Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ
ECONOMIA (40004015007P7)
A taxa básica de juros da economia brasileira e o Regime de Metas de Inflação: comportamento e determinantes
DENISE PIPER
DISSERTAÇÃO
05/02/2013

O objetivo central do presente trabalho consiste em efetuar uma análise da dinâmica da taxa básica de juros da economia brasileira ao longo do período que se estende desde a introdução do Regime de Metas de Inflação no país. Argumenta-se que, durante o período considerado, a mencionada taxa exibe acentuado comportamento inercial e proeminente resistência à queda. São empreendidas investigações empíricas atinentes à forma funcional da regra de conduta seguida pelas autoridades monetárias nacionais, bem como testa-se, por meio de modelos VAR e SVAR, uma explicação própria para a preservação de altas taxas de juros no país, explicação esta baseada nos efeitos da produtividade da indústria brasileira sobre a taxa Selic. Os resultados obtidos no decorrer do estudo legam a constatação de que o grau de inércia da taxa básica de juros do país é extremamente elevado, alcançando um patamar de 0.924, o que implica que a maior fonte de influência sobre os valores correntes dessa taxa consiste em seus próprios valores defasados. Adicionalmente, verifica-se que, dentre as variáveis macroeconômicas que afetam, em alguma medida, o processo de determinação da taxa de juros pelas autoridades monetárias nacionais, podem-se destacar, em ordem de importância, a diferença entre a inflação esperada e a meta fixada para certo intervalo de tempo, o hiato do produto e a taxa de câmbio real efetiva. Por fim, os modelos estimados evidenciam que há uma relação inversa entre taxa básica de juros e produtividade do trabalho na indústria brasileira em um contexto de longo prazo, sinalizando que o estímulo ao aumento da produtividade pode ser um elemento a auxiliar na resolução do problema dos elevados juros no Brasil em um horizonte ampliado de tempo.

Taxa de jurso. Regime de Metas de Inflação. Inércia. Resistência à queda. Produtividade.
O objetivo central do presente trabalho consiste em efetuar uma análise da dinâmica da taxa básica de juros da economia brasileira ao longo do período que se estende desde a introdução do Regime de Metas de Inflação no país. Argumenta-se que, durante o período considerado, a mencionada taxa exibe acentuado comportamento inercial e proeminente resistência à queda. São empreendidas investigações empíricas atinentes à forma funcional da regra de conduta seguida pelas autoridades monetárias nacionais, bem como testa-se, por meio de modelos VAR e SVAR, uma explicação própria para a preservação de altas taxas de juros no país, explicação esta baseada nos efeitos da produtividade da indústria brasileira sobre a taxa Selic. Os resultados obtidos no decorrer do estudo legam a constatação de que o grau de inércia da taxa básica de juros do país é extremamente elevado, alcançando um patamar de 0.924, o que implica que a maior fonte de influência sobre os valores correntes dessa taxa consiste em seus próprios valores defasados. Adicionalmente, verifica-se que, dentre as variáveis macroeconômicas que afetam, em alguma medida, o processo de determinação da taxa de juros pelas autoridades monetárias nacionais, podem-se destacar, em ordem de importância, a diferença entre a inflação esperada e a meta fixada para certo intervalo de tempo, o hiato do produto e a taxa de câmbio real efetiva. Por fim, os modelos estimados evidenciam que há uma relação inversa entre taxa básica de juros e produtividade do trabalho na indústria brasileira em um contexto de longo prazo, sinalizando que o estímulo ao aumento da produtividade pode ser um elemento a auxiliar na resolução do problema dos elevados juros no Brasil em um horizonte ampliado de tempo.
Taxa de jurso. Regime de Metas de Inflação. Inércia. Resistência à queda. Produtividade.
1
87
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

TEORIA ECONÔMICA
ECONOMIA APLICADA
-

Banca Examinadora

MARIA HELENA AMBROSIO DIAS
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
MARCIA REGINA GABARDO DA CAMARA Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 12

Vínculo

-
-
-
Não