Brasil

Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE
GEOGRAFIA (42004012015P5)
A Navegação Interior no Rio Grande do Sul: Realidade e Desafios - 1970-2010.
MICHELE COSTA MACHADO
DISSERTAÇÃO
26/11/2012

Este trabalho tem como objetivo principal analisar o processo histórico-social para assim compreender como se encontra representada economicamente a Navegação Interior do Estado do Rio Grande do Sul, utilizando como pano de fundo as redes técnicas, os nós portuários e todo o sistema hidroviário específico desse Estado, analisando o recorte dos últimos 40 anos da história do Rio Grande do Sul. Para tanto, perpassou-se por alguns assuntos vistos relevantes para a formulação do entendimento do objetivo principal desse trabalho, que foi demonstrar que a “vocação natural” para o uso do Modal Hidroviário, quando empregado de forma conjunta com outra modalidade e atrelado ao aparato tecnológico e aos interesses do Estado no equilíbrio da matriz de transportes, produz vantagens competitivas, crescimento econômico e desenvolvimento em escala regional. Dessa forma, o trabalho transcorre teoricamente sobre os Modais de Transporte, enfocando no Modal Aquaviário e após a Navegação Interior, bem como expõe sobre o tratamento dado pelo Estado-Nação na disseminação dos Modais de Transportes no Brasil, sobretudo no desequilíbrio da Matriz de Transporte brasileira derivada de diversas e esparsas políticas integradoras de resoluções mais de cunho políticas e não técnicas. Através dessa conotação técnica é que esse estudo também traz a cena a Logística de Transporte, mas, principalmente, a Geografia da Circulação, dando ênfase na apropriação pelos Geógrafos na retomada dos estudos sobre o elemento Transporte. Por fim, essa dissertação demonstra as análises – principais atores da navegação interior, cargas transportadas, instalações portuárias, problemas de navegabilidade, etc. – realizadas entre o período de 1970 a 2010, onde conclui que a situação da navegação interior comercial do Rio Grande do Sul se encontra subutilizada por falta de investimentos governamentais derivados de ações puramente políticas, desordenadas, não sistêmicas advindas de uma visão secundária e não técnica, isto é, até o momento, todas as políticas formuladas não possuem elos que as liguem a um planejamento efetivo do território brasileiro, consequentemente, do território gaúcho.

Estado do Rio Grande do Sul, Geografia, Logística de Transportes, Multimodalidade, Navegação Interior.
Este trabalho tem como objetivo principal analisar o processo histórico-social para assim compreender como se encontra representada economicamente a Navegação Interior do Estado do Rio Grande do Sul, utilizando como pano de fundo as redes técnicas, os nós portuários e todo o sistema hidroviário específico desse Estado, analisando o recorte dos últimos 40 anos da história do Rio Grande do Sul. Para tanto, perpassou-se por alguns assuntos vistos relevantes para a formulação do entendimento do objetivo principal desse trabalho, que foi demonstrar que a “vocação natural” para o uso do Modal Hidroviário, quando empregado de forma conjunta com outra modalidade e atrelado ao aparato tecnológico e aos interesses do Estado no equilíbrio da matriz de transportes, produz vantagens competitivas, crescimento econômico e desenvolvimento em escala regional. Dessa forma, o trabalho transcorre teoricamente sobre os Modais de Transporte, enfocando no Modal Aquaviário e após a Navegação Interior, bem como expõe sobre o tratamento dado pelo Estado-Nação na disseminação dos Modais de Transportes no Brasil, sobretudo no desequilíbrio da Matriz de Transporte brasileira derivada de diversas e esparsas políticas integradoras de resoluções mais de cunho políticas e não técnicas. Através dessa conotação técnica é que esse estudo também traz a cena a Logística de Transporte, mas, principalmente, a Geografia da Circulação, dando ênfase na apropriação pelos Geógrafos na retomada dos estudos sobre o elemento Transporte. Por fim, essa dissertação demonstra as análises – principais atores da navegação interior, cargas transportadas, instalações portuárias, problemas de navegabilidade, etc. – realizadas entre o período de 1970 a 2010, onde conclui que a situação da navegação interior comercial do Rio Grande do Sul se encontra subutilizada por falta de investimentos governamentais derivados de ações puramente políticas, desordenadas, não sistêmicas advindas de uma visão secundária e não técnica, isto é, até o momento, todas as políticas formuladas não possuem elos que as liguem a um planejamento efetivo do território brasileiro, consequentemente, do território gaúcho.
Navegação Interior
1
208
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE

Contexto

GEOGRAFIA DA ZONA COSTEIRA E PROCESSOS RELACIONADOS
ANÁLISE URBANO REGIONAL
-

Banca Examinadora

MARCELO VINICIUS DE LA ROCHA DOMINGUES
Sim
Nome Categoria
VIRGINIA ELISABETA ETGES Participante Externo
PEDRO DE SOUZA QUEVEDO NETO Docente
MILTON LUIZ PAIVA DE LIMA Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 12

Vínculo

-
-
-
Não