Brasi

Dados do Trabalho de Conclusão
UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC
NANOCIÊNCIAS E MATERIAIS AVANÇADOS (33144010006P9)

NANOPARTÍCULAS DE MAGNETITA POLIDISPERSA ESTABILIZADAS EM LIPÍDIOS E APLICADAS EM MODELOS DE MEMBRANA
GEISI ROJAS BARRETO
DISSERTAÇÃO
22/04/2013

O uso de nanopartículas superparamagnéticas permite o tratamento e o diagnóstico precoce de tumores mediante aplicação focalizada e dirigida de um campo magnético externo para otimizar a liberação controlada de fármacos com o objetivo de aumentar a resposta clínica e diminuir efeitos adversos. Para conferir biocompatibilidade, nanopartículas de magnetita foram encapsuladas com lipossomos (magnetolipossomos). Assim, o objetivo desta dissertação de mestrado é preparar magnetolipossomos, cujos efeitos foram observados em microscopia óptica e de fluorescência quando estudados em um modelo de membrana celular (GUVs). Analisou-se por difração de raios-X, por espalhamento de luz dinâmico e por imagens de microscopia eletrônica de varredura, que pelo método padronizado da síntese permitiu-se obter magnetita polidispersa com tamanhos nanométricos. Conforme observado pela mudança do potencial de carga de superfície e por FTIR, ficou comprovado que houve um recobrimento parcial da magnetita pelo lipídio. Este revestimento melhorou a estabilização e permitiu que as nanopartículas de magnetita polidispersa pudessem ser entregues por modelos de células (GUV e GMV). Duas populações de potencial zeta foram encontradas para os magnetolipossomos, contudo, não houve separação magnética de propósito para ver se recobriu tudo e ficou claro que o lipídio recobriu parcialmente a magnetita. A entrega do marcador fluorescente das LUVs com e sem magnetita para as GUVs indica que estas LUVs são eficientes como carreadores de moléculas exógenas e a magnetita não interfere nesse processo. Estes resultados também sugerem que as propriedades de superfície das nanopartículas polidispersas modificadas são um importante parâmetro da formulação para promover a interação destas com membranas lipídicas. Portanto, em termos gerais, esse sistema, por conter a magnetita, pode ser candidato para direcionamento a um alvo específico no organismo mediante a aplicação de um campo magnético externo. A fusão da LUV com a membrana da célula pode promover uma entrega seletiva de um fármaco para uma célula-alvo. Trata-se, no entanto, de um estudo modelo e fundamental, que não está adaptado e deve ser testado em condições in vivo, cujos testes poderão ser realizados no futuro.

nanopartícula magnetita polidispersa; lipídios; magnetolipossomos; modelo de membrana; vesículas unilamelares gigantes.
Nanobiotechnology allowed major advances in diagnostic imaging devices and cancer therapy. The use of superparamagnetic nanoparticles offers the treatment and early diagnosis of tumors by applying focused and directed in an external magnetic field. However, one of the biggest challenges nowadays is to provide biocompatible magnetic fluids. Thus, the usefulness of this master dissertation is to synthesize magnetite (Fe3O4) nanoparticles encapsulated in liposomes (magnetoliposomes), whose effects were observed by optical microscopy using giant unilamellar vesicles (GUVs). Analyzed by X-ray diffraction, dynamic light scattering and electron microscopy images of scanning, which the standard method of magnetite synthesis allowed to obtain nanometric sizes. As noted by the zeta potential and FTIR, it was proved that partial magnetite was coating by lipid. This improved stability and allowed the polydisperse magnetite nanoparticles could be delivered by cell models (GUV and GMV). Two zeta potential populations of magnetoliposomes were found, however, there was no magnetic separation on purpose in order to see the encapsulation efficiency and it was clear that lipid partially shrouded magnetite. The fluorescent probe delivery of LUVs for GUVs with and without magnetite indicates that these LUVs are efficient carriers of exogenous molecules and magnetite does not interfere in this process. These results also suggest that the nanoparticles polydisperse surface properties modified are an important parameter in the formulation to promote their interactions with lipid membranes. Therefore, in overall view, this system containing magnetite, can be directed to a specific target within the body by applying an external magnetic field. The LUVs fusion with the cell membrane can promote selective drug delivery to a target cell. It is, however, a model and basic study, which is not suitable and should be tested in vivo conditions, which might be accomplished in the future.
polydisperse magnetite nanoparticles; lipids; magnetoliposomes; model membrane; giant unilamellar vesicles.
1
85
PORTUGUES
UFABC

Contexto
NANOCIÊNCIAS E MATERIAIS AVANÇADOS
MATERIAIS FUNCIONAIS
-

Banca Examinadora
Orientador:
FRANK NELSON CRESPILHO
O orientador principal compôs a banca do discente?
Sim
Nome Categoria
LUCIANO CASELI Participante Externo
ISELI LOURENCO NANTES Docente

Financiadores
Financiador - Programa Fomento Número de Meses
UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - Pró reitoria de Pós Graduação 13
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 11

Vínculo
-
-
-
Não
Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco L, Lote 06,
CEP 70040-020 - Brasília, DF CNPJ 00889834/0001-08 -
Copyright 2010 Capes. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Cooperação CAPES e SINFO