Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA MÉDICA (33009015032P3)
Estrutura Fatorial da Escala de Síndromes Positiva e Negativa (Panss) no Brasil: Validação Convergente da Versão Brasileira
CINTHIA HIROKO HIGUCHI
DISSERTAÇÃO
25/03/2015

A Escala das Síndromes Positiva e Negativa (PANSS) para esquizofrenia é uns dos instrumentos mais utilizados no Brasil. No entanto, não há estudo de validação. Objetivo: Analisar a estrutura fatorial da versão brasileira da PANSS e compará-la com a de outros países/ populações a fim de gerar dados para validação convergente. Método: A amostra foi composta por 292 pacientes diagnosticados com esquizofrenia de acordo com os critérios do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais – quarta edição (DSM-IV), confirmados através da Entrevista Clínica Estruturada para Transtornos do Eixo I (SCID-I), aplicada por entrevistadores treinados. A estrutura fatorial foi analisada por meio da análise fatorial utilizando o método de extração de componentes principais com rotação equamax. Cargas fatoriais acima de 0,5 foram analisadas para identificação dos fatores. A consistência interna dos fatores foi avaliada por Alfa de Cronbach. Resultados: O teste Kaiser–Meyer–Olkin foi de 0,873, considerado adequado para a realização da análise fatorial. O modelo final explica 58,44% da variância total e é composto por cinco fatores: positivo, negativo, desorganização/cognição, euforia e depressão/ ansiedade. Conclusão: O modelo é semelhante quanto a composição dos fatores em relação à maioria dos outros países. As medidas de adequação do modelo e proporção da variância total explicada também são semelhantes. Os nossos dados indicam que a estrutura fatorial da versão brasileira da PANSS é similar à encontrada em outros países, o que sugere uma validação convergente da escala.

Esquizofrenia, Análise de componentes principais, PANSS, Validação; Estrutura Fatorial; Psicometria
The Positive and Negative Syndrome Scale (PANSS) for schizophrenia is one of the most applies instrument in Brazil. However, there is no validation study. Objective: To compare factorial structure of Brazilian PANSS with others countries/populations and generate validation data for current version. Method: The sample consisted of 292 patients diagnosed with schizophrenia according to the criteria of the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders - Fourth Edition (DSM-IV), confirmed by the Structured Clinical Interview for Axis I Disorders (SCID-I) applied by trained interviewers. The factor structure was analyzed by means of factor analysis using principal component extraction method with equamax rotation. Factor loadings above 0.5 were analyzed to identify the factors. The internal consistency of the factors was assessed by Cronbach's alpha. Results: The Kaiser-Meyer-Olkin test was 0.873, considered appropriate to carry out the factor analysis. The final model explains 58.44% of the total variance and is composed of five factors: positive, negative, disorganization / cognition, euphoria and depression / anxiety. Conclusion: The model has great similarities in the composition of the factors relating to studies from other countries. Model adequacy measures and proportion of the total variance explained are also similar. Our data indicate that the factor structure of the Brazilian version of the PANSS is similar to that found in other countries, suggesting a convergent validity of the scale.
Schizophrenia; Principal Component Analysis; PANSS; Validity; Factor Structure; Psychometrics
0
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

PSIQUIATRIA
MÉTODOS DIAGNÓSTICOS EM PSIQUIATRIA
ESQUIZOFRENIA - ASPECTOS CLÍNICOS, NEUROFISIOLÓGICOS E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS DE ATENDIMENTO

Banca Examinadora

ARY GADELHA DE ALENCAR ARARIPE NETO
DOCENTE - PERMANENTE
Não
Nome Categoria
ACIOLY LUIZ TAVARES DE LACERDA Docente - PERMANENTE

Vínculo

-
-
-
Não