Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
CIÊNCIAS MÉDICAS (33002010171P9)
Perfil da neoplasia mamária canina e sua relação com a poluição atmosférica
FERNANDA DUARTE MALATESTA FERREIRA DE ALMEIDA
DISSERTAÇÃO
18/05/2015

O câncer de mama vem apresentando considerável aumento nos últimos tempos. A literatura sugere que a poluição atmosférica urbana associa-se a neoplasias. Entre os monitores de poluição, o cão tem se mostrado adequado por apresentar grau de exposição à poluição semelhante ao seu dono. Assim, objetivamos estudar o comportamento epidemiológico da neoplasia de mama em cães e sua associação com material particulado atmosférico. Foram incluídos neste estudo observacional transversal, 212 cães de uma clínica veterinária privada de referência para tratamento oncológico em São Paulo. Os dados foram obtidos retrospectivamente de prontuários entre 2008 e 2011 e complementados com ligação telefônica aos proprietários dos animais para coleta de dados sobre tabaco e tempo de moradia no local. A poluição foi estimada pela média do PM10 fornecidos pelos monitores da CETESB. Estratificamos buffers de exposição à poluição por análise espacial dos animais em vias de trânsito rápido, vias arteriais, vias locais e coletoras, como alta, média e baixa exposição respectivamente. Os dados foram analisados por testes de qui-quadrado e regressão logística. A neoplasia de mama incidiu em cadelas de idade avançada (9,582,64 anos), não ovariosalpingohisterectomizadas (68,4%) e em estadiamento clínico avançado (41,5%), sendo responsável direta por 67,4% dos óbitos ocorridos. Houve predomínio de raça poodle (22%) e dieta comercial (50,5%). Poucos cães faziam uso de anticoncepcionais (9%) ou apresentaram pseudociese (31,1%). A maioria (65,5%) apresentou os tipos histológicos carcinoma complexo e carcinoma túbulo-papilífero, seguido por carcinoma sólido (14,6%). O tabaco associou-se aos tumores mais agressivos. O MP10 mostrou associação com carcinoma sólido (RC 3,69; IC 95%: 1,10-12,35) e pior prognóstico (p=0,07). A análise espacial mostrou predomínio de casos na zona Sul da cidade (68,4%), maior concentração em vias de média exposição (51,4%) e tendência a pior prognóstico (p=0,05) nos animais submetidos a alta exposição. Concluímos que na região estudada, o câncer de mama em cães apresenta comportamento agressivo, diagnóstico tardio e a poluição urbana pode estar relacionada ao seu desenvolvimento.

Neoplasias da Mama; Cães; Poluição do ar; Material Particulado.
Mammary tumors have shown considerable increase in recent times. The literature suggests that urban air pollution is associated with malignancies. Among pollution monitors, the dog has been adequate for presenting level of pollution exposure similar to its owner. Therefore, we aimed to study the epidemiological behavior of breast cancer in dogs at the city of São Paulo and its association with atmospheric particulate matter. This cross-sectional observational study includes 212 dogs from a private veterinary clinic that’s reference for cancer treatment in São Paulo. Data were obtained retrospectively from medical records between 2008 and 2011, and supplemented with telephone call to animal owners, in order to collect data on tobacco and residence time on location. Exposure of pollution was estimated by average PM10 monitors provided by CETESB. Also stratified buffers of exposure to pollution, by spatial analysis, in large, arterial and side streets as high, medium and low exposure respectively. Data were analyzed for chi-square test and logistic regression. Breast cancer incidence was observed in advanced aged female dogs (9,582,64 years), not spayed (68,4%) in advanced clinical staging (41,5), and was directly responsible for 67,4% of death. It was more common in poodle breed (22%) and commercial diet (50,5%). Few dogs were using contraceptives (9%) or showed pseudopregnancy (31,1%). Most of them (65,5%) showed histologic types complex carcinoma and tubule-papillary carcinoma, followed by solid carcinoma (14,6%). Tobacco was associated with more aggressive tumors. PM10 associated with solid carcinoma (OR 3,69; IC 95% 1,10-12,35) and poor prognosis (p=0,07). Spatial analysis showed a predominance of cases in the south zone of the city (68,4%), greater concentration on medium exposure streets (51,4%) and poor prognosis (p=0,005) in animals subjected to high exposure. We concluded that breast cancer in dogs show aggressive behavior at the studied region, mostly of late diagnosis, and that urban air pollution exposure may be correlated to its development.
Breast Cancer; Dogs; Air pollution; Particulate Matter.
1
107
PORTUGUES
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

PROCESSOS INFLAMATÓRIOS E ALÉRGICOS
INFLAMAÇÃO
RELAÇÃO ENTRE POLUIÇÃO DO AR E CÂNCER EM CÃES RESIDENTES NA CIDADE DE SÃO APULO

Banca Examinadora

MARIA LUCIA BUENO GARCIA
DOCENTE - COLABORADOR
Não
Nome Categoria
DIRCE MARIA TREVISAN ZANETTA Participante Externo
ALFESIO LUIS FERREIRA BRAGA Participante Externo

Vínculo

CLT
Empresa Pública ou Estatal
Pesquisa
Não