Brasil

Dados da Disciplina

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
LITERATURA BRASILEIRA (33002010110P0)
RUPTURAS E CONTINUIDADES DA FICÇÃO BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA
FLC
6060
8
01/01/2012 à -
Não
Objetivos A crítica literária tem elegido a diversidade como uma das marcas da ficção brasileira contemporânea. Com isso, tem deixado de observar algumas permanências estilísticas e temáticas, tanto no veio experimental quanto no mais realista dessa ficção, que remontam à tradição do romance e do conto no Brasil. Não obstante, embora ainda possamos delinear estes dois projetos estéticos preponderantes, notamos também hibridismos, no sentido de a ficção cujo ponto de partida é o realismo incorporar técnicas e conteúdos ditos pós-modernos e ou contemporâneos, e, de outro lado, de a ficção de raiz modernista/vanguardista, que tende, portanto, ao experimentalismo formal e ao cosmopolitismo temático, não deixar de refletir aspectos da sociedade local. Em todo o caso, e apesar dos intercâmbios entre as tendências, o saldo seria o de duas ideologias do estético, isto é, duas visões de certo modo antagônicas – e em competição – do papel e do lugar do texto literário na contemporaneidade. A disciplina visa primeiramente a situar os discursos da crítica literária, apontando afinidades destes com os autores e narrativas dos dois campos mencionados. Em seguida, por meio da análise de obras representativas da atualidade é nosso objetivo a) verificar algumas de suas matrizes na tradição do romance brasileiro e ocidental, b) detectar eventuais hibridismos formais e temáticos e c) perguntar sobre os seus alcances no âmbito das obras. Finalmente, buscaremos delimitar os dois projetos estéticos no sentido de refletir sobre as visões de mundo e de literatura que apresentam e representam. Justificativa Conteúdo 1. Discursos da crítica I. 2. O narrador-testemunha no romance de Milton Hatoum e o tema do agregado na literatura brasileira. 3. A tradição do romance de espaço na obra em fragmentos de Luiz Ruffato. 4. Notas de Fogo Morto, de José Lins do Rego, em Cidade de Deus, de Paulo Lins. 5. João Gilberto Noll e a teoria da desconstrução. 6. Bernardo Carvalho e a literatura como política: articulações com um certo olhar modernista. 7. Matrizes machadianas na obra de Sérgio Sant’Anna. 8. Discursos da crítica II. Forma de Avaliação Entrega de Monografia.
Bibliografia: AREAS, Vilma. “Errando nas quinas da Cidade de Deus”. Praga: estudos marxistas. São Paulo, n. 5, p. 147-158, 1998. ASSIS, Machado de. Obra completa (vol. I). Rio de Janeiro, Nova Aguilar, 1994. AVELAR, Idelber. Alegorias da derrota: a ficção pós-ditatorial e o trabalho de luto na América Latina. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003. BARTHES, Roland. Oeuvres completes (Tome II). Paris: Seuil, 1994. BEAL, Sophia. “Becoming a Character: an analysis of Bernardo Carvalho's Nove noites”. Luso-Brazilian Review. Wisconsin, 42:2, p. 134-149, 2005. BURKE, Seán. The death and return of the author: criticism and subjectivity in Barthes, Foucault and Derrida. Edinburgh : Edinburgh University Press, 1999. CANDIDO, Antonio. O discurso e a cidade. São Paulo, Duas Cidades, 1993. CARVALHO, Bernardo. Teatro. São Paulo, Companhia das Letras, 1998. CASANOVA, Pasquale. “Literature as world”. In. New Left Review 31, January-February 2005. ___________ . República mundial das letras. São Paulo, Estação Liberdade, 2002. EAGLETON, Terry. Depois da teoria: um olhar sobre os estudos culturais e o pós-modernismo. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2005. FARINACCIO, Pascoal. A questão da representação e o romance brasileiro contemporâneo. 2004. 305 f. Tese (Doutorado em Teoria e História Literária) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004. FONSECA, João Guedes da. Entre a voz e o discurso: a dialética da bondade em Fogo morto¸ de José Lins do Rego. 2001. 296 f. Tese (Doutorado em Teoria Literária e Literatura Comparada) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.HATOUM, Milton. Dois irmãos. São Paulo, Companhia das Letras, 2000. __________. Cinzas do Norte. São Paulo, Companhia das Letras, 2006. HOSSNE, Andrea Saad. “Autores na prisão, presidiários e autores: anotações preliminares à análise de Memórias de um sobrevivente. Literatura e sociedade, n. 8, São Paulo, 2005, p. 126-139.JAMESON, Fredric. Pós-modernismo : a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo, Ática, 2002. LINS, Paulo. Cidade de Deus. São Paulo, Companhia das Letras, 1997. NOLL, João Gilberto. Romances e contos reunidos. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. _________. Máquina de ser. São Paulo, Nova Fronteira, 2006. RUFFATO, Luiz. Inferno provisório vol. 2. Rio de Janeiro, Record, 2005. __________. Eles eram muitos cavalos. São Paulo, Boitempo, 2002.SANT’ANNA, Sérgio. Um crime delicado. São Paulo, Companhia das Letras, 1997. SANTIAGO, Silviano. Nas malhas da letra: ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 1989._________. O cosmopolitismo do pobre. Belo Horizonte, UFMG, 2005. SCHWARZ, Roberto. Seqüências brasileiras. São Paulo, Companhia das Letras, 1999. SENNETT, Richard. Cultura do novo capitalismo. Rio de Janeiro, Record, 2007. SÜSSEKIND, Flora. “Desterritorialização e forma literária: literatura brasileira e experiência urbana”. Literatura e sociedade. São Paulo, n. 8, p. 60-81, 2005. TOMACHEVSKI, Boris. “Temática”. In. Teoria da literatura : formalistas russos. Porto Alegre, Globo, 1973. TREECE, David. Prefácio. In.: NOLL, João Gilberto. Romances e contos reunidos. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. Uma cidade em camadas – ensaios sobre o romance Eles eram muitos cavalos, de Luiz Ruffato. São Paulo: Horizonte, 2007. WATT, Ian. A ascensão do romance. São Paulo, Companhia das Letras, 1996. WILLIAMS, Raymond. Problems in materialism and culture. London, Verso, 1997.

Cursos

LITERATURA BRASILEIRA
Mestrado
120
LITERATURA BRASILEIRA
Doutorado
120

Áreas de Concentração

LITERATURA BRASILEIRA