Brasil

Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE
GEOGRAFIA (42004012015P5)
ANÁLISE DA VULNERABILIDADE NOS BALNEÁRIOS QUERÊNCIA-ATLÂNTICO SUL E HERMENEGILDO (RS) A PARTIR DE INDICADORESGEOMORFOLÓGICOS E ANTRÓPICOS
DEIVID CRISTIAN LEAL ALVES
DISSERTAÇÃO
28/08/2013

Esta dissertação de mestrado em Geografia analisa as principais vulnerabilidades existentes nos balneários Querência-Atlântico Sul e Hermenegildo, a partir de indicadores geomorfológicos e antrópicos. Os dois recortes espaciais do estudo estão inseridos na Província Costeira do Rio Grande do Sul e fazem parte dos municípios do Rio Grande e de Santa Vitória do Palmar. Para efetivar a análise foram utilizados como referencial teóricoconceitual os pressupostos da geomorfologia ambiental, vertente do estudo do relevo que objetiva a interpretação integrada de elementos morfológicos e antrópicos. Essa proposta integrada de análise também está presente nos conceitos de vulnerabilidade e suscetibilidade empregados. Para tanto, foram selecionados seis indicadores de avaliação do estado do ambiente: evolução da linha de costa, configuração de dunas, elevação do terreno, estruturas de contenção costeira, distância média da faixa urbana e densidade da ocupação. As análises destes indicadores foram realizadas por meio de imagens da superfície terrestre e levantamentos topográficos, acompanhados de uma revisão bibliográfica com a finalidade de compilar dados de apoio ao estudo. Esses dados alimentaram uma tabela de checagem com atribuição de três níveis associados à baixa, intermediária e alta suscetibilidade, conforme metodologia consultada. De forma paralela, foram elaboradas estimativas de crescimento da ocupação dos balneários através de um recorte temporal de dez anos. Como resultado, constatou-se que no Balneário Querência- Atlântico Sul a linha de costa vem migrando em direção ao oceano, havendo ocorrência de dunas frontais expressivas entre a área urbana e o mar, que agem como uma proteção natural. A ocupação no balneário está situada predominantemente entre as cotas de 3 a 5 metros acima do nível relativo do mar, a uma distância média de 269,48 metros do fronte das dunas. Já no Balneário Hermenegildo, a linha de costa migra em direção ao continente, que juntamente com o crescimento urbano, suprimiram as dunas frontais, expondo a área urbana à ação marinha, o que ocasionou a construção de estruturas de contenção. A ocupação do balneário está situada predominantemente entre as cotas de 3 a 5 metros, com média de 28,83 metros de distância das estruturas de contenção/escapa das dunas. A partir da avaliação dos indicadores no Balneário Querência-Atlântico Sul, foi constatado que a vulnerabilidade no recorte está, principalmente, relacionada às características morfológicas do sítio urbano e seu rápido crescimento (80% entre 2002 e 2012). Episódios de inundação provocados por marés de tempestade estão associados à baixa topografia e pequena declividade do terreno adjacente a descontinuidades do cordão de dunas frontais. Há também ocorrência de pontos de alagamento na área urbanizada, fruto de características morfológicas do sítio que são agravadas pelo processo de ocupação. No Balneário Hermenegildo, a vulnerabilidade é primariamente correlacionada à retração da linha de costa e a ocupação defrontante a praia. A ausência de uma zona de amortecimento natural impulsionou a construção de estruturas de contenção. Essas intervenções minimizam o impacto iminente, mas trazem problemas indiretos ao balanço sedimentar que se estabelece na costa.

análise integrada; vulnerabilidade; geoindicadores; urbanização costeira.
Esta dissertação de mestrado em Geografia analisa as principais vulnerabilidades existentes nos balneários Querência-Atlântico Sul e Hermenegildo, a partir de indicadores geomorfológicos e antrópicos. Os dois recortes espaciais do estudo estão inseridos na Província Costeira do Rio Grande do Sul e fazem parte dos municípios do Rio Grande e de Santa Vitória do Palmar. Para efetivar a análise foram utilizados como referencial teóricoconceitual os pressupostos da geomorfologia ambiental, vertente do estudo do relevo que objetiva a interpretação integrada de elementos morfológicos e antrópicos. Essa proposta integrada de análise também está presente nos conceitos de vulnerabilidade e suscetibilidade empregados. Para tanto, foram selecionados seis indicadores de avaliação do estado do ambiente: evolução da linha de costa, configuração de dunas, elevação do terreno, estruturas de contenção costeira, distância média da faixa urbana e densidade da ocupação. As análises destes indicadores foram realizadas por meio de imagens da superfície terrestre e levantamentos topográficos, acompanhados de uma revisão bibliográfica com a finalidade de compilar dados de apoio ao estudo. Esses dados alimentaram uma tabela de checagem com atribuição de três níveis associados à baixa, intermediária e alta suscetibilidade, conforme metodologia consultada. De forma paralela, foram elaboradas estimativas de crescimento da ocupação dos balneários através de um recorte temporal de dez anos. Como resultado, constatou-se que no Balneário Querência- Atlântico Sul a linha de costa vem migrando em direção ao oceano, havendo ocorrência de dunas frontais expressivas entre a área urbana e o mar, que agem como uma proteção natural. A ocupação no balneário está situada predominantemente entre as cotas de 3 a 5 metros acima do nível relativo do mar, a uma distância média de 269,48 metros do fronte das dunas. Já no Balneário Hermenegildo, a linha de costa migra em direção ao continente, que juntamente com o crescimento urbano, suprimiram as dunas frontais, expondo a área urbana à ação marinha, o que ocasionou a construção de estruturas de contenção. A ocupação do balneário está situada predominantemente entre as cotas de 3 a 5 metros, com média de 28,83 metros de distância das estruturas de contenção/escapa das dunas. A partir da avaliação dos indicadores no Balneário Querência-Atlântico Sul, foi constatado que a vulnerabilidade no recorte está, principalmente, relacionada às características morfológicas do sítio urbano e seu rápido crescimento (80% entre 2002 e 2012). Episódios de inundação provocados por marés de tempestade estão associados à baixa topografia e pequena declividade do terreno adjacente a descontinuidades do cordão de dunas frontais. Há também ocorrência de pontos de alagamento na área urbanizada, fruto de características morfológicas do sítio que são agravadas pelo processo de ocupação. No Balneário Hermenegildo, a vulnerabilidade é primariamente correlacionada à retração da linha de costa e a ocupação defrontante a praia. A ausência de uma zona de amortecimento natural impulsionou a construção de estruturas de contenção. Essas intervenções minimizam o impacto iminente, mas trazem problemas indiretos ao balanço sedimentar que se estabelece na costa.
análise integrada; vulnerabilidade; geoindicadores; urbanização costeira.
1
104
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE

Contexto

GEOGRAFIA DA ZONA COSTEIRA E PROCESSOS RELACIONADOS
ANÁLISE DOS SISTEMAS NATURAIS E AMBIENTAIS
Relações entre a Geomorfologia e utilização da Orla Oceânica entre a Barra do Rio Grande e a Barra do Chuí, RS, Brasil como subsídio a ações de planejamento

Banca Examinadora

ULISSES ROCHA DE OLIVEIRA
Sim
Nome Categoria
MIGUEL DA GUIA ALBUQUERQUE Participante Externo
JOAO LUIZ NICOLODI Participante Externo
PEDRO DE SOUZA QUEVEDO NETO Docente

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - CAPES/FAPERGS 24

Vínculo

Colaborador
Empresa Pública ou Estatal
Pesquisa
Não