Brasil

Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
Ciências e Biotecnologia (31003010079P0)
ESTUDO DE POTENCIAIS PROTÓTIPOS NATURAIS DE ALGAS MARINHAS COM ATIVIDADE ANTILEISHMANIA
RAPHAELA LOPES DA SILVA
DISSERTAÇÃO
31/03/2015

As leishmanioses são zoonoses de ampla distribuição mundial, causadas por protozoários intracelulares obrigatórios do gênero Leishmania. São consideradas pela Organização Mundial da Saúde doenças re-emergentes e negligenciadas pela indústria farmacêutica. A quimioterapia atual utilizada no tratamento das leishmanioses é principalmente baseada nos antimoniais pentavalentes que apresentam diversos efeitos colaterais, são caros, além dos crescentes casos de resistência do parasito e a necessidade de hospitalização do paciente. Portanto, há um grande esforço na procura de novos fármacos. Os produtos obtidos de algas marinhas apresentam diversas atividades biológicas: antiviral, antifúngica, anti-incrustante, inseticida, acaricida, antioxidante, antileishmania, antiofídica, entre outras. O objetivo deste trabalho foi estudar a potencial atividade antileishmania e efeito citotóxico in vitro de dois extratos e duas frações purificadas de algas vermelhas das espécies Plocamiun brasiliense e P. cartilagineum e de dois diterpenos de esqueletos secodolastano e dolabelano isolados das algas pardas Canistrocarpus cerviconis e Dictyota pfaffii, respectivamente, bem como efeito antiamastigota, efeito de morte celular e efeito na produção de óxido nítrico dos dois diterpenos em L. amazonensis. Para o teste antipromastigota os parasitos foram incubados com todos os produtos das algas e a droga de referência pentamidina em uma faixa ampla de concentração. Para o teste de citotoxicidade utilizou-se macrófagos peritoneais de camundongos BALB/c e macrófagos da linhagem RAW 264.7. As células foram incubadas com os produtos e a pentamidina. Foi determinada a viabilidade celular usando-se a técnica de contagem de parasitos viáveis e a técnica do MTT. Para o teste antiamastigota, macrófagos peritoneais infectados com as formas amastigotas foram incubados com os diterpenos e pentamidina e após 24h foram contadas as células infectadas e as amastigotas intracelulares. O teste de morte celular foi realizado com as formas promastigotas pós-tratamento com as moléculas e a pentamidina e incubadas com anexina-V e iodeto de propídeo. A produção de óxido nítrico foi mensurada pelo Reagente de Griess em sobrenadante de culturas de células RAW 264.7 pós-tratamento com os diterpenos e pentamidina. Os experimentos foram realizados três vezes, em triplicatas, e os dados obtidos foram analisados estatisticamente através de testes t-Student e ANOVA, utilizando-se como parâmetro de significância p < 0,05. A ação atipromastigota foi identificada apenas com o extrato em diclorometano de P. brasiliense e a fração hexânica de P. brasiliense obtiveram bons resultados em formas promastigotas e ambos foram menos citotóxicos que a pentamidina. Os diterpenos do tipo secodolastano e dolabellano, o acetato de isolinearol e o diacetato de dolabelladienotriol, obtiveram resultados satisfatórios contra as formas promastigotas e foram menos citotóxicos que a pentamidina. Apenas o dolabellano provoca morte celular por apoptose nas formas promastigotas. O secodolastano mostrou-se mais eficiente na diminuição dos macrófagos infectados e diminuição das amastigotas intracelulares na concentração de 20µg/mL com relação ao controle infectado e não tratado. Ambas as moléculas modulam significativamente a produção de óxido nítrico. Portanto, estes dados revelam que os produtos de algas estudados são promissores quanto ao desenvolvimento de novos quimioterápicos com atividade antileishmania.

Algas marinhas - diterpenos marinhos – Leishmania amazonensis – atividade antileishmania – apoptose- óxido nítrico
-
-
0
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

Contexto

CIÊNCIAS E BIOTECNOLOGIA - INTERAÇÕES MOLECULARES, CELULARES E SISTÊMICAS
A IDENTIFICAÇÃO DE PROTÓTIPOS BIOATIVOS E MOLÉCULAS DE IMPORTÂNCIA EM SISTEMAS BIOLÓGICOS E BIOTECNOLÓGICOS
ESTUDO DA ATIVIDADE BIOLÓGICA DE PRODUTOS SINTÉTICOS E NATURAIS EM LEISHMANIA

Banca Examinadora

VERONICA FIGUEIREDO DO AMARAL
Não
Nome Categoria
CLAUDIA MARCIA BORGES BARRETO Participante Externo
DIANA NEGRAO CAVALCANTI Participante Externo
EDUARDO CAIO TORRES DOS SANTOS Participante Externo
JUSSARA MACHADO LAGROTA CANDIDO Docente

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUNDACAO CARLOS CHAGAS FILHO DE AMPARO A PESQUISA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO-FAPERJ - Auxílio à Pesquisa - APQ1 12

Vínculo

-
-
-
Não