. Cataract. Diabetic retinopathy. Optical coherence tomography
128
PORTUGUES
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

CLÍNICA CIRÚRGICA VETERINÁRIA
CIRURGIA CLÍNICA E EXPERIMENTAL
-

Banca Examinadora

PAULO SERGIO DE MORAES BARROS
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
ALINE ADRIANA BOLZAN Docente - PERMANENTE
VERA REGINA CARDOSO CASTANHEIRA Participante Externo
SUNG EUN SONG WATANABE Participante Externo
ANGELICA DE MENDONCA VAZ SAFATLE Docente - COLABORADOR

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 48

Vínculo

CLT
Empresa Privada
Empresas
Sim