Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA APLICADAS (31003010058P2)
Identificação do Poliomavírus de célula Merkel e análise genética e estrutural do antígeno T maior em amostras orais de receptores de transplante renal e de indivíduos não transplantados.
CAMILA FREZE BAEZ
DISSERTAÇÃO
27/02/2014

O poliomavírus de células Merkel (MCPyV) é o agente causal do carcinoma de células Merkel (MCC), uma neoplasia neuroendócrina rara e agressiva, que afeta principalmente idosos imunocomprometidos, especialmente receptores de transplante renal. Nestes tumores, o antígeno T maior (LT-ag), principal oncoproteína do MCPyV, é encontrado truncado. O objetivo deste estudo foi obter dados quanto à infecção oral por MCPyV em transplantados renais, a sua associação com lesões orais, e informações quanto ao perfil de polimorfismo genético do segundo éxon do LT-ag, na população estudada. Foi desenhado um estudo transversal com 185 amostras (114 de saliva e 71 de tecido gengival), 91 de transplantados renais e 94 de não transplantados, com e sem lesão oral. A frequência de detecção do DNA do MCPyV foi comparado com a de herpesvírus humanos 5, 6 e 7 (HHV-5, HHV-6A, HHV-6B, HHV-7), através de nested-PCR, e relacionado com a presença de periodontite e gengivite. Além disso, o perfil de mutações e alterações estruturais no segundo éxon do LT-ag em diferentes amostras clínicas também foi analisado, através de sequenciamento e previsão da estrutura da proteína por modelagem molecular. Foi encontrada frequência de 21,6% de MCPyV na população estudada, com maior frequência em saliva do que em biópsia gengival (p=0,194).Houve significância estatística na frequência de detecção de MCPyV em saliva do grupo transplantado em comparação com saliva de não transplantados (p=0,009), além de associação com citomegalovírus e com HHV-6A em saliva de transplantados (p=0,048 e 0,011, respectivamente). Também foi encontrada significância estatística entre MCPyV e lesão oral (p=0,016). A análise das sequências obtidas revelou duas mutações não sinônimas próximas ao domínio pRb, S133T e R204T, além de 22 mutações sinônimas foram identificadas tanto em amostras de saliva quanto de biópsia gengival. A previsão da estrutura do LT-ag obtido a partir de outros sítios anatômicos também revelou alterações estruturais, especialmente F448S, substituição encontrada em amostra de pele sem MCC, e capaz de desestabilizar o domínio helicase. Baseado nestes resultados, foi possível concluir que o MCPyV em tecido gengival de indivíduos de ambos os grupos, assim como em saliva de pacientes transplantados, está associado com lesões orais. Além disso, concluiu-se que detecção de MCPyV está relacionada à co-detecção de HCMV e HHV-6A em saliva de transplantados renais. Paralelamente, foi visto que as mutações resultantes em substituição não representam alterações estruturais relevantes para a funcionalidade do LT-ag. Este é o primeiro estudo a avaliar a presença de MCPyV em amostras de tecido oral em pacientes transplantados renais, e a analisar estrutural e funcionalmente o segundo éxon do LT-ag mutado.

poliomavírus de células Merkel (MCPyV); transplante renal; lesão oral; antígeno T maior.
Merkel cell polyomavirus (MCPyV) is the causal agent of Merkel cell carcinoma (MCC), a rare and aggressive neuroendocrine neoplasia, which affects mainly immunosuppressed elderly, especially kidney transplant recipients. In these tumors, large T antigen (LT-ag), MCPyV main oncoprotein, is found truncated. This study objective was to access data concern to the MCPyV oral infection in renal transplant recipients, its association with oral lesions, and information regarding to the LTa-g second exon’s genetic polymorphism profile in the studied population. A transversal study was design with 185 samples (114 were saliva and 71 were gingival tissue), 91 from transplanted patients and 94 non-transplanted, with and without oral lesions. MCPyV DNA was detected through nested-PCR, and results were compared with detection frequency of herpesvírus 5, 6 and 7(HHV-5, HHV-6A, HHV-6B, HHV-7) and with periodontitis and gingivitis presence. Furthermore, the mutation profile and structural alterations on the second exon of LT-ag from distinct clinical samples were analyzed through sequencing and protein structure prediction by molecular modeling. It was found MCPyV frequency of 21.6% in the studied population with higher frequency in saliva than in gingival biopsy (p=0.194). There were statistical significance in MCPyV detection frequency in saliva from the transplant group in comparison with saliva from non-transplanted (p=0.009), in addition to the association with cytomegalovirus and herpesvirus 6A transplanted patients’ saliva (p=0.048 and 0.011, respectively). It was also found statistical significance between MCPyV and oral lesions (p=0.016). The obtained sequences analysis revealed two non-synonymous mutations near pRb domain, S133T and R204T, in addition to 22 synonymous mutations identified both in saliva and gingival biopsy. The LT-ag’s structural prediction obtained from other anatomical sites also revealed structural alterations, especially F448S, substitution found in non-MCC skin samples and capable of destabilize the helicase domain. Based on these results, it was possible to conclude that MCPyV in gingival tissue from both groups, as well as in saliva from transplanted patients, is associated with oral lesions. Furthermore, it was concluded that MCPyV detection is related with co-detection of HCMV and HHV-6A in renal transplant patient’s saliva. Additionally, it was seen that the mutations resulting in substitution do not represent any structural alteration relevant to LT-ag functionality. This is the first study to evaluate MCPyV presence in oral tissue samples from renal transplanted patients, and to analyze structural and functionally the mutated LT-ag second exon
Merkel cell polyomavirus; renal transplantation; oral lesion; Large T antigen.
1
116
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

MICROBIOLOGIA
VIROLOGIA
DETECÇÃO DE HERPESVÍRUS E POLIOMAVIRUS HUMANOS EM TRANSPLANTADOS RENAIS

Banca Examinadora

RAFAEL BRANDAO VARELLA
Não
Nome Categoria
ADRIANA DE ABREU CORREA Participante Externo
CAROLINE CORDEIRO SOARES Participante Externo
GINA PERES LIMA DOS SANTOS Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 24

Vínculo

Colaborador
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim