Governo Federal

Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA APLICADAS (31003010058P2)
PERFIL DE SUSCETIBILIDADE AOS ANTIMICROBIANOS E DIVERSIDADE GENÉTICA DE Streptococcus agalactiae ISOLADOS EM BACTERIÚRIA SIGNIFICATIVA
RODE BEATRIZ BASTOS SCHUAB
DISSERTAÇÃO
27/02/2014

Estudos recentes apontam crescente importância de Streptococcus agalactiae (estreptococos do grupo B, EGB) como causa de infecção do trato urinário, especialmente em mulheres e idosos. Penicilina é o antibiótico de escolha para o tratamento de infecções por EGB, porém já foram relatadas amostras com suscetibilidade reduzida a este antibiótico, bem como crescente taxa de resistência aos macrolídeos e lincosamídeos, alternativas terapêuticas para pacientes alérgicos à penicilina. Desse modo, o objetivo deste estudo foi investigar os perfis de resistência aos antimicrobianos entre 194 amostras de EGB isoladas de urina com contagens a partir de 100.000 UFC/ml oriundas de pacientes atendidos em uma rede de laboratórios de análises clínicas na região metropolitana do Rio de Janeiro, no período de outubro de 2010 a setembro de 2011. Estas amostras foram submetidas à identificação fenotípica convencional e ao teste de suscetibilidade aos antimicrobianos pelo método de difusão em agar. Amostras resistentes e intermediárias à eritromicina foram submetidas à determinação da concentração inibitória mínima (CIM) por gradiente de difusão em agar e à investigação dos fenótipos e dos determinantes genéticos de resistência aos macrolídeos por PCR. A determinação do tipo capsular de 139 amostras foi realizada por PCR multiplex. Sessenta amostras foram submetidas à digestão do DNA cromossômico com endonuclease de restrição e os perfis de PFGE foram analisados. Pelo método de difusão em agar, observou-se 75,8% de resistência à tetraciclina e 9,3% à clindamicina. Todas as amostras intermediárias para eritromicina (7) pelo método de difusão em agar apresentaram CIM compatível com resistência, assim, a resistência à eritromicina foi de 11,3%. Foram encontrados os seguintes fenótipos de resistência aos macrolídeos: M (4), MLSBi (9) e MLSBc (9), que correlacionaram-se aos genes de resistência mefA/E, ermA e ermB, respectivamente. A CIM de eritromicina variou entre 1 e >256μg/ml, sendo os valores mais elevados de CIM relacionados ao fenótipo MLSBc. Foram encontrados 6 tipos capsulares, mas os tipos V, Ia e II representaram 75% das amostras pesquisadas. Foram observados 32 perfis diferentes entre as sessenta amostras submetidas ao PFGE, indicando considerável diversidade genética. Em suma, a resistência observada à eritromicina é um fato preocupante, uma vez que macrolídeos são drogas usadas nas terapias de infecções estreptocócicas. Apesar da diversidade de tipos capsulares, a maioria das amostras apresentou os tipos mais frequentemente observados em outros estudos, especialmente os que tratam de infecções urinárias. A heterogeneidade dos perfis de PFGE sugere que a resistência à macrolídeos se dá em grande parte por transmissão horizontal em lugar de disseminação de um clone específico.

Streptococcus agalactiae, bacteriúria significativa, resistência a macrolídeos, tipificação capsular, PFGE.
Recent studies indicate the increasing importance of Streptococcus agalactiae (Group B Streptococcus, GBS) as a cause of urinary tract infection, especially in women and the elderly. Penicillin is the antibiotic of choice for treating such infections, although reduced susceptibility to this antibiotic have been reported in GBS, as well as increasing rate of resistance to macrolides and lincosamides, which constitute therapeutic alternatives for patients allergic to penicillin. The aim of this study was to investigate the antimicrobial resistance among 194 GBS isolates recovered from urine containing more than 100,000 CFU/ml of patients from clinical laboratories in the metropolitan area of Rio de Janeiro between October 2010 and September 2011. These isolates were submitted to conventional phenotypic identification and antimicrobial susceptibility test by agar diffusion method. Erythromycin resistant isolates were then submitted to minimum inhibitory concentration (MIC) determination by agar diffusion gradient followed by investigation of macrolides resistance genetic determinants using PCR. Capsular type of 139 isolates were determined by multiplex PCR. Sixty isolates (including erythromycin susceptible and resistant isolates) were submitted to analysis of chromosomal DNA restriction profiles by PFGE. By disk diffusion method, 75.8% of the isolates were resistant to tetracycline and 9,3% to clindamycin. All erythromycin intermediate isolates by agar diffusion method showed resistant MIC values, so the erythromycin final resistance rate was 11.3%. Among erythromycin resistant isolates, the resistance phenotypes M (4), MLSBi (9) and MLSBc (9) were observed and correlated with resistance genes mefA/E, ermA and ermB, respectively. Erythromycin MIC ranged from 1 to > 256μg/ml, with the highest MIC values related to phenotype MLSBc. Six Capsular types were found, but types V, Ia and II accounted for 75 % of the investigated isolates. Thirty two different PFGE profiles were observed among the sixty samples submitted to this method, indicating considerable genetic diversity. In summary, the observed erythromycin resistance is a disturbing fact, since macrolides are drugs used in streptococcal infections therapy. Despite of the capsular types diversity, most isolates showed the most frequently found by other studies, especially those about urinary tract infections. The heterogeneity of the PFGE profiles suggests that macrolide resistance is manly by horizontal gene transmission instead of spreading of a specific clone.
Streptococcus agalactiae, significant bacteriuria, macrolide resistance, capsular typing, PFGE.
1
72
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

Contexto

MICROBIOLOGIA
BACTERIOLOGIA
Avaliação da diversidade de cepas de Streptococcus agalactiae por diferentes sistemas de tipagem

Banca Examinadora

ROSANA ROCHA BARROS
Não
Nome Categoria
DEYSE CHRISTINA VALLIM DA SILVA Participante Externo
SILVIA SUSANA BONA DE MONDINO Participante Externo
RENATA FERNANDES RABELLO Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 24

Vínculo

-
-
-
Sim