Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA MÉDICA (33009015032P3)
Revisão Sistemática Sobre a Categoria Diagnóstica Dismorfia Muscular
CELSO ALVES DOS SANTOS FILHO
DISSERTAÇÃO
30/07/2014

Objetivos: 1. Coletar, analisar e sintetizar as evidências da literatura científica acerca do constructo dismorfia muscular segundo definição de Pope et al. (1997); 2. discutir, com base nos achados, a classificação nosológica adequada para este quadro considerando-se seu perfil psicopatológico e, 3. contribuir para a discussão sobre sua potencial inclusão enquanto categoria específica em futuras classificações de transtornos mentais com base nos critérios de Blashfield et al. (1990). Métodos: Realizou-se uma busca sistemática por artigos publicados entre Janeiro/1997 a Dezembro/2011 nas bases eletrônicas MEDLINE, PsycNET, LILACS, SciELO e EMBASE e no periódico International Journal of Eating Disorders utilizando os termos: muscle dysmorphia, bigorexia, reverse anorexia, drive for muscularity, bodybuilding dependence e body image disorder. Uma atualização da busca foi posteriormente realizada na base MEDLINE (até Agosto/2013). Os tipos de estudos que preenchiam critérios de inclusão foram estudos epidemiológicos e analíticos que se basearam nos critérios de Pope et al. (1997) para diagnosticar a dismorfia muscular, enquanto artigos teóricos, qualitativos e de validação de instrumentos foram excluídos. A avaliação da qualidade metodológica dos trabalhos selecionados (nível de evidências) se deu com base nas diretrizes Evidence-Based Mental Health e do National Health and Medical Research Council. A adequação da inclusão da dismorfia muscular nos manuais diagnósticos psiquiátricos foi examinada utilizando-se os critérios propostos por Blashfield et al. (1990). Resultados: A busca inicial identificou 4152 artigos dos quais apenas 27 foram considerados elegíveis após a revisão sequencial dos títulos, resumos e dos textos integrais (em co-revisão). A maior parte dos estudos era de corte transversal e envolveram amostras pequenas, não clínicas e de homens estadunidenses. Nenhum estudo epidemiológico foi identificado. Todos os artigos coletados foram classificados no menor nível hierárquico de evidências das diretrizes, em função dos desenhos dos estudos. Quanto à classificação nosológica, 41% das pesquisas consideraram as evidências disponíveis insuficientes para a inclusão da dismorfia muscular em alguma classe xi de transtornos psiquiátricos pré-existentes, 30% classificaram como um subtipo de transtorno dismórfico corporal, 22% como um transtorno alimentar e 7% como pertencente ao espectro obsessivo-compulsivo. A literatura revisada não satisfaz as diretrizes de Blashfield et al. (1990) para apoiar a inclusão da dismorfia muscular como entidade específica em sistemas classificatórios já que não existiam estudos realizados por mais de um grupo de pesquisadores avaliando: a confiabilidade do diagnóstico de dismorfia muscular; a frequência com que os sintomas coexistem ou a diferenciação apropriada desta categoria com outros transtornos psiquiátricos existentes. Conclusões: As evidências encontradas não são suficientes para assegurar a validade, utilidade clínica, a classificação nosológica e a adequada inclusão da DM nos sistemas classificatórios de doenças mentais.

imagem corporal, transtorno dismórfico corporal, transtornos da alimentação, transtorno obsessivo-compulsivo, músculos
-
-
0
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

PSIQUIATRIA
PSICOPATOLOGIA E PSIQUIATRIA CLÍNICA
REVISÃO SISTEMÁTICA E METANÁLISE

Banca Examinadora

ANGELICA DE MEDEIROS CLAUDINO
Não
Nome Categoria
TAKI ATHANASSIOS CORDAS Participante Externo
MARCELO QUEIROZ HOEXTER Participante Externo

Vínculo

-
-
-
Não