Brasil

Dados da Disciplina

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
LITERATURA BRASILEIRA (33002010110P0)
O NARRADOR NA LITERATURA BRASILEIRA: FORMAS NARRATIVAS E MUD
FLC
6086
8
01/01/2012 à -
Não
Objetivos O objetivo geral do curso é estudar textos produzidos entre 1960 e 2000, examinando elementos temáticos e formais. Especificamente, a ênfase do trabalho consiste em discutir em que medida a produção contemporânea exige uma reflexão em teorias dos gêneros literários e em teorias do narrador. Levando em conta conceitos empregados em historiografia e crítica, cabe avaliar a especificidade dos desafios colocados por textos recentes. Para examinarmos o problema, levaremos em conta contribuições da Teoria da Literatura, em especial da Escola de Frankfurt. A fundamentação adotada pelo curso remete ao problema das mudanças sociais no Brasil, procurando relacionar texto e contexto no trabalho sistemático de análise e interpretação. Justificativa Dentro dos debates e contribuições de crítica literária brasileira referentes a autores como Machado de Assis, Graciliano Ramos e Guimarães Rosa, é conhecida a importância de estudos de configurações de narradores. A consideração de antecedentes em estudos de narradores no Brasil motiva a realização de um curso em que possamos avaliar a relevância do problema do narrador para o estudo da prosa brasileira. Esse tópico está associado a outros campos complexos de reflexão, como as concepções de realismo, a metalinguagem, e as interlocuções entre literatura, filosofia e psicanálise, em especial no que se refere ao problema da constituição do sujeito. Além disso, o estudo sobre o narrador se inscreve num amplo debate interdisciplinar sobre o papel da memória, as relações entre imagens do passado e percepções do presente. O recorte temporal priorizado, 1960 a 2000, é delimitado levando em conta a configuração geopolítica do país constituída com a fundação de Brasília; contradições ideológicas do autoritarismo ditatorial militar; e tensões entre vida pública e vida privada no interior de mudanças sociais brasileiras. Trata-se de um período caracterizado por uma literatura com ampla diversidade temática e formal, e obras produzidas nesse período despertam desafios com relação às convenções de delimitação dos gêneros literários tradicionais. A oferta desta disciplina se justifica pela necessidade de fundamentar, ampliar e estimular a produção e o debate de conhecimento sobre formas e temas da literatura brasileira recente. Conteúdo 1. Gêneros literários, tradição e modernidade. 2. Correntes críticas e teorias do narrador. 3. Historiografia literária, cânone e literatura contemporânea. 4. A fundação de Brasília e as mudanças sociais no Brasil. 5. A ditadura militar como problema para a cultura brasileira. 6. O público e o privado na sociedade brasileira contemporânea. 7. O conto brasileiro dos anos 60: Guimarães Rosa. 8. Clarice Lispector e o ato de narrar. 9. Narrativas dos anos 70: A hora da estrela e Em câmara lenta. 10. Caio Fernando Abreu: política e sexualidade. 11. Humor e memória em Luís Fernando Veríssimo. 12. Crônica, testemunho e os parâmetros da prosa de ficção. Forma de Avaliação Apresentação de trabalho seguindo instruções do docente ministrante.
ADORNO, Theodor. Notas de literatura I. São Paulo: Duas Cidades / Editora 34, 2003. AGUIAR, Flávio, MEIHY, José Carlos & VASCONCELOS, Sandra, orgs. Gêneros de fronteira. São Paulo: Xamã, 1997. AUERBACH, Erich. Mimesis. A representação da realidade na literatura ocidental. São Paulo: Perspectiva, 1976.AVELAR, Idelber. Alegorias da derrota. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2003.BADEN, Nancy. The muffled cries. The writer and literature in authoritarian Brazil, 1964-1985. Boston: University Press of America,1999.BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1985. (Obras escolhidas, 1) BOSI, Alfredo. Literatura e resistência. São Paulo: Companhia das Letras, 2002. CANDIDO, Antonio. A educação pela noite e outros ensaios. São Paulo: Ática, 1987.CARVALHO, Nanci Valadares (Org). Trilogia do terror. A implantação: 1964. São Paulo: Vértice, 1988.DAL FARRA, Maria Lucia. O narrador ensimesmado. São Paulo: Ática, 1978. FERNANDES, Florestan. Mudanças sociais no Brasil. São Paulo: Difel, 1974. HANSEN, João Adolfo et alii. Anos 70: trajetórias. São Paulo: Iluminuras / Itaú Cultural, 2005.MIRANDA, Wander Melo, org. Narrativas da modernidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.NUNES, Benedito. O tempo na narrativa. São Paulo: Ática, 1988.PINHEIRO, Paulo Sérgio. Autoritarismo e transição. Revista USP. São Paulo: USP, 1991. n.9.RICOEUR, Paul, Tempo e Narrativa. Campinas: Papirus, 1994. 3 v.RIEDEL, Dirce, org. Narrativa. Ficção e história. Rio de Janeiro: Imago, 1988. ROSENFELD, Anatol. Texto / contexto. São Paulo: Perspectiva, 1969. SCHMIDT, Rita Terezinha, org. Nações / narrações. Nossas histórias e estórias. Porto Alegre: ABEA, 1997. SCHWARCZ, Lilia, org. História da vida privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. v.4. SCHWARZ, Roberto. Que horas são? São Paulo: Companhia das Letras, 1987.WATT, Ian. A ascensão do romance. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.WISNIK, José Miguel. Iluminações profanas. In: VÁRIOS. O olhar. São Paulo: Companhia das Letras, FUNARTE, 1988.

Cursos

LITERATURA BRASILEIRA
Mestrado
120
LITERATURA BRASILEIRA
Doutorado
120

Áreas de Concentração

LITERATURA BRASILEIRA