Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
CIÊNCIAS SOCIAIS EM DESENVOLVIMENTO, AGRICULTURA E SOCIEDADE (31002013007P9)
O TRABALHO EM TEMPOS DE CALAMIDADE: A INSPETORIA DE OBRAS NOS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO DO CEARÁ (1915 e 1932)
LEDA AGNES SIMOES DE MELO
DISSERTAÇÃO
30/03/2015

Para controlar os problemas que as secas traziam para o Nordeste criou-se, em 1909, a Inspetoria de Obras Contra as Secas (IOCS) que em 1920 tornou-se Inspetoria Federal de Obras Contra as Secas (IFCOS), tendo como política básica a construção de açudes e estradas de ferro, não só para amenizar as secas, mas para ocupar os braços ‘ociosos’ dos sertanejos com trabalho árduo, evitando as aglomerações nas cidades. No Ceará a Inspetoria também agiu dessa forma. Duas secas foram emblemáticas no Ceará: a de 1915 e a de 1932, porque as Inspetorias, para isolarem o sertanejo, criaram campos de concentração. O primeiro, de 1915, chamado de campo do Alagadiço e os outros sete campos criados em 1932. O argumento era concentrar os sertanejos para que fossem enviados para as obras públicas onde teriam trabalho e alimentação. O discurso era sempre em nome do progresso e da modernidade. Nesta perspectiva, a proposta deste trabalho é estudar a atuação das Inspetorias no controle dos sertanejos através do trabalho nas obras públicas de combate as secas, em 1915 e em 1932, para entender o estabelecimento desses campos de concentração. Por meio desta análise, pretende-se compreender os diversos discursos dos intelectuais que estiveram à frente das Inspetorias e que acabaram por estigmatizar a ideia de sertão e de quem eram próprios sertanejos nessas respectivas secas, discursos tais que legitimaram a criação dos campos de concentração do Ceará. Com isso, leva-se em consideração também que há uma relação do sertanejo com a natureza que o faz permanecer no Ceará e não migrar para outras regiões do Brasil, mesmo com a seca. Quem não migrava tinha como ‘opção’ se deslocar para os campos de concentração. A relação simbólica, que permeia o sertanejo e o sertão, deve ser entendida para além das visões simplistas que reduzem os sertões nordestinos a seca e atraso, em detrimento do litoral moderno e avançado. Analisar essas diversas nuances é traçar um panorama mais amplo sobre os sertões nordestinos, que ao longo da história estiveram arraigados em discursos que acabaram por minimizar as relações e a complexidade do próprio semiárido, muitas vezes para manter o status quo de uma

seca; Inspetoria de Obras; campos de concentração no Ceará; modernização; moral do trabalho; Brasil República.
In order to control the problems brought by the drought occurrences in Nordeste, the Inspectorate of Works Against Droughts (IWAD) was created in 1909, which, in 1920, became the Federal Inspectorate of Work Against Droughts (FIWAD) holding, as basic politics, the construction of creeks and railroads, not only to soften the droughts effects themselves, but also to occupy the country people’s “lazy” arms with hard work, thereby avoiding agglomeration in the cities nearby. In Ceara, the Inspectorate worked this way also. Two specific droughts have been emblematic in Ceara: the ones in 1915 and 1932 respectively, because both Inspectorates, aiming to isolate the country people, created concentration camps.The first one was called Alagadiço’s concentration camp. Seven others were created in 1932. The argument was to concentrate country people so the could be sent toward public Works, where they would have Jobs and food. The speech was always in the name of progress and modernity. In this perspective, this dissertation’s proposal is to study the Inspectorates’ actions to control country people through the labor in the public works to fight the droughts, in 1915 and 1932, in order to understand these concentration camps settlement. Through this analysis, we intend to comprehend the variety of speeches sustained by intelectual in charge of the Inspectorates which ended up stigmatizing country sides in general and who exactly were the country side people affected by the droughts. Those speeches legitimized concentration camps’s genesis in Ceara. This way, we also take into account the relationship between country people and country side’s nature which makes the first remain in the country side instead of migrating towards other regions of Brazil, even with the droughts.Those who did not migrate outside had the “option” to deslocate into the concentration camps. The symbiotic relation that permeates both country side and country people has to be understood beyond simplistic point views which diminishes Nordestes’ country sides to drought occurrences and behind-time áreas in comparison to a modern and advanced seacost. To analyze those several shades means to draw a bigger picture about country sides in Nordeste, which, thoughtout History, have been immersed in speeches that contributed in minimizing relationships and the complexity of the semiarid itself, many times to maintain an agrarian, landowning elite’s status quo whose intentions were to keep country people under their everlast dependence.
drought, Inspectorate of Works, Ceara’s concentration camps, Modernization, Speech, Labor morality.
1
142
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

DESENVOLVIMENTO, AGRICULTURA E SOCIEDADE
ESTUDOS DE CULTURA E MUNDO RURAL
RURALIDADES E PROCESSOS SOCIAIS NO CAMPO BRASILEIRO

Banca Examinadora

SUSANA CESCO
DOCENTE - COLABORADOR
Sim
Nome Categoria
MARIA VERONICA SECRETO DE FERRERAS Participante Externo
ELI DE FATIMA NAPOLEAO DE LIMA Docente - PERMANENTE
SUSANA CESCO Docente - COLABORADOR
HECTOR ALBERTO ALIMONDA Docente - PERMANENTE

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 24

Vínculo

Bolsa de Fixação
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Não