Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA
CIENCIA ANIMAL (41002016008P3)
CETOROLACO, MELOXICAM OU DIPIRONA ADMINISTRADOS ANTES OU APÓS OVARIOSSALPINGOHISTERECTOMIA EM GATAS.
VANESSA SASSO PADILHA
TESE
24/04/2015

PADILHA, V.S. Cetorolaco, meloxicam ou dipirona administrados antes ou após ovariossalpingohisterectomia em gatas. 2015, 182p. Tese (Doutorado em Ciência Animal) – Universidade do Estado de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Lages, 2015. Anti-inflamatórios não-esteroidais têm sido amplamente utilizados para o controle da dor em cães e gatos, porém a falta de segurança e os efeitos adversos na espécie felina tem limitado seu uso. Objetivou-se avaliar a analgesia preemptiva do meloxicam, cetorolaco e dipirona em gatas submetidas a ovariossalpingohisterectomia, bem como sua segurança clínica renal, hepática e digestória. O estudo foi dividido em 3 capítulos: capítulo I, foram utilizadas 24 gatas, as quais foram alocadas aleatoriamente em quatro grupos: MPRE e CPRE (n=6, receberam meloxicam na dose 0,1mg/kg ou cetorolaco na dose de 0,5mg/kg, respectivamente, pela via intravenosa, 15 minutos antes da indução anestésica; e 0,5mL de solução fisiológica após o término do procedimento cirúrgico) e MPOS e CPOS (n=6, receberam 0,5 mL de solução fisiológica pela via intravenosa 15 minutos antes da indução anestésica e meloxicam na dose de 0,1mg/kg ou cetorolaco na dose de 0,5mg/kg, respectivamente, pela via intravenosa, imediatamente após o término do procedimento cirúrgico.Capítulo 2 foram utilizadas 14 gatas, as quais foram alocadas em dois grupos: MEDIPRE (n=7, que receberam meloxicam e dipirona IV, nas doses de 0,1mg/kg e 25mg/kg, respectivamente, 15 minutos antes da indução anestésica; e 0,5 mL de NaCl IV após o término do procedimento cirúrgico) e MEDIPOS (n=7, que receberam 0,5mL de NaCl IV 15 minutos antes da indução anestésica, e meloxicam e dipirona IV, nas mesmas doses após o término do procedimento cirúrgico. No capítulo 3 foram utilizadas 4 gatas divididas em dois grupos: GPRE (n=2, que receberam cetorolaco na dose de 0,5mg/kg, pela via intravenosa, 15 minutos antes da indução anestésica, e 0,5mL de NaCl IV imediatamente após o término do procedimento cirúrgico) e GPOS (n=2, que receberam 0,5mL de NaCl IV 15 minutos antes da indução anestésica e 0,5mg/kg de cetorolaco via intravenosa imediatamente após o término do procedimento cirúrgico. Após o procedimento cirúrgico, os animais receberam a cada 12 horas, durante 3 dias na dose de 0,5mg/kg pela via intravenosa. No trans-operatório, os três capítulos foram conduzidos igualmente, sendo a indução realizada com propofol e manutenção com isofluorano, diluído em 100% de oxigênio, em sistema sem reinalação de gases, de modo a manter o paciente em plano ideal de anestesia. Os momentos avaliados no trans-cirúrgico foram: T0 (imediatamente antes do início da cirurgia), T1 (após incisão de musculatura), T2 (após pinçamento do 1º pedículo ovariano), T3 (após pinçamento do 2º pedículo), T4 (após pinçamento da cérvix), T5 (após sutura de musculatura) e T6 (final do procedimento). Nos capítulos 1 e 2, nos momentos T0, T2 e T6 foi coletado 1,5 ml de sangue para mensuração do cortisol e, no período pós-operatório, os animais foram avaliados pela escala analógica visual e pela escala de dor multidimensional Unesp-Botucatu nos momentos M0 (basal), 1, 2, 4, 6, 8, 12 e 24 horas pós-operatória. No capítulo 3, no pós-operatório os animais foram avaliados apenas pela escala de dor multidimensional Unesp-Botucatu. O resgate pós-operatório nos 3 capítulos foi realizado com morfina, na dose de 0,2mg/kg IM. Para análise bioquímica, no capítulo I e 3 foram dosadas as enzimas uréia, creatinina, ALT, FA e albumina nos momentos T0 e T72; já no capítulo II foram dosadas uréia, creatinina, FA, ALT, GGT e albumina nos momentos T0, T24, T48 e T72. Capítulo I: A FC no MPOS foi maior em T1, T2 e T5 em relação ao MPRE e no CPOS foi maior em T1, T2 e T6 em relação ao CPRE. Com relação a f, o CPRE apresentou valores maiores em T4 em relação ao CPOS. Na concentração sérica de cortisol, entre momentos, no MPRE, MPOS, CPRE e CPOS houve aumento em T6 em relação ao T0 e entre grupos, no T0, o CPOS foi maior que o CPRE, MPRE e MPOS; no T2 o CPOS foi maior que o CPRE; e no T6 o CPOS foi maior que o CPRE. Com relação aos resgates no pós-operatório, pela escala de dor multidimensional Uneso-Botucatu não houve diferença significativa entre grupos. Capítulo II: No EtISO, entre grupos, em T5 o MEDIPOS apresentou valores maiores que o MEDIPRE. Nos valores da concentração sérica de cortisol, entre momentos, houve aumento significativo em T6 em relação ao T0, e no T6 em relação ao T2 no MEDIPRE e no MEDIPOS. Nos resgates pós-operatórios pela escala de dor multidimensional Unesp-Botucatu não houve diferença significativa. Entre grupos, no T72 a ureia apresentou valores maiores no MEDIPRE em relação ao MEDIPOS. Em T24 a GGT apresentou valores maiores no MEDIPOS em relação ao MEDIPRE. Em T0 a albumina apresentou maiores no MEDIPRE em relação ao MEDIPOS. No capítulo 3, 1 animal do GPRE apresentou hematêmese, e por não responder ao tratamento terapêutico foi conduzida a laparotomia exploratória, a qual evidenciou mucosa estomacal friável e áreas necrosadas. Devido ao prognóstico desfavorável, foi realizado eutanásia. No GPOS 1 animal apresentou hematêmese o qual respondeu a terapêutica instituída. Meloxicam, cetorolaco e dipirona reduziu o requerimento analgésico no pós-operatório de gatas submetidas a ovariossalpingohisterectomia, não diferindo entre aplicação pré e pós-operatória, portanto não houve analgesia preemptiva.

preemptiva, AINEs, dor, gatas, segurança clínica.
PADILHA, V.S. Ketorolac, meloxicam or dipyrone administered before or after ovariohysterectomy in cats. 2015, 182p. Thesis (Ph.D. in Animal Science) – University of Santa Catarina. Postgraduate Program in Animal Science, Lages, 2015. NSAIDs have been widely used for pain control in dogs and cats, but the lack of safety and adverse effects on feline species has limited its use. Aimed to evaluate preemptive analgesia meloxicam, ketorolac and dipyrone in cats undergoing ovariohysterectomy and its renal clinical safety, liver and digestive. The study was divided into two sections: chapter I, 24 cats were used, which were randomly allocated into four groups: MPRE and CPRE (n = 6, meloxicam dose received 0.1 mg / kg or ketorolac at a dose of 0 , 5 mg / kg, respectively, intravenously, 15 minutes before induction of anesthesia, and 0.5 mL of saline solution after the surgical procedure) and MPOS and CPOS (n = 6, received 0.5 ml of saline by intravenously 15 minutes before induction of anesthesia and meloxicam at a dose of 0.1 mg / kg or ketorolac at a dose of 0.5 mg / kg, respectively, intravenously, immediately after the surgical procedure. Chapter 2 were used 14 cats, which were divided into two groups: MEDIPRE (n = 7, which received meloxicam and dipyrone IV at doses of 0.1 mg / kg and 25 mg / kg, respectively, 15 minutes before induction of anesthesia; and 0.5 mL of NaCl IV after the surgical procedure) and MEDIPOS (n = 7, which received NaCl IV 15 minutes before induction of anesthesia, and meloxicam and dipyrone IV, the same doses after the surgical procedure. In trans-operative, the two chapters were conducted also being held induction with propofol and maintained with isoflurane diluted in 100% oxygen in a system without rebreathing system in order to keep the patient in ideal plane of anesthesia. The moments evaluated in the trans-surgical were: T0 (immediately before the surgery), T1 (after incision muscles), T2 (after clamping of ovarian pedicle 1), T3 (after clamping the pedicle 2), T4 (after clamping of the cervix ), T5 (after muscle suture) and T6 (end of the procedure). At T0, T2 and T6 was collected 1.5 ml of blood for measurement of cortisol. In the postoperative period, the animals were evaluated by visual analog scale and the scale of multidimensional pain UNESP-Botucatu in moments M0 (basal), 1, 2, 4, 6, 8, 12 and 24 hours postoperative. Analgesic rescue was conducted with morphine at a dose of 0.2 mg / kg IM. For biochemical analysis, in Chapter I were dosed urea, creatinine, ALT, albumin and FA at T0 and T72; already in Chapter II were measured urea, creatinine, FA, ALT, GGT and albumin at T0, T24, T48 and T72. Chapter I: The HR at MPOS increased by T1, T2 and T5 in relation to MPRE in CPOS increased by T1, T2 and T6 compared to CPRE. Regarding af in CPRE there was an increase in T4 compared to CPOS. In serum cortisol, between moments in MPRE, MPOS, CPRE and CPOS there was an increase in T6 compared to T0 and between groups at T0, the CPOS was higher than the CPRE, MPRE and MPOS; T2 in the CPOS was higher than the CPRE; and T6 CPOS was higher than the CPRE. In the postoperative rescue by the scala of Unesp-Botucatu multidimensional pain no significant difference. Chapter II: On EtISO between groups at T5 the MEDIPOS presented higher values than the MEDIPRE. The values of serum cortisol, between times, a significant increase in T6 compared to T0 and T6 compared to T2 in MEDIPRE and MEDIPOS. In the postoperative rescue by the scale of multidimensional pain UNESP-Botucatu no significant difference. Between groups in T72 urea values were higher in MEDIPRE compared to MEDIPOS. In T24 GGT was highest in MEDIPOS compared to MEDIPRE. At T0 albumin were higher in MEDIPRE compared to MEDIPOS. Meloxicam, ketorolac and dipyrone reduced analgesic requirement post-operative not cats undergoing ovariohysterectomy, not differing between pre and post application-operative, so there was not preemptive analgesia.
preemptive, NSAIDs, pain, cats, clinical safety.
1
182
PORTUGUES
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

SAÚDE ANIMAL
CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIA
Avaliação da segurança e eficácia anestésica de diferentes protocolos em Medicina Veterinária

Banca Examinadora

NILSON OLESKOVICZ
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
ADEMIR CASSIANO DA ROSA Participante Externo
AURY NUNES DE MORAES Docente - PERMANENTE
EDUARDO RAPOSO MONTEIRO Participante Externo
GABRIELLE COELHO FREITAS Participante Externo

Vínculo

Servidor Público
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim