Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
LETRAS (40002012012P8)
Modos de apropriação do discurso literário: meios escolar e digital
SAMUEL RONOBO SOARES
TESE
17/10/2014

O objetivo do presente trabalho é investigar os modos de apropriação do discurso literário no meio escolar e no digital. Para a realização da pesquisa, adotamos o conceito de Literatura como fato social que abriga instâncias, instituições e indivíduos acercados por condições econômicas, culturais e históricas específicas. Também utilizamos o conceito de Letramento Literário e o de Prática de Letramento Literário, que forneceram a base para pensarmos os modos como os dois espaços se apropriam do discurso literário. Como pressuposto básico, a pesquisa considera que as práticas que orientam a inserção de Letramento Literário nesses meios são igualmente parecidas, ou seja, há uma coordenação de elementos ou regras específicas que permite a inserção do sujeito no discurso literário. Para isso, foram analisados três livros didáticos destinados ao ensino médio e a rede social SKOOB. Por um lado, os materiais, com o objetivo de formar um tipo específico de bem cultural ou uma concepção de Literatura com foco na nacionalidade, recorrem a certos mecanismos como, por exemplo, resumos de obra, inserção do discurso da crítica especializada, biografias de autores e periodização literária. De outro lado, com finalidade mais comercial, a rede social SKOOB, ainda que esteja no domínio virtual, se utiliza dos mesmos procedimentos, formando, assim, um modelo de Letramento Literário Digital. O que os diferencia, então, são os papéis desempenhados pelos sujeitos. No meio escolar, há uma verticalidade dos modos de apropriação do literário, de forma que a construção do conhecimento ocorre a partir de instâncias reguladoras (crítica, universidade e livros didáticos etc). No digital, não há essa hierarquização do conhecimento: o participante pode transitar ora como formador de uma prática (ao elencar a sua lista de Literatura) ora como receptor (quando observa as práticas dos outros participantes), sobreposição que contribui para um novo ethos. Conclui-se, portanto, que mesmo os objetivos sendo distintos, os dois meios utilizam modos de apropriação do literário que os fazem participar da mesma ordem discursiva. Porém, no meio digital, abre-se a possibilidade de que outras práticas de Letramento Literário sejam efetivadas.

Literatura e fato social. Ensino de Literatura. Materiais Didáticos. SKOOB.
The aim of this present study is to investigate the literary speech appropriation means in scholar and digital models. To carry out this search, we adopted the concept of Literature like social fact which has instance, institution and individuals among specific economic, cultural and historical conditions. We also use the Literary Literacy concept and the Literary Literacy Practice, which gave us the base to think the ways the two places appropriate the literary speech. As basic assumption, the study considers the practices which direct the insertion of literary literacy in this environment is equally similar, i. e., there is a coordination of elements or specific rules which permit the subject insertion in the literary speech. For this, three textbooks for high school were analyzed and the SKOOB social web. On one hand, the materials, with the objective to form a specific cultural good or a Literary conception aiming the nationality, they use certain mechanism like, for instance, work summary, insertion of specialized criticism speech, authors biography and literary periodization. On the other hand, aiming the commercial aspect, the SKOOB social web, even it is in the virtual domain, uses the same procedures, forming, thus, a Digital Literary Literacy model. What differentiates them, then, are the role played by the subjects. In school environment, there is a verticality of the literary appropriation means, in a way that the knowledge construction occurs parting from the regulatory instances (criticism, university and textbooks, etc). In digital environment, there is not the knowledge act of hierarchizing: the participant may pass through or like creator of a practice (to list his Literary one) or like receptor (when watches the practice of other participants), overlap which contributes for a new ethos. One may conclude that, therefore, even the objectives are different; the two environments use literary appropriation models which make them to participate in the same discursive order. However, in the digital environment, make it possible other Literary Literacy practices are approved.
Literature and social fact. Literary Teaching. Didactic Materials. SKOOB.
1
134
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

ESTUDOS LITERÁRIOS
DIÁLOGOS CULTURAIS
-

Banca Examinadora

ANDRE LUIZ JOANILHO
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
CLOVIS MENDES GRUNER Participante Externo
MARIANGELA PECCIOLI GALLI Participante Externo
LUIZ CARLOS MIGLIOZZI FERREIRA DE MELLO Docente - PERMANENTE
VANDERLEIA DA SILVA OLIVEIRA Docente - PERMANENTE

Vínculo

-
-
-
Não