Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
PSICOBIOLOGIA (33009015033P0)
Efeito da Suplementaçao de Leucina nas Vias Tróficas e Atróficas da Musculatura Esquelética de Ratos Submetidos a Privação de Sono Paradoxal
HELTON DE SA SOUZA
DISSERTAÇÃO
27/08/2014

Objetivo: Analisar os efeitos da suplementação de leucina nas vias tróficas e atróficas da musculatura esquelética de ratos submetidos à privação de sono paradoxal por 96 horas. Métodos: foram utilizados 46 ratos machos WistarEPM-1 distribuídos em 4 grupos: controle (CTL); suplementado com leucina (LEU); privado de sono paradoxal por 96h (PS); e suplementado com leucina e privado de sono paradoxal por 96h (LEU+PS). A suplementação de leucina foi feita por GAVAGE (1,35g/kg), iniciando-se 3 dias antes do período de privação de sono e mantida até o fim do protocolo. Ao final do protocolo o sangue e músculo gastrocnemius foram coletados para análises de corticosterona, testosterona total, insulina, creatinina e ureia; bem como as proteínas envolvidas na sinalização de síntese (Akt, mTOR, p70S6k e 4E-BP1) além do IGF-1 intramuscular e as proteínas envolvidas na degradação proteica (FoxO3a, proteínas ubiquitinadas, LC3-II, p62/SQSTM1 e a atividade enzimática inicial do proteassomo). Resultados: A suplementação de leucina e a privação de sono não alteraram os níveis de creatinina e ureia circulantes, porém a testosterona total sérica diminuiu em ambos os grupos submetidos à privação de sono (PS e LEU+PS), enquanto a corticosterona esteve elevada nestes mesmos dois grupos. Quanto às sinalizações intramusculares a p-Akt diminuiu em ambos os grupos privados de sono, o IGF-1 foi menor apenas no grupo PS; a p-mTOR, p-p70S6k e p4E-BP1 foram aumentadas nos grupos LEU e LEU+PS, sendo esta última também aumentada no grupo PS. A atividade do proteassomo foi maior nos grupos PS e LEU+PS, assim como a FoxO3a, proteínas ubiquitinadas, LC3-II e p62/SQSTM1 que não se alteraram nos grupos que não foram privados de sono. O gastrocnemius apresentou diminuição da sua massa somente no grupo PS, com diferentes respostas na área de secção transversa das fibras: 1) não houve alteração nas fibras do tipo I em nenhum dos grupos; 2) foi identificada redução nas fibras do tipo IIa nos grupos PS e LEU+PS; e 3), redução das fibras do tipo IIb somente no grupo PS. Conclusão: A suplementação de leucina suprimiu a redução da atrofia do gastrocnemius na condição de privação de sono paradoxal, com ação específica sobre as fibras do tipo IIb. Mesmo não alterando a degradação, a leucina foi capaz de aumentar as sinalizações de síntese proteica durante a privação de sono, regulando o turnover proteico. Estes resultados foram independentes da regulação do perfil sérico da testosterona e corticosterona, sugerindo que talvez estes não sejam os únicos sinalizadores da atrofia muscular durante a privação de sono paradoxal em ratos. Palavras-chave: Leucina, privação do sono, músculo esquelético, nutrição, hormônios.

Leucina, privação do sono, músculo esquelético, nutrição, hormônios.
-
-
1
91
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

MEDICINA E BIOLOGIA DO SONO
PRIVAÇÃO DE SONO EM SERES HUMANOS E MODELOS ANIMAIS
INFLUÊNCIA DO SONO SOBRE O COMPORTAMENTO ALIMENTAR E SOBRE O METABOLISMO: INTERAÇÃO COM EXERCÍCIO FÍSICO.

Banca Examinadora

MARCO TULIO DE MELLO
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
CIBELE APARECIDA CRISPIM Participante Externo
VANIA D ALMEIDA Docente - PERMANENTE

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
CONS NAC DE DESENVOLVIMENTO CIENTIFICO E TECNOLOGICO - BOLSA DE MESTRADO GM 24
ASSOCIACAO FUNDO DE INCENTIVO A PESQUISA - Auxílio Financeiro 24

Vínculo

Bolsa de Fixação
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim