Brasil

Dados da Disciplina

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
LITERATURA BRASILEIRA (33002010110P0)
FIGURAÇÕES DA FAMÍLIA: PSICANÁLISE E LITERATURA BRASILEIRA
FLC
62471
8
19/05/2015 à -
Não
O objetivo da disciplina é oferecer aos alunos um repertório conceitual advindo dos estudos sobre Família nas Ciências Humanas de forma geral - incluindo teorias históricas, sociológicas e antropológicas –, e da Psicanálise em particular, que possibilite um campo de diálogo com textos da Literatura Brasileira moderna, através do qual se possam conhecer as concepções de família, relações e dinâmicas familiares neles mobilizadas. Espera-se que as análises literárias a serem realizadas, ainda que priorizem a leitura desarmada dos contos, poemas e romances selecionados, convoquem e tencionem os conceitos sobre família trabalhados. Como objetivos específicos do curso, pretende-se compreender - a partir de uma perspectiva que articule a vertente temático-psicanalítica à formal-estilística – algumas linhas de força que estruturam os textos literários escolhidos. Entre elas, duas serão investigadas mais a fundo: a) a função paterna ou o lugar do pai, tanto no seu papel estruturante da família quanto no alcance simbólico para a análise da sociedade brasileira; b) a constituição do sujeito moderno dentro das configurações familiares, entendida do ponto-de-vista da dialética eu-outro, das vicissitudes do mundo interno e das modulações entre o desejo e o recalque. Justificativa: A literatura é um campo privilegiado de representação e elaboração de histórias e dinâmicas familiares. Deve, portanto, oferecer um repertório importante de conhecimentos sobre questões sociais, culturais e psicológicas que atravessam a família brasileira. Por outro lado, o diálogo da análise literária com o campo dos estudos multidisciplinares da família pode contribuir para uma compreensão ampliada dos processos de subjetivação e socialização que encontramos nos textos literários. Conteúdo: Aulas Teóricas: 1. Apresentação da disciplina: objetivos, método de trabalho, bibliografia, seleção dos textos literários e forma de avaliação. 2. Os estudos de família nas Ciências Humanas: Evolucionismo e Estruturalismo; História e Teoria Crítica. 3. Os estudos de família no campo psicanalítico: origens, dinâmicas, a noção de vínculo, trauma e transmissão psíquica. Análise literária dos textos: 4. “Menino a bico de pena”, de Clarice Lispector. Leitura complementar: “Um relatório para uma academia”, de Franz Kafka. 5. “A imitação da rosa”, de Clarice Lispector. Leituras complementares: “A perda da realidade na neurose e na psicose”, de S. Freud. e Lucia Helena. “A literatura segundo Lispector. Em Revista Tempo Brasileiro. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, ed.,1962,v.1, n. 1, pp. 25-42. 6. “Tempo da camisolinha”, de Mário de Andrade. Leitura complementar: “Acaso, destino, memória”, de Luiz Meyer e “Édipo e a paixão”, de Helio Pellegrino. Em Os sentidos da paixão. Sergio Cardoso... et.al. São Paulo:Cia das letras, 1987. 7. “O peru de Natal”, de Mário de Andrade. Leituras complementares: Luto e melancolia (1917) e Totem e Tabu (1912), de S. Freud. 8.“Sorôco, sua mãe, sua filha”, de Guimarães Rosa. Leituras complementares: Peter Pal Pelbart, “Da loucura à desrazão”. Em A nau do tempo rei. : Sete Ensaios Sobre o Tempo da Loucura. Rio de Janeiro, Imago, 1993, pp. 91-99. E Leyla Perrone-Moisés. “Para trás da serra do mim” Em SCRIPTA. Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras e do Centro de Estudos Luso-afro-brasileiros da PUC Minas. Edição Especial. 2. Seminário Internacional Guimarães Rosa – Rotas e Roteiros. V. 5, n. 10, 1. Semestre de 2002 9.“A terceira margem do rio”, de Guimarães Rosa. Leitura complementar: José Miguel Wisnik. “A Gaia ciência”. Em Sem Receita. Ensaios e canções. São Paulo: Publifolha, 2004. e a canção “A terceira margem do rio”, de Milton Nascimento e Caetano Veloso. 10. Poemas: “Retrato de família”, “Fim da casa paterna” e “Convívio”, de Carlos Drummond de Andrade e “Infância”, de Manuel Bandeira. 11. Nassar, R. Lavoura arcaica. Leitura complementar: Sabrina Sedlemeyer. Ao lado esquerdo do pai. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1997. 12. Carrascoza, J. Caderno de um ausente. Forma de Avaliação: Trabalho final no qual o aluno deve refletir sobre o seu tema de pesquisa à luz de conceitos e análises desenvolvidos na disciplina.
Adorno, T. & Horkheimer, M. Família. Em: Temas básicos de Sociologia. SP: Cultrix, 1973. Andrade, C.D. “Retrato de família” e “Convívio”. Em: Andrade, C.D. Antologia poética. RJ: Record, 1987. __________. “Fim da casa paterna”. Em: Esquecer para lembrar (Boitempo III). RJ: J. Olympio, 1979. Andrade, M. “Tempo de camisolinha”. Em: Contos Novos. Belo Horizonte-Rio de Janeiro: Ed. Itatiaia,1999. _________. “O peru de Natal”. Em: Contos Novos. Belo Horizonte-Rio de Janeiro: Ed. Itatiaia, 1999. Bandeira, M. “Infância”. Em: Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, 1986. Berquó, E. Arranjos familiares no Brasil: uma visão demográfica. Em: Schwarcz, L. (org.) História da vida privada no Brasil, v. 4. SP: Companhia das Letras, 1998. Candido, A. The Brazilian Family. Em: Smith, T. L. & Marchant, A. (orgs.). Brazil: portrait of half a continent. Nova York: The Dryden Press, 1951. Carrascoza, J. Caderno de um ausente. São Paulo: Cosac Naify, 2014. Correa, O.R. (org.) Os avatares da transmissão psíquica geracional. SP: Escuta, 2001. Freud, S. (1909). Romances familiares. Edição Standard das Obras Psicológicas Completas de S. Freud, v. 9. RJ: Imago, 1976. _________. (1913-1914). Totem e Tabu. Edição Standard das Obras Psicológicas Completas de S. Freud, v. 13. RJ: Imago, 1976. _________. (1915-1917). Luto e melancolia. Edição Standard das Obras Psicológicas Completas de S. Freud, v. 14. RJ: Imago, 1976. ________. (1924). A perda da realidade na neurose e na psicose. Edição Standard das Obras Psicológicas Completas de S. Freud, v. 19. RJ: Imago, 1976. Helena, L. A literatura segundo Clarice Lispector. Em: Revista Tempo Brasileiro. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, ed., 1962,v.1, n. 1, pp. 25-42. Kafka, F. (1919). Carta ao pai. SP: Companhia das Letras, 1997. Kafka, F. Um relatório para uma academia. Em: Essencial Franz Kafka. Tradução, seleção e comentários de Modesto Carone. SP: Companhia das Letras, 2011. Lévi-Strauss, C. A família. Em: O olhar distanciado. Lisboa: 70, 1986. Lispector, C. “Menino a bico de pena”. Em: A descoberta do mundo (1984). Rio de Janeiro: Francisco Alves,1992. _________. “A imitação da rosa”. Em: Laços de família (1960). Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1991. Mandelbaum, B. Psicanálise da família. SP: Casa do Psicólogo, 2ª edição, 2010. MANDELBAUM, Belinda; SCHRAIBER, LILIA BLIMA ; D'OLIVEIRA, ANA FLÁVIA P. L. . Violência e vida familiar: abordagens psicanalíticas e de gênero. Saúde e Sociedade (Online)http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/images/curriculo/jcr.gif, v. 25, p. 422-430, 2016. Meyer, L. Acaso, destino, memória. Em: Rumor na escuta: ensaios de psicanálise. SP: editora 34, 2008. Morgan, L. A família antiga. Em: Canevacci, M. (org.) A dialética da família. SP: Brasiliense, 1981. Nassar, R. Lavoura arcaica. SP: Companhia das Letras, 3a edição, 1989. ________. “Menina a caminho”. Em Menina a caminho e outros textos. São Paulo: Companhia das letras, 1997. Pelbart, P.P. Da loucura à desrazão. SP: A nau do tempo rei. : Sete Ensaios Sobre o Tempo da Loucura. Rio de Janeiro, Imago, 1993, pp. 91-99. Pellegrino, H. Édipo e a paixão. Em: Novaes, A. (org.) Os sentidos da paixão. SP: Companhia das Letras, 1987. Perrone-Moisés, Leyla. “Para trás da serra do mim” Em SCRIPTA. Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras e do Centro de Estudos Luso-afro-brasileiros da PUC Minas. Edição Especial. 2. Seminário Internacional Guimarães Rosa – Rotas e Roteiros. V. 5, n. 10, 1. Semestre de 2002 Rosa, J. G. “Sorôco, sua mãe, sua filha”. Em: Primeiras estórias (1962). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988. ________. “A terceira margem do rio”. Em: Primeiras estórias (1962). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988. Rodrigues, André. Ritos da paixão em Lavoura Arcaica. São Paulo: Edusp. (Col. Ensaios). Rosenbaum, Yudith. As metamorfoses do Mal: Uma leitura de Clarice Lispector. São Paulo: Edusp/Fapesp, 1999. _________ “Construindo um sujeito: leitura de ‘ Menino a bico de pena’, de Clarice Lispector”. Em Escritas do desejo. Crítica literária e psicanálise. (Org. Cleusa Rios Passos e Yudith Rosenbaum). Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2011. _________ Y. Literatura e psicanálise: reflexões. FronteiraZ. Revista PUCSP, n. 9, 2012, p.-225-234. Samara, Eni de Mesquita. O que mudou na família brasileira (da Colônia à atualidade). http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103- 65642002000200004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Sedlemeyer,Sabrina. Ao lado esquerdo do pai. http://www.letras.ufmg.br/site/E-livros/Ao%20Lado%20Esquerdo%20do%20Pai.pdf Teles, Ana Carolina de Sá. Crítica ao patriarcalismo e ao discurso autoritário em Lavoura Arcaica, de Raduan Nassar. http://w3.ufsm.br/literaturaeautoritarismo/revista/dossie/art_01.php Wisnik, J. M. A gaia ciência: literatura e música popular no Brasil. Em: WISNIK, José Miguel. Sem receita: ensaios e canções. São Paulo: Publifolha, 2004, p.213-239.

Cursos

LITERATURA BRASILEIRA
Mestrado
120
LITERATURA BRASILEIRA
Doutorado
120

Áreas de Concentração

LITERATURA BRASILEIRA