Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
Oftalmologia e Ciências Visuais (33009015024P0)
BASES DA TERAPIA CELULAR MAGNÉTICA COM ENDOTÉLIO CORNEAL: CULTURA E MAGNETIZAÇÃO CELULAR
GUSTAVO TEIXEIRA GROTTONE
TESE
30/09/2014

Objetivo: Avaliar as bases da terapia celular com células endoteliais corneais humanas magnetizadas e não magnetizadas e modelos experimentais de falência endotelial corneal. Método: Trinta e seis córneas obtidas da Central de Transplantes do Estado de São Paulo e doze coelhos foram utilizados neste estudo. Células endoteliais corneanas humanas previamente cultivadas in vitro foram divididas em dois grupos: expostas ou não expostas, às nanopartículas magnéticas. Após 7 dias de integração das células ao tecido hospedeiro, as córneas foram avaliadas com um oftalmoscópio de varredura à laser(488nm) para detecção de colônias. Os coelhos a serem testados quanto ao modelo animal para falência de células endoteliais corneais, foram divididos em dois grupos: ABRASÃO com canula siliconada ou Remoção da membrana de DESCEMET. No grupo onde a lesão levou ao aparecimento de lesões compatível com ceratopatia bolhosa, as células magnetizadas foram injetadas na câmara anterior dos animais. Resultados: Não houve citotoxicidade em relação ao grupo controle no grupo onde as células endoteliais corneais humanas foram impregnadas com nanopartículas magnéticas (p=0,507). As lesões provocadas pelos diferentes métodos para simular a falência endotelial corneal tiveram diferença estatistica entre si, sendo que o edema após 30 dias de procedimento permaneceu evidente no grupo DESCEMET. No entanto, devido a fibrose intensa na região posterior corneal, o grupo com remoção de DESCEMET não foi considerado compatível com este estudo. A análise da implantação das células nas córneas ex-vivo, mostrou a presença de células marcadas por fluoróforo na superfície posterior da córnea hospedeira após 7 dias, tanto no grupo a favor da gravidade(sem nanopartículas) e contra a gravidade(com nanopartículas. Conclusões: As células endoteliais corneais humanas magnetizadas e não magnetizadas foram bem sucedidas em aderir à face posterior das córneas ex-vivo desvitalizadas nos modelos propostos. Palavras-chave: Epitélio posterior/patologia; Transplante de córnea; Ceratoplastia endotelial com remoção da membrana de Descemet/métodos; Ceratoplastia/métodos; Pesquisa médica translacional; Transplante de células .

1.Epitélio posterior/patologia. 2.Transplante de córnea. 3.Ceratoplastia endotelial com remoção da membrana de Descemet/métodos. 4.Ceratoplastia/métodos. 5.Pesquisa médica translacional. 6.Transplante de células.
Purpose: To evaluate the foundations of human corneal endothelial cell therapy with magnetic and non-magnetic cells. Methods: Thirty six corneas donated by eye bank and twelve rabbits were used in this study. Human corneal endothelial cells previously cultured in vitro were divided in two groups: exposed or non-exposed to magnetic nanoparticles. Those cells were used as an attempt to regenerate our ex-vivo host corneas. Cell colonies were tracked after 7 days using an scanning laser ophthalmoscope with a excitation light of 488 nm. The rabbits were divided into two groups according to the treatment used: ABRASION or DESCEMET. After 30 days, corneal central thickness and edema of both grupos were recorded. Those corneas that presented clinical signs of bullous keratopathy underwent endothelial cell therapy. Results: Human corneal endothelial cells showed no toxicity when exposed to the studied nanoparticle(p=0.507). Endothelial cell failure experimental models were different when considering central corneal thickness after 30 days(p<0.001).Indeed, the group which expressed greater edema, also showed extensive fibrotic tissue at posterior corneal surface, thus, preventing the use of this model in our study. Both, non-magnetic and magnetic cells were found attached to posterior surface of corneas after 7 days of ex-vivo cultures. Conclusions: Human corneal endothelial cells from magnetic and non-magnetic groups attached to corneal posterior surface on ex-vivo hosts.
Endothelium, corneal/pathology; Corneal transplantation; Descemet stripping endothelial keratoplasty/methods; Keratoplasty, penetrating/methods; Translational medical research; Cell transplantation.
1
125
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

ANÁLISE DA EFICÁCIA DE PROTOCOLOS DE INTERVENÇÃO
BIOENGENHARIA DA SUPERFÍCIE OCULAR
SUPERFÍCIE OCULAR - ASPECTOS FISIOPATOGÊNICOS

Banca Examinadora

JOSE ALVARO PEREIRA GOMES
Sim
Nome Categoria
MAURO SILVEIRA DE QUEIROZ CAMPOS Docente
MILTON RUIZ ALVES Participante Externo
ROBERTO CARLOS TEDESCO Participante Externo
MILTON ARTUR RUIZ Participante Externo

Vínculo

Colaborador
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim