Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
MEDICINA (UROLOGIA) (33009015021P1)
A influência do índice de massa corporal na fisiologia do folículo ovariano em ciclos de reprodução assistida.
PATRICIA MARAFON PORCIUNCULA
TESE
04/03/2013

Objetivo: Observar a influência do IMC no metabolismo folicular ovariano de mulheres submetidas à hiperestimulação ovariana controlada. Método: Foi realizado um estudo prospectivo incluindo 129 amostras de líquido folicular de mulheres submetidas à hiperestimulação ovariana controlada e classificadas de acordo com o IMC, em três grupos segundo a Organização Mundial de Saúde: eutróficas (20 a < 25 kg/m2), sobrepeso (25 a < 30 kg/m2) e obesas (> 30 kg/m2). As amostras de líquido folicular foram obtidas através de punção ovarina guiada por ultrassom transvaginal após estimulação controlada dos ovários. Imediatamente após a coleção, as amostras de líquido folicular foram centrifugadas para remover a fração celular e congeladas. Para a quantificação dos hormônios esteroides estradiol, progesterona, testosterona, androstenediona e cortisol presentes no líquido folicular foi utilizada a espectrometria de massas sequencial (ID-LC-MS/MS). Para a análise proteômica do líquido folicular, foi formado um pool de amostras de cada grupo de acordo com o grupo de IMC e analisadas 4 replicatas técnicas de cada pool, normalizados pela concentração de proteínas de cada amostra. Foi realizada análise proteômica shotgun através de nanoUPLC-nanoESI-MSE, com resultados de proteínas identificadas, ou proteínas identificadas e quantificadas. Proteínas presentes em apenas uma replicata foram excluídas do estudo. Para o estudo de perfil esteroide, os grupos foram comparados através da análise de variância (ANOVA) seguido do teste post-hoc de Least Significant Differences (LSD), ou foi utilizado o teste de Kruskal-Wallis seguido do Mann-Whitney. Para as proteínas quantificadas, os grupos foram comparados através do teste não paramétrico de Kruskal-Wallis seguido do teste de Mann-Whitney. Foi adotado um alfa de 5%. As listas de proteínas de cada grupo foram utilizadas para a análise de enriquecimento funcional. Resultados: Em relação ao perfil esteroide, observamos diferenças entre os grupos de IMC. No grupo das pacientes com obesidade foram observados menores níveis de progesterona quando comparadas às pacientes com sobrepeso e o grupo controle. Além disto, os níveis de androstenediona foram maiores nas pacientes com obesidade quando comparadas ao grupo controle, mas as pacientes com sobrepeso não diferiram entre ambos os grupos. Os níveis de estradiol, testosterona e cortisol foram mais elevados em pacientes com aumento de IMC (sobrepeso ou obesidade) quando comparadas às pacientes eutróficas. Em relação à análise proteômica, foram identificadas 284 proteínas; destas, 152 foram quantificadas. As funções destas proteínas estão relacionadas com resposta imune, inflamação e coagulação. Ademais, foi observado que sete destas proteínas quantificadas estavam hiperexpressas no LF do grupo das pacientes obesas. Além disso, foram identificadas 20 proteínas expressas exclusivamente no grupo das pacientes obesas, 10 proteínas no grupo das pacientes com sobrepeso e 19 proteínas exclusivas no grupo das pacientes eutróficas. Conclusões: O metabolismo do líquido folicular de pacientes submetidas a hiperestimulação controlada pode sofrer alterações por influência do IMC. O líquido folicular de pacientes com sobrepeso e com obesidade apresenta alteração no perfil hormonal, com maiores níveis de estradiol, testosterona e cortisol em pacientes com IMC elevado, androstenediona apenas em pacientes com obesidade e níveis menores de progesterona em pacientes com obesidade. Ainda, o sobrepeso e a obesidade alteram o perfil proteico do líquido folicular de pacientes submetidas a hiperestimulação ovariana, evidenciando processos funcionais enriquecidos de resposta imune e inflamação.

espectrometria de massas;hormônios esteroides;índice de massa corporal;líquido folicular;obesidade
Objective: To observe the influence of Body Mass Index (BMI) on the follicular metabolism of women submitted to controlled ovarian hyperstimulation. Methods: A prospective study was carried out including 129 follicular fluid samples from women submitted to controlled ovarian hyperstimulation and classified, according to BMI, in three groups according to the World Health Organization: eutrophic (20 to <25kg/m2), overweight (25 to <30kg/m2), and obese (>30kg/m2). Follicular fluid samples were obtained by ultrasound-guided transvaginal ovarian aspiration following controlled ovarian hyperstimulation. Immediately after collection, the follicular fluid samples were centrifuged to remove cellular debris and frozen until analysis. For quantification of the steroid hormones estradiol, progesterone, testosterone, androstenedione, and cortisol, tandem mass spectrometry was utilized (ID-LC-MS/MS). For proteomic analysis, three pools were formed (one for each group, normalized to total protein in each sample), and proteins were quantified and identified utilizing the shotgun proteomics approach nanoUPLC-nanoESI-MSE, resulting in “Identified” and “Quantified and Identified” proteins. Proteins observed in only one replicate were excluded from the study. For steroid profiling, groups were compared using one-way ANOVA followed by a Least Significant Differences posthoc test, or using a Kruskal-Wallis followed by a Mann-Whitney test. For the proteomics experiment a Kruskal-Wallis test was used, followed by a Mann-Whitney test. An alpha of 5% was adopted in the study. Protein lists were utilized for functional enrichment analysis. Results: Regarding the steroid profile, differences were observed between the BMI groups. The obesity group presented lower progesterone levels and higher androstenedione levels when compared to the other two groups. Also, estradiol, testosterone, and cortisol were higher in both overweight and obese groups when compared to eutrophic controls. Regarding proteomics, 284 proteins were identified, of which 152 were quantified. Major enriched functions were related to immune response, inflammation and coagulation. Moreover, seven proteins were hyperexpressed only in the obese patients. Finally, 20 proteins were exclusively expressed in the obesity group, 10 in the overweight group, and 19 in the eutrophic group. Conclusion: Follicular fluid metabolism is altered due to obesity in patients submitted to controlled ovarian hyperstimulation. The follicular fluid of overweight and obese patients presents altered steroid profiles, with increased estradiol, testosterone, and cortisol, and obese patients present increased androstenedione and decreased progesterone. Also, overweightness and obesity alter the follicular fluid protein profile of patients submitted to controlled ovarian hyperstimulation, with enriched immune and inflammatory response functions.
body mass index;follicular fluid;mass spectrometry;metabolism;obesity;proteins;steroid hormones
1
80
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

REPRODUÇÃO HUMANA E ANDROLOGIA
MECANISMOS CELULARES E MOLECULARES DA INFERTILIDADE FEMININA
Determinação do perfil lipídico e metabolômico do líquido folicular, células do cumulus e plasma sanguíneo de mulheres com diferentes causas de infertilidade submetidas ao tratamento de fertilização in vitro.

Banca Examinadora

RICARDO PIMENTA BERTOLLA
Sim
Nome Categoria
EDSON BORGES JUNIOR Participante Externo
VALDEMIR MELECHCO CARVALHO Participante Externo
FELIPE PERECIN Participante Externo
ISMAEL DALE COTRIM GUERREIRO DA SILVA Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUNDACAO DE AMPARO A PESQUISA DO ESTADO DE SAO PAULO - Bolsa de Doutorado 32

Vínculo

-
-
-
Não