Brasil

Dados da Disciplina

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
LITERATURA BRASILEIRA (33002010110P0)
OURO PRETO REVISITADA: UMA HISTÓRIA DA POESIA BRASILEIRA
FLC
6171
8
01/01/2012 à -
Não
Objetivos Elaborar uma breve história da poesia brasileira tendo como topos a cidade de Ouro Preto. Tal perspectiva articula um percurso de leitura cujo ponto de partida é o poema Vila Rica [1773], de Cláudio Manuel da Costa, passa por autores românticos [Castro Alves], parnasianos [Olavo Bilac e Raimundo Correia], simbolistas [Alphonsus de Guimaraes] e se encerra com a visada crítica e criativa dos modernistas. Dentre estes, serão analisados poemas de Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade e os livros Romanceiro da Inconfidência [1953], de Cecília Meireles e Contemplação de Ouro Preto, [1954] de Murilo Mendes. Justificativa A ideia é proporcionar ao estudioso da poesia brasileira novas formas de ler e interpretar a nossa tradição literária. Deste ângulo, será possível compreender que o modernismo brasileiro nem sempre privilegiou o signo da ruptura, mas procurou também enfatizar linhas de continuidade. As análises realizadas ao longo do curso terão como horizonte crítico um diálogo constante com a crônica, o drama lírico, o urbanismo, a arquitetura, a pintura e a fotografia. Conteúdo 1. Apresentação do programa. 2. Fundação mítica de Ouro Preto: Vila Rica [1773] de Cláudio M. da Costa. 3. Romantismo: Gonzaga ou A Revolução de Minas [1867] de Castro Alves. 4. Parnasianismo: “Saudade” de Raimundo Correia e “Vila Rica”, de O. Bilac. 5. Simbolismo: Alphonsus de Guimaraens. 6. Mineração de Mário de Andrade. 7. “Roteiro das Minas” de Oswald de Andrade. 8. Ouro Preto por Manuel Bandeira. 9. Confissões de Minas: Carlos Drummond de Andrade. 10. Romanceiro da Inconfidência de Cecília Meireles. 11. Contemplação de Ouro Preto de Murilo Mendes. 12. Vistas de Ouro Preto: pintura, fotografia e arquitetura.
I. Obrigatória 1. Vila Rica, de Cláudio Manuel da Costa in: A poesia dos inconfidentes. Organização de Domício Proença Filho. RJ: Nova Aguilar, 1996. 2. Gonzaga ou A Revolução de Minas, de Castro Alves in: Obra completa. Organização de Eugênio Gomes. RJ: Nova Aguilar, 1997. 3. “Saudade”, de Raimundo Correia, incluído em Verso e versões (1887) e “Vila Rica”, de Olavo Bilac, incluído em Tarde (1919). 4. Poesia completa de Alphonsus de Guimaraens. Organização de Alexei Bueno e Afonso Henriques Neto. RJ: Nova Aguilar, 2001. 5. A arte religiosa no Brasil – série de quatro artigos de Mário de Andrade, originalmente publicados na Revista do Brasil (RJ, n.º 49, 50, 52, 54, entre janeiro e junho de 1920). Outros dois aparecem em A Cigarra. O primeiro, “Alphonsus”, é uma crônica sobre sua visita ao poeta simbolista Alphonsus de Guimarães (ano VI, n.º 117, 1 ago. 1919), recriada anos depois por Carlos Drummond de Andrade no poema “A Visita” (1977). O segundo é um estudo sobre a festa do Triunfo Eucarístico (ano VI, n.º 123, 1 nov. 1919). 6. “Roteiro de Minas” in Pau-Brasil (Paris, Sans Pareil, 1925) de Oswald de Andrade. 7. “Ouro Preto” in Lira dos Cinquent’anos (RJ: Edição do autor, 1940) de Manuel Bandeira. Guia de Ouro Preto (1938 – ilustrações de Luís Jardim). 8. “Lanterna mágica”, conjunto de poemas incluídos em Alguma poesia (BH: Pindorama, 1930); “Estampas de Vila Rica” e “Morte das Casas de Ouro Preto” in Claro Enigma (RJ: José Olympio, 1951); “A visita” in A paixão medida (RJ: José Olympio, 1980) de Carlos Drummond de Andrade. 9. Romanceiro da Inconfidência (RJ, Livros de Portugal, 1953) de Cecília Meireles. 10. Contemplação de Ouro Preto (RJ, MEC, 1954) de Murilo Mendes. II. Geral AGUIAR, Melânia Silva de. “O direito e o avesso na poesia de Cláudio Manuel da Costa” in Revista do Instituto de Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto, jan. 1987. ______. “A trajetória poética de Cláudio Manuel da Costa”, in: Poesia dos Inconfidentes. RJ: Nova Aguilar, 1996. ALCIDES, Sérgio. Estes penhascos: Cláudio Manuel da Costa e a paisagem de Minas 1753-1773. SP: Hucitec, 2003. AMARAL, Aracy A. Blaise Cendrars no Brasil e os modernistas. SP: Editora 34/ Fapesp, 1997. 3a. edição. ANDRADE, Carlos Drummond de Andrade. Confissões de Minas [1944]. SP: Cosac Naify, 2011. 2a edição. _____. Passeios na ilha [1952]. SP: Cosac Naify, 2001. 2a edição. ANDRADE, Mário de. “Alphonsus” in A Cigarra, ano IV, n.º 117, SP, 1 ago. 1919. _____ O Aleijadinho e Álvares de Azevedo. RJ, R.A Editora, 1935. _____. A arte religiosa no Brasil. SP: Experimento/ Giordano, 1993. _____. Cartas de trabalho. Correspondência com Rodrigo Mello Franco de Andrade (1936-1945). Brasília: MEC/ SPHAN/Pró-Memória, 1981. ANDRADE, Oswald de. “Embaixada artística: Minas histórica através da visão de um esteta moderno” in Os dentes do dragão. SP, Globo/ Secretaria do Estado da Cultura de SP, 1990. _____ “A arcádia e a inconfidência” in Do Pau-Brasil à antropofagia e às utopias. RJ: Civilização Brasileira, 1970. _____ “A lição da inconfidência” in Estética e Política. SP: Globo/ Secretaria do Estado da Cultura de SP, 1992. ARANTES, Paulo E. e Otília B. Fiori. Sentido da formação. SP: Paz e Terra, 1997. ÁVILA, Afonso. O lúdico e as projeções do mundo barroco. SP: Perspectiva, 1971 [3ª edição atualizada e ampliada, 2 vols., 1994). _____ Barroco: teoria e análise (org.). SP: Perspectiva, 1997. _____ Catas de aluvião: do pensar e do ser em Minas. RJ: Graphia, 2000. BANDEIRA, Manuel. Guia de Ouro Preto. RJ: Ministério da Educação e Saúde, 1938. 3a edição. _____ “Ouro Preto” (poema) in Ilustração Brasileira, ano IX, n.º 94, RJ, jun. 1928. _____ “O Aleijadinho” in Ilustração Brasileira, ano IX, n.º 95, RJ, jul. 1928. Republicado em Crônicas da Província do Brasil. RJ: Civilização Brasileira, 1937. 2ª. edição. SP: Cosac Naify, 2006. _____ “Defesa de Ouro Preto”, in: Ilustração Brasileira, n. 97, ano IX, RJ, set. 1928. Republicado em Crônicas inéditas I. Organização, posfácio e notas de Júlio Castañon Guimarães. SP: Cosac Naify, 2008. _____ “De Vila Rica de Albuquerque a Ouro Preto dos estudantes” in O Jornal, RJ, 15 mai. 1929. Republicado em Crônicas da Província do Brasil. RJ: Civilização Brasileira, 1937. 2ª. edição. SP: Cosac Naify, 2006. _____ “Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho” in Diário Nacional, RJ, 30 ago. 1930. Crônicas da Província do Brasil. RJ: Civilização Brasileira, 1937. 2ª. edição. SP: Cosac Naify, 2006. _____ “Ouro Preto, monumento nacional” in Estado de Minas, 20 jul. 1933. Republicado em Crônicas inéditas 2. Organização, posfácio e notas de Júlio Castañon Guimarães. SP: Cosac Naify, 2009. “História da construção da Igreja do Carmo de Ouro Preto, de autoria de Francisco Antônio Lopes” in A Manhã, RJ, 29 jan. 1943. Republicado em Crônicas inéditas 2. Organização, posfácio e notas de Júlio Castañon Guimarães. SP: Cosac Naify, 2009. _____ “Minha gente, salvemos Ouro Preto” in Opus 10. RJ: Hipocampo, 1952. BASTIDE, Roger. Psicanálise do cafuné. Curitiba: Guaíra, 1941. BAZIN, Germain. A Arquitetura religiosa e barroca no Brasil. Tradução de Glória Lúcia Nunes. RJ: Record, 1983. 2 vols. _____ O Aleijadinho e a escultura barroca no Brasil. Tradução de Mariza Murray. RJ: Record, 1971. 2ª edição. BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. SP: Companhia das Letras, 1992. _____ O ser e o tempo da poesia. SP: Companhia das Letras, 2000. 6.ª edição. BROCA, Brito. “Blaise Cendrars no Brasil, em 1924”. A Manhã, RJ, 4 mai. 1952. _____ “Uma grande época literária em Ouro Preto” in Naturalistas, parnasianos e decadistas – Vida Literária do Realismo ao Pré-Modernismo de Brito Broca. Campinas: Editora da Unicamp, 1991. _____ “Conversa sobre o barroco” in O repórter impenitente. Campinas: Unicamp, 1994. CALIL, Carlos Augusto. “Sous le signe de l’Aleijadinho” in Brésil, l’Utopialand de Blaise Cendrars, org. Maria Teresa de Freitas e Claude Leroy. Paris: L’Harmattan, 1998. CAMPOS, Paulo Mendes. Mariana: arte para o céu. BH: Comissão Pró-Restauração da catedral e orgão da Sé de Mariana, 1985. CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira. RJ: Ouro sobre Azul, 2006. 10.ª edição. _____ “Os poetas da Inconfidência” in Anuário do Museu da Inconfidência. Ouro Preto: MINC/ IBPC, n.º 9. “Confissões de Minas” in Folha da Manhã. São Paulo, 15 out. 1944. Republicado em Confissões de Minas [1944]. SP: Cosac Naify, 2011. 2a edição. _____ “Passeio a Sabarᔠin Suplemento Literário do Estado de São Paulo, n.º 11, São Paulo, 22 dez. 1956. CARPEAUX, Otto Maria. “Problemas mineiros” in A Manhã, Letras e Artes, Ano II, n.º 83, RJ, 1 mai. 1948. _____ “Elogio de Ouro Preto” in Presenças. RJ: MEC/ INL, 1958. _____ “Ouro Preto (8 de julho de 1711)” in Vinte e cinco anos de literatura. RJ: Civilização Brasileira, 1968. _____ “Um estudioso do passado mineiro” in Sobre Letras e Artes. São Paulo: Nova Alexandria, 1992. CAVALCANTI, Lauro. As preocupações do Belo: arquitetura moderna brasileira dos anos 30/ 40. RJ: Taurus, 1995. COSTA, Lúcio. “O Aleijadinho e a arquitetura tradicional” in O Jornal, Edição especial sobre Minas Gerais. RJ, 15 mai. 1929. _____ Arquitetura brasileira. RJ: Ministério da Educação e Saúde, 1952. _____“Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho” in Catálogo da exposição no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 26 de abril a 26 de maio de 1978. _____ “Lúcio Costa sobre Aleijadinho” in Gávea, n.º 3, RJ, jun. 1986. (Entrevista a Carlos Zílio, Jorge Czajkowski e Ronaldo Brito) _____ Lúcio Costa - registro de uma vivência, RJ: Empresa das Artes/ UNB, 1995. _____ Com a palavra Lucio Costa. Org. de Maria Elisa Costa. RJ: Aeroplano, 2000. _____ Arquitetura. RJ: Jose Olympio, 2002. DIAS, Fernando Correia. “De como nasceu e durou o amor de Mário a Minas” in Suplemento Literário de Minas, n.º 93, BH, 8 jun. 1968. _____ O movimento modernista em Minas: uma interpretação sociológica. Brasília: UNB/ Ebrasa, 1971. EULÁLIO, Alexandre. “Ouro Preto e Diamantina” e “A história como romance: a obra menor de Joaquim Felício dos Santos” in Remate de Males, Revista do Departamento de Teoria Literária/ IEL/ UNICAMP, jun. 1993. _____ “Retrato de Tiradentes”, “O pobre, porque é pobre, pague tudo”, “Verso e reverso de Gonzaga” e “Joaquim Felício dos Santos, cronista romântico” in O Livro Involuntário. org. por Carlos Augusto Calil & Maria Eugenia Boaventura. RJ, UFRJ, 1993. FONSECA, Cláudia Damasceno. Arraiais e vilas d’El Rei: espaço e poder nas Minas setecentistas. BH: Editora da UFMG, 2011. HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. SP: Cia das Letras, 1995.. _____ A época colonial, tomo I, volume 2, História geral da civilização brasileira. SP: Difel, 1982. 5.ª edição. _____ Capítulos de literatura colonial. Organização e introdução de Antonio Candido. SP: Brasiliense, 1991. JÚNIOR, Guilherme Simões Gomes. Palavra peregrina: o barroco e o pensamento sobre artes e letras no Brasil. SP: Edusp, 1998. LIMA, Alceu Amoroso, “Pelo passado nacional” in Revista do Brasil, SP, set. 1916. _____ Voz de Minas. RJ: Agir, 1945. LOPES, Hélio. Introdução ao poema ‘Vila Rica’. Juiz de fora: Muriaé, 1985. _____ Letras de Minas e outros ensaios. Org. de Alfredo Bosi. SP: Edusp, 1997. MACHADO, Lourival Gomes. Viagem a Ouro Preto. Separata da Revista do Arquivo, n.º CXXIV, SP, Departamento de Cultura, 1949. ________ Reconquista de Congonhas. Fotos de Eduardo Ayrosa. RJ: INL, 1960. ________ Barroco Mineiro. SP: Perspectiva, 1969 [3.ª edição, 1978]. MAXWELL, Kenneth. A devassa da devassa: a Inconfidência mineira, Brasil e Portugal 1750-1808. Tradução de João Maia. SP: Paz e Terra, 1995. 3.ª edição. MEIRELES, Cecília. “Passado” in A Manhã, RJ, 21 abr. 1943. Incluído em Obra em prosa, volume I, Crônicas em geral, tomo 1, RJ: Nova Fronteira, 1998. _____ “Ouro Preto” in Folha da Manhã, São Paulo, 20 nov. 1949. Incluído em Obra em prosa, volume I, Crônicas em geral, tomo 1, RJ: Nova Fronteira, 1998. _____ “Minas em Roma” in Crônicas de viagem, tomo 2. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999. _____ “A casa e a estrela” in Crônicas de viagem, tomo 2. RJ: Nova Fronteira, 1999. _____ “Semana Santa” in Folha de S.Paulo, 31 mar. 1964. Incluído em Crônicas de viagem, tomo 3. RJ: Nova Fronteira, 1999. _____ “Por amor a Ouro Preto” in Folha de São Paulo, 1 set. 1964. Crônicas de viagem, tomo 3. RJ: Nova Fronteira, 1999. MENDES, Murilo. “Romanceiro da Inconfidência” in Vanguarda, RJ, 1953. _____. “Ouro Preto ameaçada” in A Manhã, Letras e Artes, RJ, 21 ago. 1949. MORAES, Vinicius de. “Ouro Preto de hoje, Ouro Preto de sempre” in Manchete, n. 54, RJ, 2 de mai. 1953. Republicado em Para uma menina com uma flor. SP: Companhia das Letras, 1992. 19a edição. NAVES, Rodrigo. A forma difícil. SP: Companhia das Letras, 2011. 2 edição. REIS, Nestor Goulart. Imagens de vilas e cidades do Brasil colonial. SP: Edusp/ Imprensa Oficial do Estado, 2001. SALLES, Fritz Teixeira de. Vila Rica do Pilar. BH: Itatiaia/ Edusp, 1982. SANTOS, Paulo F. SANTOS, Paulo F.. Formação de cidades no Brasil colonial. Coimbra: V Colóquio Internacional de Estudos Lusos-brasileiros, 1968. [RJ: Editora da UFRJ, 2001, 2. edição] _____. A arquitetura religiosa em Ouro Preto. RJ: Livraria Kosmos, 1951. SIMON, Michel. “Uma tradução francesa do ‘Guia de Ouro Preto’” in Correio da Manhã. RJ, 23 mar. 1947. SMITH. Robert C. Congonhas do Campo. Fotos de Marcel Gautherot e Robert C. Smith. RJ: Agir, 1973. SOUZA, Eneida Maria de. e SCHMIDT, Paulo. Mário de Andrade: carta aos mineiros. BH: UFMG, 1997. SOUZA, Laura de Mello e. Cláudio Manuel da Costa: o letrado dividido. SP: Companhia das Letras, 2011. _____ . O sol e a sombra. SP: Companhia das Letras, 2006. ______. Desclassificados do ouro: a pobreza mineira no século XVIII. RJ: Graal, 1986. 2.ª edição. _____. Opulência e miséria das Minas Gerais. SP: Brasiliense, 1981. TEIXEIRA, Ivan (org.). Multiclássicos épicos. SP: Edusp, 2008. VASCONCELOS, Diogo de. História antiga das Minas Gerais, 2 vols. BH: Itatiaia, 1974. 4.ª edição. VASCONCELLOS, Sylvio de. Vila Rica. RJ: MEC/ INL, 1956; SP: Perspectiva, 1977. 2a. edição

Cursos

LITERATURA BRASILEIRA
Mestrado
120
LITERATURA BRASILEIRA
Doutorado
120

Áreas de Concentração

LITERATURA BRASILEIRA