Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
ARTES CÊNICAS (28001010035P0)
A transfiguração do cotidiano da feira no processo de criação do espetáculo Outros Olhares
MARIA ANA AZEVEDO DE OLIVEIRA
TESE
10/08/2012

Esta tese tem como objeto de estudo o processo criativo de Outros Olhares, espetáculo de dança resultado da disciplina Prática de Montagem II, encenado pelos alunos (intérpretes-criadores) do último módulo do Curso Técnico em Dança, da Escola de Teatro e Dança da Universidade Federal do Pará, no ano de 2005. Investiga-se a transfiguração do cotidiano da feira do Ver-o-Peso - importante centro comercial e cultural da cidade de Belém do Pará - na linguagem da dança contemporânea. A pesquisa apresenta-se como uma aplicação, na dança, do conceito de conversão semiótica, no sentido elaborado por Loureiro, que consiste na mudança pela qual as funções dominantes se expressam em um contexto diferente do original. Ressalta-se a importância do diálogo com os estudos da cultura amazônica e com as estratégias da dança contemporânea no processo de criação. Destaca-se a colaboração como prática metodológica, em decorrência do compartilhamento de ideias entre os envolvidos na montagem cênica. Fundamenta-se nos estudos da Etnocenologia, apoiando-se nos conceitos de cotidiano e de espetacularidade, segundo Bião. Utiliza-se como suporte teórico-metodológico a crítica genética, conforme Salles, que busca entender o percurso criador da obra de arte. O estudo confirma a hipótese de que esse espetáculo, sob o ponto de vista da estética de sua criação coreográfica, foi concebido a partir do pensamento que rege o conceito da conversão semiótica. Emprega-se a etnopesquisa em uma abordagem descritiva-analítica, demonstrando o estudo pormenorizado da criação, da montagem e dos elementos espetaculares na cena da dança. Como técnica de coleta de dados utiliza-se a entrevista semiestruturada com nove intérpretes-criadores e com uma das professoras-coreógrafas, além de entrevistas de livre narrativa com dois feirantes do Ver-o-Peso. As conversas informais e as observações dos gestos cotidianos como o dos carregadores, dos vendedores de peixe e de outros feirantes, foram elementos essenciais para análise corporal reconhecida pela transfiguração do movimento na cena coreográfica. Incluíram-se os cheiros, a visualidade, a sonoridade, os sabores e as texturas da feira, observados durante a pesquisa de campo pelo grupo participante do espetáculo. Como resultado, demonstra-se o cotidiano da feira do Ver-o-Peso convertido nas cenas de Outros Olhares.

Processo Criativo. Feira do Ver-o-Peso. Conversão Semiótica
Esta tese tem como objeto de estudo o processo criativo de Outros Olhares, espetáculo de dança resultado da disciplina Prática de Montagem II, encenado pelos alunos (intérpretes-criadores) do último módulo do Curso Técnico em Dança, da Escola de Teatro e Dança da Universidade Federal do Pará, no ano de 2005. Investiga-se a transfiguração do cotidiano da feira do Ver-o-Peso - importante centro comercial e cultural da cidade de Belém do Pará - na linguagem da dança contemporânea. A pesquisa apresenta-se como uma aplicação, na dança, do conceito de conversão semiótica, no sentido elaborado por Loureiro, que consiste na mudança pela qual as funções dominantes se expressam em um contexto diferente do original. Ressalta-se a importância do diálogo com os estudos da cultura amazônica e com as estratégias da dança contemporânea no processo de criação. Destaca-se a colaboração como prática metodológica, em decorrência do compartilhamento de ideias entre os envolvidos na montagem cênica. Fundamenta-se nos estudos da Etnocenologia, apoiando-se nos conceitos de cotidiano e de espetacularidade, segundo Bião. Utiliza-se como suporte teórico-metodológico a crítica genética, conforme Salles, que busca entender o percurso criador da obra de arte. O estudo confirma a hipótese de que esse espetáculo, sob o ponto de vista da estética de sua criação coreográfica, foi concebido a partir do pensamento que rege o conceito da conversão semiótica. Emprega-se a etnopesquisa em uma abordagem descritiva-analítica, demonstrando o estudo pormenorizado da criação, da montagem e dos elementos espetaculares na cena da dança. Como técnica de coleta de dados utiliza-se a entrevista semiestruturada com nove intérpretes-criadores e com uma das professoras-coreógrafas, além de entrevistas de livre narrativa com dois feirantes do Ver-o-Peso. As conversas informais e as observações dos gestos cotidianos como o dos carregadores, dos vendedores de peixe e de outros feirantes, foram elementos essenciais para análise corporal reconhecida pela transfiguração do movimento na cena coreográfica. Incluíram-se os cheiros, a visualidade, a sonoridade, os sabores e as texturas da feira, observados durante a pesquisa de campo pelo grupo participante do espetáculo. Como resultado, demonstra-se o cotidiano da feira do Ver-o-Peso convertido nas cenas de Outros Olhares.
Processo Criativo. Feira do Ver-o-Peso. Conversão Semiótica
1
239
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

-
-
-

Banca Examinadora

SUZANA MARIA COELHO MARTINS
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
MIGUEL DE SANTA BRIGIDA JUNIOR Participante Externo

Vínculo

-
-
-
Não