Governo Federal

Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
MEDICINA (OTORRINOLARINGOLOGIA) (33009015018P0)
Saúde Mental do Paciente com Zumbido
LUCIANA GEOCZE
TESE
26/11/2014

O zumbido é um sintoma definido como a percepção auditiva na ausência de fonte sonora externa. O incômodo relacionado ao zumbido é subjetivo, podendo comprometer a vida do paciente de uma forma global, causando um prejuízo pessoal, profissional, social e/ou familiar. Objetivo: Avaliar a presença de sintomas psicopatológicos e a qualidade de vida nos pacientes com zumbido e correlacionar com o grau do incômodo. Método: Foi realizado um estudo transversal em uma amostra distribuída em três grupos: Grupo A (N=40) de pacientes portadores de zumbido com perda auditiva, Grupo B (N=26) de pacientes portadores de zumbido sem perda auditiva e um Grupo C (N=26) de indivíduos sem zumbido e sem perda auditiva (controles). Foram utilizadas as escalas BECK de depressão (BDI) e ansiedade (BAI), o Inventário de Obsessões e Compulsões – Revisado (OCI-R) e o Tinnitus Handicap Inventory (THI). Resultados: A idade média dos pacientes (Grupos A+B) foi 51 anos (±11,9); 65,2% (N=43) eram do gênero feminino, 63,6% (N=42) casados ou conviviam em união estável, 37,8% (N=25) cursaram o ensino fundamental, 34,8% (N=23) o ensino médio e 28,6% (N=18) o ensino superior. Os transtornos psicopatológicos foram mais presentes na amostra de pacientes do que nos controles (p<0,05), sendo que 37,9% apresentaram depressão, 47% ansiedade e 40% transtorno obsessivo compulsivo (TOC). Não houve diferença significante entre os grupos A e B em relação ao grau de incômodo do zumbido e às demais variáveis. Foram observadas associações positivas entre o grau do incômodo do zumbido e depressão, ansiedade e a concomitância de mais de um sintoma psicopatológico. Foi possível observar que o grau do incômodo do zumbido apresentou forte correlação (r>0,40) com sintomas de ansiedade e depressão, com os domínios físico, social e saúde mental da qualidade de vida e com os sintomas obsessivos do TOC. Conclusões: Depressão, ansiedade e TOC estão relacionadas ao incômodo do zumbido. A QV desses pacientes se mostrou prejudicada nos domínios “aspecto social“, “aspecto emocional“, “capacidade funcional“ e “estado geral da saúde“. A presença de mais de um transtorno psicopatológico foi responsável por uma piora no grau do incômodo do zumbido. A concomitância de ansiedade e depressão, depressão e sintomas obsessivos (TOC) ou depressão e falta de interações sociais (QV), foram capazes de predizer um maior incômodo do zumbido. DESCRITORES: Zumbido, Depressão, Ansiedade, TOC e Qualidade de Vida

1. Zumbido. 2. Ansiedade. 3. Depressão. 4. TOC. 5. Qualidade de vida.
Tinnitus is defined as the perception of sound when there is no external source present. The disorder called tinnitus is subjective and variable in relation to their intensity and frequency, and can impair the patient's life in a comprehensive manner, causing a personal, professional, social and family loss. Aim: To evaluate the presence of psychopathological symptoms and quality of life (QoL) in patients with tinnitus and correlate with their discomfort. Method: A cross-sectional study was conducted in a sample divided into three groups: Group A (N = 40) of patients with tinnitus and hearing loss, Group B (N = 26) of patients with tinnitus without hearing loss and Group C (N = 26) of individuals without tinnitus and without hearing loss (controls). BECK depression (BDI) and anxiety scales (BAI) were used, the Obsessions and Compulsions Inventory - Revised (OCI-R) and the Tinnitus Handicap Inventory (THI). Results: The mean age of patients (Groups A + B) was 51 years (± 11.9); 65.2% (N = 43) were female, 63.6% (N = 42) were married or lived in a stable relationship, 37.8% (N = 25) attended elementary school, 34.8% (N = 23) high school and 28.6% (N = 18) higher education. Psychopathological symptoms were more present in the sample of patients than in controls (p <0.05), and 37.9% had depression, 47% anxiety and 40% obsessive compulsive disorder (OCD). There was no significant difference between groups A and B in relation to the degree of discomfort of tinnitus and the other variables. Positive associations between the degree of discomfort and depression, anxiety and the concurrence of more than one psychopathological symptoms were observed. It was observed that the degree of tinnitus discomfort showed a strong correlation (r> 0.40) with symptoms of anxiety and depression, with the physical, social and mental health domains of quality of life and the obsessive symptoms of OCD. Conclusions: Depression, anxiety and OCD are related to tinnitus annoyance. The QoL of these patients showed impaired in the fields "social aspect", "emotional aspect", "functional capacity". The presence of more than one disorder psychopathological was responsible for a worsening in the degree of tinnitus. It was possible to verify that the concomitance of anxiety and depression; depression and obsessive symptoms (OCD) and depression and lack of social interactions, were able to predict an increased discomfort of tinnitus in these patients.
1. Tinnitus . 2. Anxiety . 3. Depression. 4. OCD. 5. Quality life .
1
67
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO

Contexto

CIÊNCIAS OTORRINOLARINGOLÓGICAS E BASE DE CRÂNIO
MECANISMOS MORFOFISIOPATOLÓGICOS DAS DISFUNÇÕES SENSORIAIS E NEURAIS DA AUDIÇÃO E EQUILIBRIO CORPORAL
ASPECTOS AUDIOLÓGICOS, PSICOACÚSTICOS E PSICOLÓGICOS DO PACIENTE COM ZUMBIDO

Banca Examinadora

NORMA DE OLIVEIRA PENIDO
Não
Nome Categoria
ERICA DE TOLEDO PIZA PELUSO Participante Externo
MARCOS LUIZ ANTUNES Participante Externo
MARIA INES REBELO GONCALVES Participante Externo
JOSE RICARDO GURGEL TESTA Docente

Vínculo

Servidor Público
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim