Brasil

Dados da Disciplina

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
LITERATURA BRASILEIRA (33002010110P0)
FICÇÃO BRASILEIRA E IMPRENSA NO SÉCULO XIX
FLC
5846
8
01/01/2012 à -
Não
Objetivos O propósito da disciplina é fixar o perfil geral dos tipos de gêneros literários presentes nos jornais Correio Mercantil, Jornal do Comércio e Gazeta de Notícias. Faz parte, também, dos objetivos da disciplina analisar, em termos de amostragens representativas, o processo de criação das tipologias textuais desses jornais (literárias e jornalísticas), levando em consideração seus gêneros, estilos, contaminações recíprocas e os seus modos típicos de consumo. Conteúdo Estudo do campo transdisciplinar da Literatura Brasileira e da imprensa com uma fixação clara dos seus códigos culturais, discursivos e das tipologias de poéticas literárias criadas neste ambiente. Exame dos gêneros e estilos literários dos principais jornais de grande circulação no século XIX: Correio Mercantil, Jornal do Commercio e Gazeta de Notícias. Identificação dos processos construtivos ficcionais de obras de escritores brasileiros ligados na sua gênese à publicação periódica do século XIX: Manuel Antônio de Almeida, Joaquim Manuel de Macedo, Raul Pompéia , Aluísio Azevedo e outros. Análise do impacto do público leitor e dos mecanismos da imprensa periódica na ficção brasileira do século XIX. Fixação de um diagrama da contribuição dos estudos desse campo transdisciplinar no panorama da historiografia literária ficcional no Brasil. PROGRAMA 1. A literatura e a imprensa no século XIX: um campo transdisciplinar. As relações entre o Brasil, a Europa e os Estados Unidos da América. 2. Aspectos dos gêneros e estilos literários dos jornais de grande circulação: diálogo diacrônico com a contemporaneidade. 3. Os gêneros de dimensão literária e ficcional do Correio Mercantil do Rio de Janeiro. 4. Os gêneros de dimensão literária e ficcional do Jornal do Commercio do Rio de Janeiro. 5. Ironia e comicidade no Correio Mercantil: Manuel Antônio de Almeida e as Memórias de Um Sargento de Milícias. 6. Aspectos dos processos de criação ficcional para edição em jornal e em livro: as alterações de Manuel Antônio de Almeida. 7. Jornal do Commercio: a dimensão ficcional e literária das obras de Joaquim Manuel de Macedo. 8. Jornal do Commercio: a dimensão ficcional e literária das obras de Joaquim Manuel de Macedo e Augusto de Castro. 9. Poéticas híbridas da ficção na Gazeta de Notícias do Rio de Janeiro: o romance seriado e a imagem visual em O Ateneu de Raul Pompéia. 10. Raul Pompéia e As Jóias da Coroa-Gazeta de Notícias. 11. A dimensão literária e ficcional nas crônicas e nas Canções sem Metro de Raul Pompéia. Vários jornais. 12. A poética ficcional de Aluísio Azevedo e a literatura industrial. Vários jornais. Forma de Avaliação Entrega de Monografia.
BIBLIOGRAFIA GERAL: AGUIAR E SILVA, Vítor Manuel de Aguiar e. Teoria da literatura. 6. ed. Coimbra: Livraria Almedina, 1983. ALBERT, P. Terrou, F. História da imprensa. Trad. Edison Darci Heldt. São Paulo: Martins Fontes, 1990. BAKHTIN, Mikhail. Gêneros do Discurso. In: Estética da criação verbal. Trad. Ária Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2000. DIJK, Teun A. Van. La noticia como discurso: comprensión, estructura y producción de la información. Barcelona: Paidós, 1990. CASCAIS, Fernando. Dicionário de jornalismo. Lisboa: Verbo, 2001. GARGUREVICH, Juan. Gêneros periodisticos. Quito: Belén, 1982. GENETTE, Gérard. Discurso da narrativa. Trad. Fernando Cabral Martins. 3. ed. Lisboa: Vega, 1995. --------------------------. Introdução ao arquitexto. Lisboa:Veja, 1986. --------------------------. Palimpsestes: La littérature au second degré. Paris: Seuil, 1983. KUNCZIK, Michael. Conceitos de jornalismo. São Paulo: Edusp, 2001. LIMA, Alceu Amoroso. O jornalismo como gênero literário. São Paulo: COM-ARTE e EDUSP, 1990. LOTMAN, Yuri M. La semiosfera. Madri: Ediciones Cátedra, 1996. MORIN, Edgar. A articulação dos saberes In: Complexidade e transdisciplinaridade. Trad. Edgard de Assis Carvalho. Natal Editora da U F R N , 1999, p. 27-53. THOMPSON, John B. Transmissão cultural e comunicação de massa: o desenvolvimento das indústrias da mídia. In: Ideologia e cultura moderna. Trad. Grupo de Estudos sobre Ideologia-PUCRS. Petrópolis, Vozes, 221-266. MELO, José Marques, A opinião no jornalismo brasileiro. Petrópolis: Vozes, 1985. PERELMAN, Chain. Tratado de argumentação. Trad. Maria Ermantina Galvão G. Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1996. RIBEIRO, José Alcides. Imprensa e ficção no século XIX. São Paulo, Edunesp, 1996. -----------------------------------. Transdisciplinaridade: Literatura Brasileira e Jornalismo/Correio Mercantil. Orelha de Maria Vicentina de Paula do Amaral Dick (Universidade de São Paulo), apreciações na contracapa de Eduardo Neiva (University of Alabama at Birmingham – U S A ) e Sílvio Dejean (poeta). Botucatu-SP: Fernando Bilah, 2006, 160 p. Inclui índice remissivo e encarte. --------------------------------------. Transdisciplinaridade: Literatura Brasileira e jornalismo/Jornal do Commercio. Botucatu-SP: Fernando Bilah, 2006, 160 p. SODRÉ, Nelson Werneck. História da Imprensa no Brasil. São Paulo: Martins Fontes, 1983. STRUNK, William and E. B. White. The elements of style. New York: Rutledge, 2000. VIVALDI, Gonzalo Martin. Generos Periodisticos. Madrid, Paraninfo, 1979. USPENSKY, Boris. A poetics of composition. Translated by Valentina Zavarin and Susan Wittig. Berkeley, Los Angeles & London: University of California Press, 1983. BIBLIOGRAFIA DOS ESCRITORES ALMEIDA, Manuel Antônio de. Memórias de um sargento de milícias. Ed. crítica de Terezinha Marinho. Rio de Janeiro, I N L, 1969. -------------------------------------milícias.Ed. crítica de Cecília de Lara. Livros Técnicos e Científicos, 1978. A informação contra a tirania. In: Obra dispersa. Introdução, seleção e notas: Bernardo de Mendonça. Rio de janeiro. Graphia, 1991. MACEDO, Joaquim Manuel de. Os dois amores. Rio de Janeiro, O Cruzeiro, 1957. ..............................O Ateneu: cronica de saudades.3ªed. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves. POMPÉIA, Raul. O Ateneu:crônica de saudades. 6ª.ed. São Paulo. Ática, 1979. BIBLIOGRAFIA SOBRE OS ESCRITORES MANUEL ANTÔNIO DE ALMEIDA. ASSIS BETHENCOURT DA SILVA, Francisco. Manuel Antonio de Almeida. In: Folhas dispersas. Rio de Janeiro, Typographia Carioca, 1878. BOCAIÚVA, QUINTINO. Advertência. In: Memórias de Um Sargento de Milícias. Rio de Janeiro, Tipographya do Diario do Rio de Janeiro, 1863, V.I. BARRETO, Francisco Muniz. A Revista Bibliographica do Sr. Almeida Sobre Os Meus Exercicios Poeticos. Correio Mercantil, Rio de Janeiro, 2 mar. de 1856, p. 1. CANDIDO, Antonio. A Dialética da malandragem ( caracterização das Memórias de um Sargento de Milícias) . In: Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. São Paulo, U S P, 1970, no.8. DAMASCENO, Darcy. A afetividade lingüística nas Memórias de um Sargento de Milícias. Revista Brasileira de Filologia. Rio de Janeiro, dez 1956. ----------------------------. O Naufrágio dos potes: sincretismo e transmissão. Correio da Manhã. Rio de Janeiro, 17 fev. 1962. GALVÃO, Walnice Nogueira . Saco de gatos: ensaios críticos. 2a. ed. São Paulo, Duas Cidades, 1976. GUIMARÃES, Reginaldo. O folclore na ficção brasileira ( Roterio de Memórias de Um Sargento de Milícias. Rio de Janeiro, Cátedra, Brasília, I N L, 1977. LARA, Cecília de. Memórias de Um Sargento de Milícias: Memórias de um repórter do Correio Mercantil? In: Revista de Estudos Brasileiros. São Paulo, USP, 1979, p. 59-84. JAROUCHE, Mamede Mustafá. Sob o império da letra: imprensa & política no tempo das Memórias de Um Sargento de Milícias. São Paulo, FFLCH-USP,1997 (Tese de doutorado). MAJOR, Manuel Antônio. Perfis Literários. Revista Mensal da Sociedade de Ensaios Literários. Rio de Janeiro, T. 4, 1872, p. 683-688. REBELO, Marques. Vida e obra de Manuel Antônio de Almeida. Rio de Janeiro, I N L, 1943. ----------------------- Bibliografia de Manuel Antônio de Almeida. Rio de Janeiro, I N L, 1943. RIBEIRO, José Alcides. Globalização, internacionalização cultural das tecnologias e ficção seriada: Edgar Allan Poe e Manuel Antônio de Almeida. In : Signos plurais: mídia, arte e cotidiano na globalização. Org. Philadelpho Menezes. São Paulo, Experimento, 1997, p. 55-65. RIBEIRO, José Alcides. Ficção brasileira e imprensa: um fenômeno inicial de linguagens em interface. In: Fragmentos de Cultura . Goiânia, Editora da Universidade Católica de Goiás, v.10, n.1, p. 163-180, jan./fev.2000. -----------------------------. Imprensa e ficção no Brasil: Manuel Antônio de Almeida. São Paulo, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1996 (Tese de Doutorado). ROSA, Francisco Octaviano de Almeida. Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 5 dez. 1861, p.1. VERÍSSIMO, José Um Velho Romance Brazileiro. Estudos Brazileiros (Segunda Série). Rio de Janeiro, Laemmert, 1894. ZALUAR, Augusto Emílio. Noticiário. Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 5 dez. 1861. A bibliografia de e sobre Manuel Antônio de Almeida completa-se nos dados bibliográficos da edição crítica de Cecília de Lara . JOAQUIM MANUEL DE MACEDO AMORA, Antônio Soares. A Literatura brasileira: o romantismo. 5a. ed. São Paulo,1977.V. II. BELLA, Josef. Apresentação. In: Joaquim Manuel de Macedo. Rio de Janeiro, Agir, 1971. BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira.2a.ed. São Paulo, Cultrix, 1979. BRAGA, Maria Lúcia Santaella & MOISÉS, Massaud. Introdução e comentários. In: MACEDO, Joaquim Manuel de. A Moreninha. São Paulo, Cultrix, p. 9-15. BROCA, Brito. Românticos, pré-românticos, ultra-românticos. Brasília,São Paulo, INL/Pólis, 1979 CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira. 6a.ed. Belo Horizonte, Itatiaia, 1981. V. II. CASTELO, José Aderaldo. Aspectos do romance brasileiro. Rio de Janeiro, MEC/Serviço de Documentação, 1961. CAVALCANTI Proença, Manuel. Joaquim Manuel de Macedo. In: Estudos literários. Rio de Janeiro, José Olympio, 1971, p. 14-28. FREITAS, Bezerra de. Forma e expressão do romance brasileiro. Rio de Janeiro, Pongetti, 1947. LINHARES, Temístocles. Macedo e o romance brasileiro. In: Revista do Livro. Rio de Janeiro, MEC/I NL, 10:111-17, 1958; 14:97-105, 1959; 17:127-134, 1958. MARTINS, Wilson. História da inteligência brasileira. São Paulo, Cultrix, 1977.V.II. MONTENEGRO, Olívio. O romance brasileiro. 2a.ed. Pref. Gilberto Freyre. Rio de Janeiro, José Olympio, 1953. MORAES Neto, Prudente de. The brazilian romance. Translated by Luiz Victor Lecoq de Oliveira. Rio de Janeiro, Imprensa Nacional, 1939. PEREIRA, Astrojildo. Romancistas da cidade: Macedo, Manuel Antônio e Lima Barreto. In: O Romance brasileiro. Org. Aurélio Buarque de Holanda Rio de Janeiro, O Cruzeiro, 1952, p. 37-73. RIBEIRO, José Antônio Pereira. O universo romântico de Joaquim Manuel de Macedo . São Paulo, R. Kempf, 1987. RIBEIRO, José Alcides. Ficção e imprensa no Brasil: os processos de criação de José de Alencar e de Joaquim Manuel de Macedo. In: Fragmentos de Cultura, Goiânia, Editora da Universidade Católica de Goiás, v. 9, n.5, p. 1081-1092, set/out. 1999. SERRA, Tânia Rebelo Costa. Joaquim Manuel de Macedo ou os dois Macedos: A Luneta Mágica do II reinado. Rio de Janeiro, Fundação Biblioteca Nacional, 1994 SANT'ANNA, Afonso Romano de. Análise estrutural de romances brasileiros. 7a. ed. Rio de Janeiro, Vozes, 1973,p.84-96. SOUSA, José Galante de. Joaquim Manuel de Macedo. In: Machado de Assis e outros estudos. Rio de Janeiro: Cátedra, Brasília: INL, 1979, p. 133-95. VERÍSSIMO, José. História da Literatura Brasileira. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1916, p. 237-42; 285-6; 381-3. WOLF, Ferdinand. O Brasil literário. São Paulo, Companhia Editora Nacional A bibliografia de e sobre Joaquim Manuel de Macedo completa-se nos dados bibliográficos do livro Joaquim Manuel de Macedo ou os dois Macedos de Tânia Serra. JOSÉ DE ALENCAR BOSI, Alfredo. Um mito sacrificial: o indianismo de Alencar. In: Dialética da colonização. São Paulo, Companhia das Letras, 1992, 176-93. CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira. 6a.ed. Belo Horizonte, Itatiaia, 1981. V. II. CASTELLO, José Aderaldo. A formação de Alencar e o sentido de sua obra. In: Aspectos do romance brasileiro. Rio de Janeiro, MEC, 1961. FREITAS, Bezerra de. História da literatura brasileira. Porto Alegre, Globo, 1939, 143-50. FREIXIEIRO, Fábio. Alencar: os bastidores e a posteridade. Pref. de Afrânio Coutinho. 2a. ed.Rio de Janeiro, Museu Histórico Nacional, 1981. MARCO, Valéria de. A perda das ilusões: o romance histórico de José de Alencar. Campinas, Editora da Universidade de Campinas, 1993. MENDES, Oscar. Situação histórica e estudo crítico. In: Alencar, José de. Romances indianistas por Oscar Mendes. Rio de Janeiro, Agir, 1968, p. 5-15. MOREIRA, Maria Eunice . Nacionalismo literário e crítica romântica. Porto Alegre, Instituto Estadual do Livro, 1991. OITICICA, José. José de Alencar e o romance histórico. In: Studia. Rio de Janeiro, 1(1): 39-66, dez., 1950. SCHWAMBORN, Ingrid. A recepção dos romances indianistas de José de Alencar. Trad. Carlos Almeida Pereira. Fortaleza: UFC:Casa de José de Alencar, 1990. SILVA, H. Pereira da. O Rio de Janeiro na obra de José de Alencar. Rio de Janeiro, Alcance, 1994. REBELO, Marques. O Rio das "milícias"e de Alencar. Comentário. Rio de Janeiro, 6 (24): 332-40, 4 trim. 1965. RIBEIRO, José Alcides. Ficção e imprensa no Brasil: os processos de criação de José de Alencar e de Joaquim Manuel de Macedo. In: Fragmentos de Cultura, Goiânia, Editora da Universidade Católica de Goiás, v. 9, n.5, p. 1081-92, set/out. 1999. RIBEIRO, Luis Filipe. Mulheres de papel: um estudo do imaginário em José de Alencar e Machado de Assis. Niterói, Rio de janeiro, Editora da Universidade Federal Fluminense, 1996. ROBERTO, Schwarz. Ao vencedor as batatas: forma literária e processo social nos inícios do romance brasileiro. São Paulo, Duas Cidades, 1977. ROMERO, Sílvio & RIBEIRO, João. Compêndio de história da literatura brasileira. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1906, p. 261-78. SANT'ANNA, Affonso Romano de. O Guarani. In: Análise estrutural de romances brasileiros. Petrópolis, Vozes, 1974, p. 54-83. VERÍSSIMO, José. História da literatura brasileira. 3a.ed. Rio de Janeiro, José Olímpio, 1954. p. 223-34. A bibliografia de e sobre José de Alencar completa-se nas indicações bibliográficas do livro Alencar: os bastidores e a posteridade de Fábio Freixieiro já indicado . RAUL POMPÉIA: ANDRADE, Oswald de. Dois emancipados. In: O romance brasileiro de 1752 a 1930. Rio de Janeiro, Fontes, 1952. BRAGA, Raul. Raul Pompéia: o caifás. In: Boletim de Ariel. Rio de Janeiro, maio 1936, p. 210-14 BRAYNER, Sônia. Labirinto do espaço romanesco. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1979. .................................O impressionismo e a obra de Raul Pompéia. Convivência. Rio de Janeiro, Pen Clube, V.3,n.3,p.5-18 CASTELLO, João Aderaldo. Raul Pompéia: O Ateneu e o romance modernista. Anhembi. São Paulo, ago. 1954, v.15, n.45, p.472-82 COUTINHO, Afrânio. O impressionismo no Brasil: Pompéia. In: Recepção de Afrânio Coutinho na Academia Brasileira de Letras. Rio de Janeiro, ABL, 1962, p. 9-10. COUTINHO, Eduardo. Raul Pompéia: obras. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1984.(Col. Fortuna Crítica ,7) JUBRAN, Clélia C.A.S. A poética narrativa de O Ateneu. São Paulo, Universidade de São Paulo, 1980(tese mimeogr.) LÊDO, Ivo. O universo poético de Raul Pompéia. Rio de Janeiro, A B L , 1996. LIMA, Herman. História da caricatura no Brasil. Rio de Janeiro, 1963, v. 4. LINHARES, Temístocles. Apresentação. In: Raul Pompéia: trechos escolhidos. Rio de Janeiro, Agir, 1957. MIGUEL PEREIRA, Lúcia. In: Prosa de ficção (1870 a 1920). 3ª.ed. Rio de Janeiro, José Olympio, 1962., p.107-118. RAMOS, Maria Luísa. Psicologia e estética de Raul Pompéia. Belo Horizonte, Universidade Federal de Minas Gerais, 1957.(Tese) SANTIAGO, Silviano. O Ateneu: contradições e perquirições. In: Uma literatura nos trópicos. São Paulo, Perspectiva, 1978. SCHWARTZ, Roberto. A sereia e o desconfiado. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1965. PERRONE-MOISÉS, Leila. O Ateneu, retórica e paixão. São Paulo, 1988.RIBEIRO, José Alcides. Texto verbal e imagem visual em O Ateneu de Raul Pompéia: uma poética radical na ficção em jornais. In: Estudos - Humanidades- Revista da Universidade Católica de Goiás, Goiânia, Editora da Universidade Católica de Goiás, v.28, n. 3, p.371-392, maio/jun.2001. A bibliografia de e sobre Raul Pompéia completa-se nos dados bibliográficos dos livros da série Raul Pompéia: obras.Org. Eduardo Coutinho. ALUÍSIO AZEVEDO A.R. [Aluísio Azevedo] ., Novas obras, “ A Semana”, Rio de Janeiro, 31 de outubro de 1885, p. 1. ARARIPE JÚNIOR, T.A.Araripe Júnior: teoria, crítica e história literária. Seleção e apresentação Alfredo Bosi. São Paulo: Edusp, 1983. CANDIDO, Antonio. Ensayos y comentários. São Paulo:Duas Cidades, 1995, p. 77-104. BRAYNER, Sõnia. Labirinto do espaço romanesco. Rio de Janeiro: tradição e renovação na Literatura Brasileira. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1979, p. 23-50. GOMES, Eugenio . Aspectos do romance brasileiro. Salvador: Progresso, 1958. LINS, Álvaro. Dois naturalistas: Aluísio de Azevedo e Júlio Ribeiro. In: O romance brasileiro: de 1752 a 1930. Rio de Janeiro; O Cruzeiro, 1952 MÉRIEN, Jean Yves. Aluísio Azevedo, vida e obra:1857-1913. Rio de Janeiro:Espaço e Tempo, Banco Sudameris, Brasília: INL, 1988. MIGUEL Pereira. Lúcia. Prosa de ficção: 1870 a 1920. Rio de Janeiro: Instituto Cultural do Livro, 1957. MONTENEGRO, Olívio. O romance brasileiro. 2ª.ed. Rio de Janeiro, José Olympio, 1953. 1ª. Edição de 1938. ROMERO, Sílvio. História da literatura brasileira, tomo quinto. 6ª.ed.Organizada e prefaciada por Nelson Romero. Rio de Janeiro:José Olympio, 1960.

Cursos

LITERATURA BRASILEIRA
Mestrado
120
LITERATURA BRASILEIRA
Doutorado
120

Áreas de Concentração

LITERATURA BRASILEIRA