Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ
ECONOMIA (40004015007P7)
O efeito do estado de saúde individual na taxa de retorno da educação e nos salários
LETICIA XANDER RUSSO
DISSERTAÇÃO
26/02/2013

A relação entre saúde com escolaridade e rendimento tem sido amplamente investigada na literatura nos últimos anos, contudo, principalmente quando se considera dados brasileiros, pouco se sabe da relação entre saúde e a taxa de retorno. O presente trabalho se preocupa com essa questão, tendo como objetivo investigar o efeito do estado de saúde individual na taxa de retorno da educação e nos salários. Como medidas para a variável saúde se considerou a auto avaliação dos indivíduos e a prevalência de doenças crônicas. O trabalho utiliza a base de dados da PNAD de 2003 e 2008, sendo empregados três métodos distintos. Os dois primeiros métodos consistem no modelo proposto por Dias, Monteiro e Dias (2012) e o terceiro método se refere à decomposição de Blinder-Oaxaca. As estimativas utilizando Heckman (1979) apontam que indivíduos com problemas de saúde, tanto para saúde auto reportada como para prevalência de doenças crônicas, apresentam menor escolaridade e rendimento. O diferencial de rendimento entre indivíduos que reportaram serem ou não saudáveis é explicado principalmente pela diferença da escolaridade entre os grupos. Para a saúde auto reportada se verificou também que há um diferencial na taxa de retorno da educação para todos os níveis, de modo que, indivíduos que reportaram não serem saudáveis tem uma menor taxa de retorno quando comparado aos indivíduos que reportaram uma boa saúde.

Retornos da educação. Saúde. Capital humano.
A relação entre saúde com escolaridade e rendimento tem sido amplamente investigada na literatura nos últimos anos, contudo, principalmente quando se considera dados brasileiros, pouco se sabe da relação entre saúde e a taxa de retorno. O presente trabalho se preocupa com essa questão, tendo como objetivo investigar o efeito do estado de saúde individual na taxa de retorno da educação e nos salários. Como medidas para a variável saúde se considerou a auto avaliação dos indivíduos e a prevalência de doenças crônicas. O trabalho utiliza a base de dados da PNAD de 2003 e 2008, sendo empregados três métodos distintos. Os dois primeiros métodos consistem no modelo proposto por Dias, Monteiro e Dias (2012) e o terceiro método se refere à decomposição de Blinder-Oaxaca. As estimativas utilizando Heckman (1979) apontam que indivíduos com problemas de saúde, tanto para saúde auto reportada como para prevalência de doenças crônicas, apresentam menor escolaridade e rendimento. O diferencial de rendimento entre indivíduos que reportaram serem ou não saudáveis é explicado principalmente pela diferença da escolaridade entre os grupos. Para a saúde auto reportada se verificou também que há um diferencial na taxa de retorno da educação para todos os níveis, de modo que, indivíduos que reportaram não serem saudáveis tem uma menor taxa de retorno quando comparado aos indivíduos que reportaram uma boa saúde.
Retornos da educação. Saúde. Capital humano.
1
79
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

TEORIA ECONÔMICA
ECONOMIA APLICADA
CAPITAL HUMANO, INSTITUIÇÕES E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO: UMA NOVA TEORIA E SUA COMPROVAÇÃO EMPÍRICA

Banca Examinadora

JOILSON DIAS
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
PAULO DE ANDRADE JACINTO Participante Externo
MARINA SILVA DA CUNHA Docente - PERMANENTE

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 24

Vínculo

-
-
-
Não