Brasil

Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA
METEOROLOGIA (42002010040P0)
VALIDAÇÃO DO MODELO AGRO-IBIS PARA UM SÍTIO EXPERIMENTAL DE SOJA NO RIO GRANDE DO SUL
GEOVANE WEBLER
DISSERTAÇÃO
24/03/2011

O modelo Agro-IBIS é validado para um sítio experimental com o cultivo de soja no estado do Rio Grande do Sul. No sítio é conduzido um experimento que tem como objetivo avaliar o impacto dos diferentes sistemas de manejo do solo em diversas áreas do conhecimeto. No sítio foram coletadas medidas micrometeorológicas das transferências de energia, massa e água entre o ecossistema da soja e a atmosfera durante o ciclo 2009/2010 da soja. O monitoramento se deu sobre dois sistemas de manejo: (i) o sistema de plantio direto (SD); (ii) sistema de plantio convencional (SC). As simulações com modelo Agro-IBIS para a soja foram realizadas com o modelo sendo forçado com dados meteorológicos do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Os resultados do modelo foram comparados com os dados observados nos SD e SC a fim de avaliar a capacidade do modelo em simular a interação do ecossistema da soja com o ambiente e, também, com o intuito de verificar os efeitos da cobertura da superfície pelos resíduos culturais no SD. Como o modelo não possui a representação dos resíduos culturais, ou seja, do SD, é esperado que seus efeitos não sejam perceptíveis nos resultados simulados. Os resultados indicam que o modelo simula o balanço radiativo e os fluxos de energia de forma consistente. Além disso, a umidade do solo nas camadas 0-20cm, 20-50cm e a integração 0-50 cm, assim como a temperatura do solo a 2cm são simuladas de forma robusta. Na umidade do solo, os resultados simulados melhor representam os dos dados observados no SC, indicando que o efeito da cobertura do solo pelos resíduos culturais não é considerado. Nas variáveis relacionadas ao CO2, é possível verificar que o modelo tem problemas em relação à simulação da respiração do ecossistema, que é fortemente subestimada. Isso leva a uma inconsistência na simulação das demais variáveis relacionadas ao CO2, principalmente àquelas que consideram os dados noturnos, já que à noite a troca líquida de CO2 (NEE) do ecossistema é a respiração do mesmo. Quando a análise dos resultados relacionados ao CO2 é restrita aos dados diurnos o modelo tem bom desempenho, exceto no período de senescência foliar, quando o modelo segue indicando absorção de CO2 pelo ecossistema e os dados experimentais indicam emissão.

Validação; Agro-IBIS; Soja; Agroecossistema
-
-
1
60
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

Contexto

METEOROLOGIA
MICROMETEOROLOGIA
DEB - ESTIMATIVAS DAS TROCAS DE CARBONO NOS AGROECOSSISTEMAS DA REDE SULFLUX.

Banca Examinadora

DEBORA REGINA ROBERTI
Sim
Nome Categoria
OTAVIO COSTA ACEVEDO Docente

Vínculo

-
-
-
Sim