Brasil

Dados da Disciplina

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
LITERATURA BRASILEIRA (33002010110P0)
LITERATURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA
FLC
6182
8
01/08/2013 à -
Não
Objetivos: 1. Examinar temas e formas da produção literária brasileira, de 1970 ao presente. 2. Refletir sobre gêneros literários (romance, conto, poesia lírica, dramaturgia), considerando as especificidades da produção contemporânea. 3. Avaliar a situação da contemporaneidade no contexto da historiografia literária. 4. Contextualizar a leitura das obras em perspectiva histórica. 5. Articular o estudo da literatura contemporânea com tópicos de filosofia, psicanálise e ciências sociais. 6. Relacionar a literatura com artes plásticas, cinema e música. Justificativa: A literatura brasileira contemporânea é caracterizada por uma diversidade formal, temática e estilística. O curso pretende dar atenção a desafios teóricos, historiográficos e críticos propostos por textos publicados no período de 1970 ao presente. Considerando a heterogeneidade da produção, é importante que o curso permita reforçar a reflexão sistemática sobre esses desafios, contextualizando as obras em termos históricos.
Conteúdo: 1. Pesquisas recentes sobre literatura brasileira contemporânea. Tendências e desafios. 2. Teoria da literatura contemporânea. Articulações de estudos literários com filosofia, psicanálise e ciências sociais. 3. Relações da literatura contemporânea com música, artes plásticas e cinema. 4. Corpo e linguagem. Sexualidade e violência. 5. Espaço público e espaço privado. 6. O choque na produção teatral. 7. Literatura e memória. Interpretações do passado brasileiro. 8. Tradição e modernidade no romance. 9. A fragmentação na poesia lírica. 10. O contexto social brasileiro entre 1970 e o presente. Textos literários: 1974. A via crucis do corpo, de Clarice Lispector 1975. Beijo na boca, de Cacaso 1975. Catatau, de Paulo Leminski 1975. Lavoura arcaica, de Raduan Nassar 1979. Querô, uma reportagem maldita, peça teatral de Plínio Marcos baseada em seu livro de 1976 1981. Que os mortos enterrem seus mortos, de Samuel Rawet 1982. A teus pés, de Ana Cristina Cesar 1984. Reunião de família, de Caio Fernando Abreu 1990. O caderno rosa de Lori Lamby, de Hilda Hilst 1992. O amor natural, de Carlos Drummond de Andrade 1994. O monstro, de Sérgio Sant`anna 1998. Teatro, de Bernardo Carvalho 2001. Eles eram muitos cavalos, de Luiz Ruffato 2003. Famílias terrivelmente felizes, de Marçal Aquino 2004. A mancha, de Luís Fernando Veríssimo 2004. Pegadas noturnas, de Glauco Mattoso 2008. Acenos e afagos, de João Gilberto Noll 2011. Junco, de Nuno Ramos Bibliografia: ADORNO, Theodor W. Posição do narrador no romance contemporâneo. In: VÁRIOS. Textos escolhidos. São Paulo: Abril Cultural, 1983. 2 ed. (Os Pensadores) ADORNO, Theodor. Lírica e sociedade. In: BENJAMIN, Walter et alii. Textos escolhidos. São Paulo: Abril Cultural, 1983. ADORNO, Theodor. Mínima Moralia. São Paulo: Ática, 1992. ADORNO, Theodor. Negative dialectics. New York: The Continuum Publishing Company, 1999. ADORNO, Theodor. Teoria Estética. Lisboa: Martins Fontes, 1988. AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2008. AGUIAR, Flávio, MEIHY, José Carlos & VASCONCELOS, Sandra, orgs. Gêneros de fronteira. São Paulo: Xamã, 1997. ARISTOTELES. Poética. In: ___. Ética a Nicômaco; Poética. São Paulo: Nova Cultural, 1987. ARNHEIM, Rudolf. El poder del centro. Madrid: Alianza, 1982. AUERBACH, Erich. Mimesis. São Paulo: Perspectiva, 1976. AUGÉ, Marc. Los no lugares. Barcelona: Gedisa, 2008. AVELAR, Idelber. Alegorias da derrota. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2003. BADEN, Nancy. The muffled cries. The writer and literature in authoritarian Brazil, 1964-1985. Boston: University Press of America,1999. BENJAMIN, Walter. A modernidade e os modernos. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1975. BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1985. BENVENISTE, Emile. As relações de tempo no verbo francês. In: ___. Problemas de lingüística geral. São Paulo, Nacional/EDUSP, 1976. BORNHEIM, Gerd. Literatura e filosofia (o espaço da estética). In: KHÉDE, Sonia Salomão, (org.). Os contrapontos da literatura. Petrópolis: Vozes, 1984. BORNHEIM, Gerd. O sujeito e a norma. In: BIGNOTTO, Newton et alii. Ética. São Paulo: Companhia das Letras / SMC, 1992. BOSI, Alfredo, org. O conto brasileiro contemporâneo. São Paulo: Cultrix, s.d. BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1994. 32 ed. BOSI, Alfredo. O nacional e suas faces. In: Vários. Eurípides Simões de Paula: in memoriam. São Paulo: FFLCH-USP, 1983. BRESCIANI, Stella, org. Memória e (res)sentimento. Campinas: Ed. Unicamp, 1991. CANDIDO, Antonio. A educação pela noite e outros ensaios. São Paulo: Ática, 1987. CANDIDO, Antonio. Censura-violência. In: ___. Recortes. São Paulo: Companhia das Letras, 1993. CANDIDO, Antonio. Textos de intervenção. São Paulo: Duas Cidades / Editora 34, 2002. CASTRO, Eduardo Viveiros de. A inconstância da alma selvagem. São Paulo: Cosac Naify, 2002. CHAUÍ, Marilena. Mito fundador e sociedade autoritária. São Paulo: Perseu Abramo, 2000. CHKLOVSKI, V. A arte como procedimento. In: VÁRIOS. Teoria da literatura: formalistas russos. Porto Alegre: Globo, l978. DALCASTAGNÉ, Regina, org. Ver e imaginar o outro. Alteridade, desigualdade, violência na literatura brasileira contemporânea. Vinhedo: Horizonte, 2008. DALCASTAGNÈ, Regina. Entre fronteiras e cercado de armadilhas. Brasília: Ed. UNB, 2005. DALCASTAGNÈ, Regina. O espaço da dor. O regime de 64 no romance brasileiro. Brasília: Ed. UNB, 1996. DIAS, Bruno & NEVES, José, orgs. A política dos muitos. Lisboa: EDP, 2010. DUARTE, Rodrigo & FIGUEIREDO, Virginia, orgs. Mimesis e expressão. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001. EAGLETON, Terry. Marxismo e crítica literária. Porto: Afrontamento, 1978. FABRIS, Annateresa. Vanguarda e mercado. In: MARQUES, Reinaldo & VILELA, Lucia, orgs. Valores. Belo Horizonte: UFMG / Abralic, 2002. FERNANDES, Florestan. Mudanças sociais no Brasil. São Paulo: Difel, 1974. FOUCAULT, Michel. Deux essais sur le sujet et le pouvoir. In: DREYFUS, Hubert et RABINOW, Paul. Michel Foucault; un parcours philosophique. Paris, Gallimard, 1984. FREUD, Sigmund. Lo siniestro. In: ___. Obras completas. Madrid: Biblioteca Nueva, 1996. v.3. FREUD, Sigmund. O mal-estar na cultura. Porto Alegre: L&PM, 2010. GIRARDET, Raoul. Mitos e mitologías políticas. São Paulo: Companhia das Letras, 1987. GOMES, Angela de Castro. A política brasileira em busca da modernidade: na fronteira entre o público e o privado. In: SCHWARCZ, Lilia, org. História da vida privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. v.4. HANSEN, João Adolfo et alii. Anos 70. São Paulo: Itaú Cultural, 2005. HARDMAN, Francisco Foot, org. Morte e progresso: cultura brasileira como apagamento de rastros. São Paulo: Ed. Unesp, 1998. HEGEL. Estética. Lisboa: Guimarães, 1993. HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. JAMESON, Fredric. O inconsciente político. São Paulo: Ática, 1992. KRISTEVA, Julia. Pouvoirs de l horreur. Paris: Seuil, 1980. LIMA, Luiz Costa, (org.). Teoria da literatura em suas fontes. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983. 2. ed., 2v. LUBBOCK, Percy. A técnica da ficção. São Paulo: Cultrix/Edusp, 1976. LUCAS, Fabio, org. Contos da repressão. Rio de Janeiro: Record, 1987. LUKACS, Georg. Cuestiones liminares de lo estético. In: ____. Estética. Barcelona: Grijalbo, 1966. V.I. LUKACS, Georg. Teoria do romance. Lisboa: Presença, s.d. MARQUES, Reinaldo & BITTENCOURT, Gilda, orgs. Limiares críticos. Belo Horizonte: Autêntica, 1998. MICELI, Sérgio. Intelectuais à brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2001. MIRANDA, Danilo Santos, org. Ética e cultura. São Paulo: SESC / Perspectiva, 2004. MIRANDA, Wander Melo. Nações literárias. Cotia: Ateliê, 2010. NAVES, Rodrigo. A forma difícil. São Paulo: Ática, 1996. NOVAES, Adauto, org. A condição humana. São Paulo: SESC, 2009. NOVAES, Adauto, org. Civilização e barbárie. São Paulo: Companhia das Letras, 2004. NUNES, Benedito. O tempo na narrativa. São Paulo: Ática, 1988. PEDROSA, Célia. Mais poesia hoje. Rio de Janeiro: 7Letras, 2000. PEDROSA, Célia. Poesia contemporânea: crise, mediania, transitividade. In: Subjetividades em devir. Rio de Janeiro: 7Letras, 2007. PELLEGRINI, Tania. Gavetas vazias. São Paulo: Mercado de Letras, 1997. PHELAN, James & RABINOWITZ, Peter J, orgs. A companion to narrative theory. London: Blackwell, 2008. PINHEIRO, Paulo Sergio. Autoritarismo e transição. Revista USP. São Paulo: USP, 1991. n.9. POUILLON, Jean. O tempo no romance. São Paulo: Edusp, 1994. PROENÇA FILHO, Domício, org. O Livro do Seminário Nestlé de Literatura Brasileira. São Paulo: LR Editores, 1982. REIS, Roberto. Cânon. In: JOBIM, José Luis, org. Palavras da crítica. Rio de Janeiro: Imago, 1992. RESENDE, Beatriz. Contemporâneos: expressões da literatura brasileira do século XXI. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 2008. RICHARD, Nelly. Políticas da memória e técnicas do esquecimento. In: MIRANDA, Wander Melo, org. Narrativas da modernidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa. Campinas: Papirus, 1994. t.I. RIEDEL, Dirce, org. Narrativa: ficção e história. Rio de Janeiro: Imago, 1988. ROSENFELD, Anatol. Texto/contexto. São Paulo: Perspectiva, l969. SALGUEIRO, Wilberth. Forças & formas. Aspectos da poesia brasileira contemporânea. Vitória: Ed. UFES, 2002. SANTIAGO, Silviano. Nas malhas da letra. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. SANTIAGO, Silviano. Uma literatura anfíbia. In: ___. O cosmpolitismo dos pobres. Belo Horizonte: UFMG, 2005. SARLO, Beatriz & ALTAMIRANO, Carlos. Conceptos de sociologia literária. Buenos Aires: CEAL, 1993. SCHOLLHAMMER, Karl Erik. Ficção brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Record, 2010. SCHWARZ, Roberto. Que horas são? São Paulo: Companhia das Letras, 1987. SILVA, Edson. R. Da representação do horror ao vazio da representação. Revista Brasileira de Literatura Comparada. V. 9. 2006. SILVERMAN, Malcolm. Protesto e o novo romance brasileiro. Porto Alegre: Ed. UFRGS / Ed. UFSCAR, 1995. SISCAR, Marcos. Poesia e crise. Campinas: Ed. UNICAMP, 2010. SOLGER, Karl. On irony. In: WHEELER, Kathleen, org. German aesthetic and literary criticism: the romantic ironists and Goethe. Cambridge: Cambridge University Press, 1984. SONTAG, Susan. Diante da dor dos outros. São Paulo: Companhia das Letras, 2003. SOUZA, Eneida M, org. Modernidades tardias. Belo Horizonte: Ed.UFMG, 1998. SUSSEKIND, Flora. Literatura e vida literária. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2004. VECCHI, Roberto. O que resta do trágico. In: __ & FINAZZI-AGRO, Ettore, orgs. Formas e mediações do trágico moderno. São Paulo: Unimarco, 2003. WATT, Ian. A ascensão do romance. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. WITTGENSTEIN. Investigações filosóficas. São Paulo: Abril Cultural, 1975. (Os Pensadores, XLVI)

Cursos

LITERATURA BRASILEIRA
Mestrado
120
LITERATURA BRASILEIRA
Doutorado
120

Áreas de Concentração

LITERATURA BRASILEIRA