Dados do Projeto de Pesquisa

LITERATURA (41001010013P4)
Montegemúsica
01/03/2017
PESQUISA
EM ANDAMENTO
Com este projeto pretendo pesquisar, o mais profunda e apaixonadamente possível, as possibilidades de assumir, com rigor epistemológico e metodológico, a composição musical enquanto montagem ? e vice-versa. Supondo ser possível essa assunção, pretendo também investigar seu alcance político. Um de meus principais pressupostos aqui é o sentido de musa explorado por Agamben (em ?A música suprema?, capítulo de Che cos?è la filosofia?, de 2016) a partir de Hesíodo, Platão e Aristóteles. A musa está no lugar originário da palavra, ao qual ninguém tem acesso sem sua permissão ou sua intervenção ? lugar de origem do que não tem origem. A ela o poeta recorre para poder falar enquanto poeta, com palavras que não designam coisas, mas que provêm das coisas, do próprio ser. Com anuência da musa o poeta trabalha os limites da linguagem, a música, assim como o filósofo. Assim, lembra Agamben, Platão (no Fedon) trata a filosofia como ?música suprema? (μεγιστης μουσικης). Ainda para Agamben, trabalhar nesse limite da linguagem é ser político. Portanto não há como separar música de política, enquanto experiência com esses limites. A música medíocre, que negligencia essa experiência, corresponde diretamente à política medíocre dos contextos em que ela se faz ouvir. Do mesmo modo, no famoso texto ?A dramaturgia da forma do filme?, de 1929, Serguei Eisenstein ? centro de meu projeto de pesquisa anterior ? define diretamente, arbitrariamente: Arte = Política. Junto com essa definição, lembremos de que toda arte, em Eisenstein, assim como praticamente qualquer movimento do pensamento humano, tem por base a montagem. Esta é mais abrangente que a arte, por sua vez mais abrangente que o cinema ? como demonstra Antonio Somaini, em livro de 2011. E são suficientemente conhecidas as propostas de Eisenstein de experimentar limites de linguagem, nos ensaios, nos filmes, nos desenhos ? às vezes se referindo a estágios pré-linguísticos de saber. Além disso, Eisenstein também usava o termo ?composição? para montagem. Portanto não seria forçado ver em Eisenstein a montagem como gesto político por excelência ? equivalência que ganha reforço importante na noção de história em Walter Benjamin. Para Benjamin, ver a história como acúmulo de ruínas (fundamentando esse gesto por um tempo messiânico, pulsante, carregado de agoras, de transformações iminentes) é pressuposto básico a qualquer gesto de politização ? da arte, da vida. É fácil, portanto, fundamentar tanto a concepção de música quanto a de montagem como experiência com limites da linguagem, e portanto como gesto político. Dentro disso, pretendo examinar associações diretas entre gestos musicais e gestos de montagem, a fim de buscar, quem sabe, um possível estado de indistinção entre montagem e música ? audível, talvez, no som (sem emissão ou articulação, sem vogal, sem palavra) da boca chiusa indicada pelo ?m? comum às duas palavras instalado na sobreposição (montagem) entre elas no título deste projeto. Apenas como exemplo das primeiras aproximações encorajadoras, consideremos, de um lado, softwares de montagem, como o Prémière, e de outro, softwares de produção musical, como o Ableton: ambos se baseiam, com suas regras e dispositivos para associação de fragmentos, na mesma lógica de construção de partituras ? que remonta ao século 9. Considere-se por fim que, com esse objeto central, esse projeto de pesquisa estará sendo desenvolvido, desde o início, em estreita relação com minhas atividades de ensino (Teoria do Cinema na Graduação, Teoria(s) da imagem no Programa de Pós-Graduação em Literatura) e de extensão (participação como músico em espetáculos teatrais, composição e execução ao vivo de trilhas sonoras de filmes, oficinas sobre música para grupo teatral, gravações de performances musicais etc).

Histórico de Linhas de Pesquisa

Linha de Pesquisa Área de Concentração Data de Início
ARQUIVO, TEMPO, IMAGEM LITERATURAS 01/03/2017

Equipe

Nome Categoria Início do Vínculo Fim do Vínculo
LUCIANE BERNARDI DE SOUZA Discente - Doutorado 01/03/2018 -
LUIZ FELIPE GUIMARAES SOARES (Responsável pelo Projeto) Docente - PERMANENTE 01/03/2017 -
MARIBEL BARBOSA DA CUNHA Discente - Doutorado 01/03/2017 -
RODRIGO AMBONI Discente - Doutorado 13/05/2017 -
TIAGO GOUVEIA FARIA Discente - Doutorado 01/03/2017 -

Financiadores