Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS
RECURSOS HIDRICOS E SANEAMENTO (26001012019P6)
EFEITOS DE ALTERAÇÕES DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO E DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS SOBRE O ESCOAMENTO SUPERFICIAL NA BACIA EXPERIMENTAL DE SANTANA DO IPANEMA – ALAGOAS
LEONARDO LOPES DE AZEREDO VIEIRA
DISSERTAÇÃO
20/12/2010

O semi-árido alagoano apresenta um grave panorama em relação à disponibilidade hídrica, devido à distribuição irregular da precipitação, solos rasos e altas taxas de evaporação. Contudo, esta região é carente de informações que auxiliem na analise e compreensão dos processos hidrológicos e suas variáveis, através da aplicação de métodos que busquem a otimização e melhor gestão dos seus recursos hídricos. O objetivo desse trabalho foi prognosticar o escoamento superficial para três cenários de uso e ocupação do solo na Bacia Experimental de Santana do Ipanema (BESI). O cenário 1 considerou o uso atual do solo, o cenário 2 considerou o uso atual do solo aliado à conservação das Áreas de Preservação Permanente, definidas através da Lei nº 4.771/65 e Resolução CONAMA nº 303/2002, já o cenário 3 considerou as mudanças climáticas referenciadas pelos relatórios do Intergovernmental Panel on Climate Change – IPCC. A BESI é composta por três unidades de estudo: sub-bacia 1 (3,90 km2), sub-bacia 2 (0,127 km2) e a microbacia de 0,005 km2. Na modelagem chuva-vazão aplicou-se o modelo Kineros2 para dez eventos de precipitação ocorridos entre os anos de 2007 e 2008, nas duas sub-bacias 1 e 2 da BESI. Os resultados obtidos para o cenário 1 estiveram sempre entre os resultados apresentados para os cenários 2 e 3, já o cenário 2, apresentou os menores volumes escoados e os maiores volumes interceptados e infiltrados, enquanto que no cenários 3 esta relação se inverte. Percebe-se que nas duas sub-bacias estudadas o efeito do desmatamento do solo, cenário 3, conduz a um acréscimo considerável no volume escoado, contribuindo ainda mais para a escassez hídrica da região, já que, há uma diminuição da infiltração, conseqüentemente da recarga do aqüífero subterrâneo, responsável por manter o escoamento de base nos meses sem chuva.

Bacia hidrográfica experimental. Semi-árido – Alagoas. Modelagem Computacional. Kineros2.
O semi-árido alagoano apresenta um grave panorama em relação à disponibilidade hídrica, devido à distribuição irregular da precipitação, solos rasos e altas taxas de evaporação. Contudo, esta região é carente de informações que auxiliem na analise e compreensão dos processos hidrológicos e suas variáveis, através da aplicação de métodos que busquem a otimização e melhor gestão dos seus recursos hídricos. O objetivo desse trabalho foi prognosticar o escoamento superficial para três cenários de uso e ocupação do solo na Bacia Experimental de Santana do Ipanema (BESI). O cenário 1 considerou o uso atual do solo, o cenário 2 considerou o uso atual do solo aliado à conservação das Áreas de Preservação Permanente, definidas através da Lei nº 4.771/65 e Resolução CONAMA nº 303/2002, já o cenário 3 considerou as mudanças climáticas referenciadas pelos relatórios do Intergovernmental Panel on Climate Change – IPCC. A BESI é composta por três unidades de estudo: sub-bacia 1 (3,90 km2), sub-bacia 2 (0,127 km2) e a microbacia de 0,005 km2. Na modelagem chuva-vazão aplicou-se o modelo Kineros2 para dez eventos de precipitação ocorridos entre os anos de 2007 e 2008, nas duas sub-bacias 1 e 2 da BESI. Os resultados obtidos para o cenário 1 estiveram sempre entre os resultados apresentados para os cenários 2 e 3, já o cenário 2, apresentou os menores volumes escoados e os maiores volumes interceptados e infiltrados, enquanto que no cenários 3 esta relação se inverte. Percebe-se que nas duas sub-bacias estudadas o efeito do desmatamento do solo, cenário 3, conduz a um acréscimo considerável no volume escoado, contribuindo ainda mais para a escassez hídrica da região, já que, há uma diminuição da infiltração, conseqüentemente da recarga do aqüífero subterrâneo, responsável por manter o escoamento de base nos meses sem chuva.
Bacia hidrográfica experimental. Semi-árido – Alagoas. Modelagem Computacional. Kineros2.
1
176
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

RECURSOS HIDRICOS E SANEAMENTO
PLANEJAMENTO E GESTÃO AMBIENTAL
ECOBEER/REHISA - Processos eco-hidrológicos na bacia experimental e representativa de Santana do Ipanema da rede de hidrologia do semiárido

Banca Examinadora

VLADIMIR CARAMORI BORGES DE SOUZA
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
CHRISTOPHER FREIRE SOUZA Docente - PERMANENTE
CRISTIANO DAS NEVES ALMEIDA Participante Externo
CLEUDA CUSTODIO FREIRE Docente - PERMANENTE

Vínculo

-
-
-
Sim