Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS
RECURSOS HIDRICOS E SANEAMENTO (26001012019P6)
Avaliação da Qualidade da Água de Chuva em Maceió- Al Coletada em Telhados: Tratamento Através de Filtrações Lenta e Possíveis Utilizações
VICTOR CANTALICE DE SOUZA
DISSERTAÇÃO
08/04/2011

A água de chuva tem sido utilizada em diversas localidades pelo mundo, como uma fonte alternativa para suprimento das demandas de água, assim, a caracterização dos parâmetros referentes à sua qualidade é de suma importância para o balizamento dessa atividade. O presente trabalho busca avaliar a qualidade da água de chuva captada em telhado com telhas cerâmicas, armazenada em reservatório de fibra de vidro, na cidade de Maceió/AL em dois períodos diferentes, através do monitoramento de parâmetros físico-químicos e microbiológicos. Além disso, avaliar o desempenho da filtração lenta no tratamento da água de chuva, com ênfase nos parâmetros que não atendam à norma de potabilidade vigente no Brasil, Portaria 518/2004 do Ministério da Saúde. A pesquisa foi desenvolvida num sistema da captação e reservação da água de chuva, a qual passou por um sistema piloto de filtração lenta em areia com fluxo descendente. Na caracterização da água de chuva, as amostras foram obtidas do reservatório de armazenamento, em duas etapas distintas, antes da filtração lenta e durante a operação do filtro lento. As amostras para avaliação da eficiência do filtro lento em areia foram coletadas, no reservatório (entrada), em dois pontos intermediários situados ao longo do leito filtrante e na saída do filtro. O filtro lento foi construído num barril cilíndrico de polipropileno com 90cm de altura e 56cm de diâmetro, com espessuras do leito filtrante de 45cm e 15cm para a camada suporte. Efetuou-se a análise estatística comparando-se os dados entre as duas etapas diferentes de avaliação da água de chuva. Os resultados mostram que alguns parâmetros apresentaram diferença significativa entre si. Os resultados das análises da qualidade da água de chuva mostraram que alguns parâmetros físico-químicos e todos os parâmetros microbiológicos não se enquadraram nos limites estabelecidos pela Portaria do Ministério da Saúde 518/2004, sendo assim, imprópria para consumo humano direto, contudo, podendo ser aproveitada para fins industriais em caldeiras e como água de resfriamento. Os resultados da operação do filtro lento mostraram que o meio filtrante apresentou partículas finas que interferiram nos resultados de cor e turbidez, além disso, a água de chuva na saída do filtro apresentou uma melhora em sua qualidade nos parâmetros microbiológicos, contudo, sem atingir os níveis, relativos a esses indicadores, estabelecidos pela legislação brasileira para potabilidade de água.

Água de chuva. Qualidade de água. Filtração lenta.
-
-
1
104
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

RECURSOS HIDRICOS E SANEAMENTO
TECNOLOGIAS APLICADAS AO MEIO AMBIENTE
-

Banca Examinadora

MARCIO GOMES BARBOZA
DOCENTE - COLABORADOR
Sim
Nome Categoria
LUCIANA COELHO MENDONCA Participante Externo
IVETE VASCONCELOS LOPES FERREIRA Docente - COLABORADOR

Vínculo

-
-
-
Sim