Dados do Projeto de Pesquisa

LITERATURA (41001010013P4)
Para uma conceituação da bioestética
01/03/2014
PESQUISA
EM ANDAMENTO
A Estética tem uma dimensão abertamente fundacional da experiência, que exige concebê-la como uma reflexão cujo objeto é a mais íntima exposição do sentir humano, a do contato ou aisthesis, na esfera da operação cognitiva e da produção de sentido, o que alavanca formas de saber e formas de vida, que a vinculam, em última análise, com a técnica e o artifício. Nietzsche abre esse debate ao conceitura a religião, a moral e a filosofia como formas de décadence do homem ocidental. E esse modo de encarar o problema de uma progressiva anestetização da vida moderna, levava Nietzsche a constatar um descompasso entre as noções de arte e verdade, em outras palavras, esse hiato fazia com que o filósofo pensasse a arte como uma estética fisiológica, estreitamente ligada à vida, vida essa, por sinal, que ele concebia como vontade de poder, isto é, vontade de chance, de acaso, de arbítrio ou de jogo, em suma, como uma forma de bio-poder. A bioestética define, portanto, uma condição fundacional do sujeito moderno, qual seja, sua operatividade como força, em perpétuo estado de embriaguez, resultado do qual obtemos a obra de arte que, sob um ponto de vista perspectivista, nada mais é do que produção de formas de vida. Mas, nesse ponto, impõe-se o paradoxo de constatar que, quanto mais se expandem a criatividade e a operatividade da obra, mais se firma o desejo de controlar sua expansão fora de si. Essa tensão, que irá se avolumando em Heidegger, Deleuze, Foucault e Badiou, autores que abalam as figuras metafísicas fundacionais, tais como a totalidade, a universalidade, a essência ou o próprio fundamento da estética, nos conduz a um cenário em que domina já não a inexistência de fundamento da disciplina mas, a rigor, a ausência de um fundamento derradeiro, reconhecendo, assim, tanto a permanente contingência do estético, quanto seu caráter de fundamento apenas parcial e, em última análise, sempre falido, porque, ao acatarmos a autonomia e historicidade do próprio acontecimento estético, estamos, implicitamente, admitindo a indeclinável necessidade de decisão, perante a não menos incontornável divisão, discórdia e antagonismo que atravessam a esfera artística contemporânea..

Histórico de Linhas de Pesquisa

Linha de Pesquisa Área de Concentração Data de Início
TEORIA DA MODERNIDADE LITERATURAS 01/03/2014

Equipe

Nome Categoria Início do Vínculo Fim do Vínculo
ANDRE PIAZERA ZACCHI Discente - Doutorado 01/03/2018 -
BIANCA TOMASELLI Discente - Doutorado 01/03/2018 -
JOSIMAR JOSE FERREIRA Discente - Doutorado 01/03/2018 -
MARINA DOS SANTOS FERREIRA Discente - Doutorado 01/03/2018 -
RAUL HECTOR ANTELO (Responsável pelo Projeto) Docente - PERMANENTE 10/09/2014 -
RENATA DA SILVA DIAS PEREIRA DE VARGAS Discente - Doutorado 01/03/2018 -

Financiadores

Nome Natureza do Financiamento Início Fim
CONS NAC DE DESENVOLVIMENTO CIENTIFICO E TECNOLOGICO - (Bolsa Produtividade em Pesquisa) BOLSA 01/03/2014 -