Dados do Projeto de Pesquisa

ESTUDOS DE FRONTEIRA (14001012156P0)
Observatório das Fronteiras do Platô das Guianas (OBFRON)
15/03/2017
PESQUISA
EM ANDAMENTO
As políticas de desenvolvimento e integração física do Brasil aos países sul-americanos colocaram a Amazônia brasileira na condição de espaço central e estratégico para a nova dinâmica do crescimento econômico. Contudo, os municípios fronteiriços, palco dos processos de integração, como os da fronteira setentrional amazônica continuam mergulhados em sérios problemas sociais e marcados pela precariedade dos serviços e acesso aos bens públicos. Esse painel é agravado pela dificuldade de articulação estadual e municipal na aplicação de políticas públicas capazes de dar repostas efetivas. Apesar dos esforços empreendidos pelo governo federal para promover erradicação da miséria e qualificação de políticas sociais que promovam os direitos e garantias fundamentais dos cidadãos, o despreparo dos atores locais, a ausência da participação da população e as dificuldades de gestão das informações necessárias para a formulação de politicas contextualizadas e coerentes com as demandas sociais se mostram como importantes desafios a ser superados. Desde meados da última década do século XX tem se observado novas dinâmicas territoriais do Platô das Guianas. Vários trabalhos focando o tema foram produzidos e defendidos em eventos nacionais e internacionais; em dissertações e teses; discutidos em salas de aula de graduação e pós-graduação na UNIFAP; bem como foram escritos em periódicos e em livros. Enfim, foram construídas e instaladas capacidades reflexivas locais e pessoal qualificado sobre relações internacionais e transfronteiriças, políticas públicas, planejamento urbano e desenvolvimento regional e em rede. As discussões sobre a questão fronteiriça no platô das Guianas vêm desde o período colonial e envolveu inserções de holandeses, ingleses e franceses neste espaço. Num destes casos prevaleceram as ações entre Brasil-França, a partir da fronteira entre Guiana Francesa e Amapá. Ao ser criado o Território do Federal do Amapá (em 1943), este recebeu elevados investimentos infra-estruturais, mas não articulava a fronteira Brasil/França. Com esses investimentos, ocorreram intensas transformações espaciais decorrente de vários fatores. Dentre os vários fatores existentes que afetam a dinâmica transfronteiriça no Platô das Guianas, há a necessidade de se entender, analisar e acompanhar com estudos, projetos sobre a fronteira que reflitam as perspectivas de Condição fronteiriça; Políticos públicas transfronteiriças; Configurações urbanas da/na fronteira; A inserção e a função da fronteira na economia-mundo; e a Política territorial. Para acompanhar e colaborar neste debate, focando as relações transfronteiriças e as dinâmicas territoriais do platô das Guianas, um grupo de pesquisadores da Universidade Federal do Amapá se reuniu a colaboradores de outras universidades nacionais e internacionais para focar reflexões sobre o desenvolvimento regional, as políticas públicas, o planejamento urbano e a nova geopolítica regional. Tais orientações serviram de subsídios iniciais para a criação e formação do Observatório das Fronteiras Amazônicas do Platô das Guianas (OBFRON) , a fim de analisar as dinâmicas territoriais, econômicas, sociais, culturais, políticas e o processo de desenvolvimento transfronteiriço das fronteiras do Platô das Guianas, englobando Guiana Francesa, Suriname, República Cooperativa da Guiana e Venezuela. O observatório permite discutir as dinâmicas e planejamento territoriais das fronteiras do Platô das Guianas e também apresentar propostas de políticas públicas e desenvolvimento regional...

Histórico de Linhas de Pesquisa

Linha de Pesquisa Área de Concentração Data de Início
CULTURA, SOCIEDADE E FRONTEIRA Fronteira e Sociedade 15/03/2017

Equipe

Nome Categoria Início do Vínculo Fim do Vínculo
ELIANE SUPERTI Docente - PERMANENTE 15/03/2017 -
GUTEMBERG DE VILHENA SILVA Docente - PERMANENTE 15/03/2017 -
IURI CAVLAK (Responsável pelo Projeto) Docente - PERMANENTE 15/03/2017 -
JODIVAL MAURICIO DA COSTA Docente - PERMANENTE 15/03/2017 -
PAULO GUSTAVO PELLEGRINO CORREA Docente - PERMANENTE 15/03/2017 -

Financiadores